Atuar no mercado financeiro requer conhecimentos específicos. Para quem for planejador financeiro ou desempenhar atividade correlata, isso é ainda mais importante, já que envolve o patrimônio de terceiros. Para oferecer um serviço mais qualificado, é possível buscar a certificação CFP.

Ela é uma das principais do mercado, tem amplo reconhecimento e pode melhorar o seu posicionamento com os contratantes. Ao mesmo tempo, é preciso se preparar corretamente para obter a sua.

Por isso, neste artigo você poderá acompanhar todas as informações necessárias sobre o assunto. Continue a leitura e saiba como ser certificado!

O que é a Certificação CFP?

Sigla para Certified Financial Planner ou Planejador Financeiro Certificado, a CFP é uma certificação de caráter internacional voltada para a atividade de planejamento financeiro pessoal. Ela não é obrigatória, mas é útil para garantir maior preparo para atuação no mercado.


A Financial Planning Standards Boards (FPSB) é a entidade responsável globalmente pela certificação. No Brasil, a instituição certificadora é a Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

Como a prova é composta?

Para obter a certificação um dos passos consiste em ser aprovado em uma prova realizada e aplicada pela entidade. Ela é composta por 140 perguntas de múltipla escolha, com 4 alternativas de resposta cada uma.

Entre os temas cobrados, estão:

  • planejamento financeiro;
  • gestão de ativos e investimentos;
  • planejamento sucessório, fiscal e de aposentadoria;
  • gestão de riscos e seguros

A duração do exame é de 7 horas e 5 minutos, com a aplicação sendo realizada em locais específicos. O programa de certificação pode ser concluído em apenas um dia ou em módulos cobrados individualmente e com prazo de 24 meses.

A nota mínima é de 70% de acertos na prova geral e de 50% de acertos nos módulos. Se a escolha for obter o certificado de uma só vez, é necessário atender às duas condições. Se a ideia for fazer por módulos, é obrigatório acertar 70% das questões de cada módulo.

Se um candidato não atingir o valor mínimo em algum módulo, terá aprovação apenas nos outros. Assim, é preciso obter o rendimento mínimo exigido em todos os módulos para ser definitivamente certificado.

Para quem ela serve?

A certificação CFP é útil para os profissionais que atuam com planejamento financeiro e áreas correlatas. Como visto, ela não tem caráter obrigatório, mas estabelece uma qualificação maior por parte de quem a obtém. Além disso, muitas empresas a exigem na contratação de planejadores.

Outros profissionais do mercado financeiro que também fazem parte do público-alvo da certificação incluem o assessor, o orientador, o consultor ou o coach financeiro.

Quem pode tirar a certificação?

Para ser certificado é preciso atender a critérios obrigatórios. O primeiro ponto diz respeito à formação. As regras determinam que é obrigatório que o candidato tenha formação em um curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).


INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

Aprenda a como investir no exterior de forma prática


Outro ponto está relacionado à experiência profissional. É exigido que o candidato à certificação tenha ao menos 3 anos de experiência no mercado financeiro ou 1 ano de experiência com supervisão.

A regra determina que essa experiência inclua o atendimento ao cliente pessoa física quanto ao planejamento financeiro, sucessório ou gestão de riscos e de investimentos, por exemplo. Além disso, a experiência deve ser devidamente comprovada.



Outro ponto importante consiste na aprovação no exame. É preciso realizar a avaliação e obter o rendimento geral mínimo. Do contrário, é necessário repetir a avaliação, até que o resultado seja alcançado.

Além de tudo, o planejador financeiro deve se submeter ao código de ética instituído pela Planejar. Se qualquer uma das condições não for atendida, é impossível conquistar a certificação CFP até que tudo seja regularizado.

As regras podem mudar com o passar do tempo. Então também é importante conferir junto à certificadora quais são as exigências antes de dar início ao processo.

Como obter a certificação CFP?

Para se tornar certificado, tudo começa com a inscrição, feita diretamente com a entidade responsável. Você poderá conferir quais são os próximos exames agendados e escolher a data de acordo com as suas possibilidades.

Quanto ao estudo, é interessante utilizar o material oficial fornecido pela própria Planejar, com todos os conceitos e conhecimentos necessários para realizar a prova. Muitos candidatos também recorrem a cursos preparatórios, que podem ser feitos presencialmente ou online.

A realização de exames anteriores e de simulados pode servir para quem deseja obter um bom desempenho. No dia da prova, devem-se respeitar todas as regras e o limite de tempo para a conclusão.

Após receber a aprovação, você terá um período para comprovar a experiência e a graduação. Feito isso, poderá emitir o certificado e utilizar a marca CFP, desde que respeite as exigências de manutenção.

Como funciona a certificação?

Ser aprovado no exame e atender aos demais requisitos são passos que permitem obter a certificação. Porém, essas não são as etapas finais, pois é preciso se preocupar com a manutenção da validação.

Na prática, o certificado tem validade de dois anos e, a cada biênio, devem-se concluir 30 créditos de educação continuada. Isso pode ser feito por meio de cursos e atividades que são apontados pela própria entidade.

É necessário, ainda, realizar o pagamento de uma anuidade, pois é algo que mantém a sua situação regular junto à instituição responsável. Do contrário, seu certificado de planejador financeiro pessoal não terá validade.

Afinal, a certificação CFP vale a pena?

Como a certificação não é obrigatória pelos órgãos de regulamentação, muitos profissionais têm dúvidas se realmente vale a pena. No entanto, é preciso considerar ela pode trazer benefícios e diferenciais para a carreira.

Como planejador financeiro, você lidará tanto com a gestão de patrimônio dos clientes quanto com suas expectativas e necessidades. Portanto, é algo que exige confiança — o que pode ser validado pela certificação CFP.

Além disso, é uma forma de integrar a lista de planejadores financeiros da Planejar. Assim, pessoas que buscarem um profissional da área poderão encontrá-lo, o que expande as possibilidades.

Para completar, algumas instituições e formas de atuação, como o private banking, têm exigido a certificação para contratar profissionais. Portanto, se esses pontos levantados fizerem sentido para a sua realidade e para os seus objetivos de carreira, vale a pena tornar-se certificado.

A certificação CFP é responsável por atestar a sua capacitação enquanto planejador ou consultor financeiro. Por isso, é oportuno pensar em obter a sua para se destacar no mercado e transmitir mais confiança aos clientes!

Nos comentários, deixe suas impressões sobre esse programa de certificação e aproveite para tirar qualquer dúvida restante!