NASD11- Conheça o ETF que replica o índice Nasdaq
NASD11- Conheça o ETF que replica o índice Nasdaq

NASD11: Conheça o ETF que replica o índice Nasdaq

O setor de tecnologia dos Estados Unidos é formado por diversas companhias, englobando desde as que existem há décadas até startups recentes que revolucionaram o mercado. Assim, pode surgir o interesse em aproveitar oportunidades para investir. Nesse caso, uma alternativa é o ETF NASD11.

Ele permite se expor ao desempenho das ações dos Estados Unidos. Porém, as negociações são feitas na própria bolsa brasileira (B3), trazendo mais praticidade. Contudo, antes de investir, é importante entender como funciona essa modalidade de investimento.

Neste artigo, você conhecerá o ETF que replica o índice Nasdaq. Continue a leitura e aprenda como ele funciona!

O que é ETF?

Antes de saber mais sobre o NASD11, é importante entender o que é um ETF. A sigla significa exchange traded fund, ou fundo de índice. Portanto, trata-se de um fundo de investimento que acompanha um índice de referência do mercado financeiro.

Nesse caso, os aportes são feitos espelhando a carteira teórica do indicador, visando replicar o seu desempenho. Para investir, é preciso adquirir cotas que são negociadas na bolsa de valores e cujo preço oscila de acordo com as variações do mercado.

Eles são identificados por meio de um código composto por letras e números que identificam o fundo — o ticker. No caso do NASD11, ele se refere ao ETF que replica o índice Nasdaq-100.

O que é o NASD11?

Agora que você sabe o que é um ETF, fica mais fácil compreender as características do NASD11. Ele é um dos fundos de índice de renda variável disponíveis na B3 e o primeiro relacionado ao Nasdaq-100 em uma bolsa de valores latino-americana.

O ETF passou a ser negociado na bolsa brasileira em maio de 2021. As cotas foram lançadas com o preço de R$ 10 — o que é um valor bastante acessível para os investidores. Porém, elas estão expostas às oscilações do mercado e tendem a apresentar preços diferentes ao longo do tempo.

Com esse veículo de investimento, os brasileiros podem investir, de maneira indireta, nas empresas tecnológicas da bolsa americana com maior facilidade. Portanto, é possível se expor a uma economia mais forte que a brasileira, como é o caso da norte-americana.

A rentabilidade do ETF acompanhará a variação do dólar, então tem exposição cambial. Por isso, pode ser uma alternativa interessante para quem deseja diversificar e proteger a carteira de investimentos em meio a juros baixos, por exemplo.

Também vale saber que o ETF NASD11 tem taxa de administração de 0,30% ao ano. Com relação ao Imposto de Renda, a alíquota é de 15% sobre o lucro gerado nas negociações, independentemente do tempo de investimento. A exceção fica por conta das operações em day trade — tributadas em 20%.

O que é o índice Nasdaq-100?

Você já sabe que o NASD11 replica o desempenho do índice Nasdaq-100. Contudo, é necessário entender como ele funciona para avaliar o investimento corretamente.

Primeiro, saiba que a National Association of Securities Dealers Automated Quotations (Nasdaq) é a segunda entre as bolsas internacionais com maior relevância global. Localizada nos Estados Unidos, ela foi fundada em 1971 e é considerada o primeiro mercado de valores eletrônico do mundo.

A bolsa reúne ações de empresas de tecnologia, telecomunicações, eletrônica e biotecnologia, que adotam a inovação para desenvolver vantagens competitivas. Assim, a carteira teórica do indicador é composta pelas 100 maiores empresas do segmento de tecnologia com ações negociadas na Nasdaq.

Entre outros aspectos, o indicador é composto de acordo com o valor de mercado das companhias. Inclusive, essa é uma das características que fazem com que o índice Nasdaq-100 venha apresentando um desempenho bastante sólido desde a sua criação.

Entre as empresas que compõem o índice estão Microsoft, Apple, Dell, Google, Facebook e Netflix. Portanto, se você tem interesse em investir nessas companhias, mas não deseja comprar os papéis individualmente, o ETF pode ser uma boa opção.

Quais as vantagens de investir em ETFs?

Se você ficou interessado em investir em ETFs, precisa conhecer as vantagens dessa alternativa. Uma delas é a diversificação que o veículo proporciona para a sua carteira de investimento. Afinal, o gestor distribui o seu capital em diversos ativos que compõem a carteira teórica do índice.

Isso ajuda no manejo de risco e pode ampliar o potencial de retorno dos seus aportes. Outro benefício é a acessibilidade, pois a aquisição das cotas dos ETFs é mais simples do que a compra direta de diversas ações, por exemplo.

Ademais, como visto, o NASD11 foi lançado com investimento mínimo de R$ 10 por cota. Para investir nas principais empresas de tecnologia da bolsa Nasdaq individualmente você precisaria de muito mais, não é mesmo?

Cabe ressaltar que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) regula e fiscaliza os fundos no Brasil. Assim, os gestores dos ETF devem fornecer informações relevantes para os investidores, inclusive sobre as negociações realizadas.

Dessa forma, você pode conferir o desempenho do fundo e como o seu capital está sendo investido. Outro ponto que normalmente ocorre é o reinvestimento automático. Isso significa que, se as ações do fundo distribuírem rendimentos, os lucros são reaplicados automaticamente.

Isso faz com que o patrimônio do ETF aumente e as cotas sejam valorizadas no mercado. Com isso, é possível obter retornos ao vendê-las por um preço maior do que o pago na aquisição.

Quais são os riscos envolvidos?

Também é importante conhecer os riscos dos ETFs. Primeiro, é importante ter em mente que o mercado nem sempre está subindo. Como você estará exposto ao mercado internacional, oscilações e quedas na economia americana influenciarão nos resultados do fundo.

Assim, momentos de crise, por exemplo, podem interferir nos seus investimentos. Além disso, o mercado de renda variável está exposto à maior volatilidade.

Logo, o preço das cotas varia de acordo com os movimentos do pregão. Isso faz com que as oscilações tragam riscos de perdas, especialmente quando há foco no curto prazo.

Como investir no NASD11?

Se você acredita que investir no NASD11 é interessante para a sua estratégia, saiba que é necessário ter acesso ao home broker por meio de um banco de investimentos. Para isso, abra a sua conta e transfira o capital que deseja aportar para a instituição.

No campo de negociações do home broker digite o código NASD11. Insira também o número de cotas e o preço, que pode ser a mercado. Por fim, informe sua senha eletrônica para confirmar a operação. O processo é bastante simples e intuitivo.

No entanto, se restarem dúvidas, você pode contar com o suporte de uma assessoria de investimentos. Assim, é possível conhecer melhor essa e outras alternativas disponíveis no mercado brasileiro que podem compor o seu portfólio.

Conhecer as características do ETF NASD11 é importante para tomar decisões de investimento mais acertadas. Lembre-se de sempre considerar o seu perfil de investidor e seus objetivos antes de investir. Além disso, diante de dúvidas, conte com o apoio dos assessores de investimentos!

Gostou do conteúdo e quer ampliar seus conhecimentos? Então conheça 5 alternativas para investir na bolsa americana!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.