Inteligência financeira
Inteligência financeira

Inteligência financeira: 7 passos para desenvolver a sua!

Ter uma relação equilibrada com o seu dinheiro e buscar estratégias para aumentar seu patrimônio são formas de definir a inteligência financeira. Para algumas pessoas, essa já é uma habilidade natural. No entanto, para outras, ela pode e deve ser desenvolvida.

Com isso, você conquista uma vida mais confortável e pensa no futuro, pois sabe como planejar suas finanças pessoais a curto, médio e longo prazo. Quer entender quais são as etapas para que a educação financeira seja incorporada em seus hábitos?

Acompanhe o artigo e descubra os 7 passos para agir com inteligência na hora de lidar com as finanças!

1. Conheça os seus gastos e ganhos

Existe uma ideia de que a tranquilidade financeira está ligada a salários mais altos. Será que essa relação é sempre verdadeira? Na verdade, muitas pessoas — mesmo com bons rendimentos — acabam se endividando.

Assim, a ideia de ganhar mais para esperar melhorar as finanças é um mito. O primeiro passo para desenvolver a inteligência financeira é conhecer qual é o seu fluxo de caixa e avaliar o seu custo de vida.

Para isso, é preciso ter ciência sobre suas receitas, despesas fixas e variáveis. Colocar todos esses dados no papel, aplicativo ou planilha — inclusive as despesas pequenas — ajudará a identificar os movimentos da sua conta bancária.

Assim, será possível entender se sua relação com o dinheiro é sustentável. Ao listar essas informações, você descobre, por exemplo, se existem gastos desnecessários e se é possível reduzir alguma despesa.

A ideia é não se endividar ao ter um custo de vida mais alto do que pode comportar. Pelo contrário, conhecer seus ganhos e gastos permitirá ir além — ou seja, fazer uma quantia sobrar todo o mês.

Com isso, é possível planejar investimentos para construir patrimônio. Assim, você faz seu dinheiro render, agindo de modo inteligente com as finanças.

2. Alinhe seu estilo de vida ao seu orçamento

Ao ter o retrato da sua realidade financeira e de seu comportamento com o dinheiro, identificando seus gastos, chega o momento de alinhar seu orçamento com seu estilo de vida. Aqui é a ideia é atingir um equilíbrio entre suas despesas e receitas.

Será que o seu salário é muito baixo ou seus gastos é que não são condizentes com o que você ganha neste momento? Para responder isso, a segunda etapa da inteligência financeira é avaliar se as suas despesas estão de acordo com a sua remuneração.

Com isso, você descobre se está ou não usando o dinheiro de forma adequada. Por exemplo: será que o seu aluguel não está muito alto por conta da localização? Será que agora é o momento de adquirir um carro novo?

Muitas vezes, é preciso mudar suas prioridades financeiras para conseguir planejar melhor seu orçamento. Com esse ajuste, você consegue até mesmo se programar para o médio e longo prazo de forma a destinar parte dos recursos para investimentos.

Na hora de pensar no seu custo de vida, tenha em mente que ele não pode corresponder a toda a sua renda. É preciso que o dinheiro que entra seja usado para custear o presente e também para planejar o futuro.

3. Tenha um bom controle e planejamento financeiro

A inteligência financeira envolve uma mudança de hábitos, de forma a restringir alguns gastos com os quais você está acostumado. Então, depois de alinhar seu estilo de vida ao orçamento, é hora de fazer um controle financeiro.

É preciso cortar supérfluos e fazer concessões de forma a ter um comportamento mais saudável com seu dinheiro. Lembre-se sempre da pergunta: “Eu preciso realmente fazer essa compra?”. Com isso, você evita o consumo por impulso, mas que pesa no orçamento.

Para saber o que é necessário ou vale a pena cortar, há uma palavra essencial: prioridades. Isso significa que você deve conhecer o que é importante na sua vida. Assim, é possível economizar com o que não importa tanto — e ter mais dinheiro para o que você considera essencial.

É preciso determinar metas para sua vida e conduzir suas finanças para que elas possam ser conquistadas. Logo, você pode fazer um planejamento financeiro para viajar, comprar um imóvel, realizar algum sonho ou até mesmo para começar a investir.

4. Monte uma reserva financeira

Você está vendo como ter um controle das finanças durante o mês. Entretanto, isso não é suficiente para viver bem. Afinal, podem surgir imprevistos na sua vida — exigindo que você tenha dinheiro disponível para essas circunstâncias.

Quem desenvolve a inteligência financeira, sabe que não é aconselhável tirar esse dinheiro do seu orçamento mensal. Então, como fazer? Separar uma quantia para compor sua reserva financeira. Desse modo, você vive mais tranquilo, pois pode recorrer ao dinheiro guardado.

5. Entenda a importância de pensar a longo prazo

Um dos aspectos centrais na educação financeira é deixar de enxergar o movimento das finanças pessoais somente dentro de um mês. Como vimos, é necessário se valer de estratégias para ter uma tranquilidade financeira não só no presente, mas também a longo prazo.

Por isso, a ideia é que você aumente seu patrimônio pensando no futuro. Com foco, por exemplo, na sua aposentadoria ou independência financeira. Quem deseja ter qualidade de vida nos próximos anos deve se planejar desde já.

6. Identifique seu perfil de investidor

Quando você consegue um equilíbrio em suas finanças para começar a investir, é necessário identificar seu perfil de investidor. Entender se você é conservador, moderado ou arrojado servirá como uma espécie de guia na sua jornada no mercado financeiro.

Desse modo, é possível tomar as melhores decisões na hora de aplicar seu dinheiro, evitando frustrações e prejuízos. O perfil considera quais são os riscos que você está disposto a correr e que tipos de investimentos mais lhe interessam.

7. Estude o mercado financeiro

Por fim, para ter inteligência financeira e escolher as opções que mais atendam ao seu perfil é recomendado estudar o mercado. Pesquise o máximo de informações sobre economia e tipos de investimentos em livros e conteúdos online — como você está fazendo agora.

Contar com uma assessoria em investimentos também faz a diferença nesse momento. Isso porque são muitas informações disponíveis — e elas podem não ser fáceis de entender. Com a ajuda de profissionais, você compreende melhor o mercado.

Agora você sabe como buscar inteligência financeira na sua vida em 7 passos. Sem dúvida, vale a pena seguir essas dicas e expandir seu patrimônio, sabendo utilizar o dinheiro com sabedoria para alcançar seus sonhos!

Gostou do nosso artigo e quer mais dicas para estabelecer uma relação sustentável com suas finanças? Siga a nossa página do Facebook e confira nossos conteúdos atualizados!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.