Renova Invest Facebook

Bolsa de Lima : Conheça a bolsa de valores peruana

Bolsa de Lima
Bolsa de Lima

Os países do mercado sul-americano, embora sejam marcados por certa instabilidade política e econômica, podem se destacar pelo potencial de crescimento. Uma das oportunidades de investimento no continente é por meio da bolsa peruana. Você conhece a bolsa de lima?

Com sede na cidade Lima, uma das maiores metrópoles da América Latina, a bolsa do Peru pode ser uma alternativa para aqueles que buscam diversificação internacional. Por isso, é interessante conhecer suas principais características para avaliar possíveis investimentos com mais segurança.

Está interessado em saber mais sobre essa bolsa? Então acompanhe a leitura para conhecer a Bolsa de Valores de Lima!

O que é e como funciona a Bolsa de Valores de Lima?

A Bolsa de Valores de Lima (BVL) é uma das mais antigas da América do Sul. A instituição foi fundada em 1860, quase 30 anos antes da Bolsa Livre, por exemplo — que, posteriormente, se tornou a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e atual B3.

A BVL é a única bolsa em atuação no mercado peruano. O seu objetivo é possibilitar a negociação de valores mobiliários do país. Além disso, a bolsa de Lima atua para tornar o mercado justo e transparente para os investidores.

Ademais, a BVL também oferece produtos financeiros estruturados do mercado. Mais um ponto interessante sobre ela está no fato de atuar como assessora jurídica na securitização de ativos que serão negociados.

Além disso, desde 2014, a Bolsa de Valores de Lima tem uma parceria com a S&P Dow Jones Indices — joint venture da S&P Global, o CME Group e a News Corp. Com isso, a instituição norte-americana licencia, controla e distribui todos os índices da bolsa do país sul-americano.

Quais são as características da bolsa peruana?

Como você viu, a bolsa peruana é uma das mais tradicionais da América do Sul. No entanto, ainda existem mais características sobre ela que são relevantes para serem destacadas.

Saiba mais!

Horário de funcionamento

Como é característico das bolsas de valores ao redor do mundo, a BVL conta com horário de abertura e encerramento das negociações. O início das operações ocorre às 7h30 no horário local e pode se estender até às 17h30. Lima está, geralmente, duas horas atrasada em relação à Brasília.

Setores da bolsa

A Bolsa de Valores de Lima conta com mais de 250 empresas listadas. Elas são separadas por setores. São eles:

  • agricultura;
  • bancos e finanças;
  • diversificado;
  • indústrias;
  • mineração;

Índices da BVL

Como vimos, os índices da bolsa peruana são controlados pelo S&P Dow Jones Indices. Com a parceria, o Índice Geral Bolsa de Valores (IGBVL), principal indicador peruano, passou a se chamar S&P/BVL Peru General Index.

Ele serve como benchmark para o mercado de ações do Peru — similar ao Ibovespa na B3. Além dele, o S&P Dow Jones Indices disponibiliza outros indicadores relevantes, principalmente centrados em cada um dos setores da bolsa.

Quais as vantagens e os riscos de investir na bolsa de Lima?

O investimento na bolsa de valores do Peru pode trazer oportunidades e riscos para aqueles interessados em diversificar nesse mercado. Então é importante conhecer esses pontos e analisá-los com cautela antes de investir.

Como ponto positivo, é possível destacar o investimento internacional. Esse é um aspecto que costuma ser benéfico para investidores. Afinal, você estará diminuindo a vulnerabilidade de sua carteira em uma eventual crise no Brasil ao diversificar em outros países.

Além disso, o Peru foi listado como uma das nações da América Latina com maior potencial de crescimento em 2021. Esse aspecto pode ser vantajoso para aqueles que estão buscando novas oportunidades de valorização e acreditam nas expectativas para o país.

No entanto, também existem riscos envolvidos. Apesar de ser uma das 5 maiores economias da América do Sul — atrás de Brasil, Argentina, Colômbia e Chile —, o Peru ainda é um país em desenvolvimento. Desse modo, o mercado está sujeito a sofrer oscilações intensas.

Ademais, vale destacar que os investimentos nos ativos da bolsa peruana são de renda variável. Portanto, não haverá garantias de retorno positivo, mesmo que as empresas selecionadas apresentem bom potencial.

Vale a pena investir na Bolsa de Valores de Lima?

Agora que você conheceu os principais aspectos relativos a uma das bolsas mais tradicionais da América do Sul, pode estar se perguntando se esse investimento vale mesmo a pena, não é? Para decidir, é preciso avaliar características relativas à sua estratégia.

Entenda!

Perfil de investidor

Sua análise deve começar pelo seu perfil de investidor. Como vimos, a bolsa de valores envolve investimentos de renda variável. Portanto, eles costumam ser mais adequados a investidores moderados e arrojados.

Contudo, há mais características que devem ser levadas em consideração. Por envolver um país ainda em desenvolvimento, é importante que você esteja disposto a lidar com os riscos. Dessa maneira, a BVL pode ser um ambiente mais indicado para investidores arrojados.

Objetivos financeiros

Junto do seu perfil, é indispensável considerar os seus objetivos financeiros. Para entendê-los, é possível traçar metas que você busca alcançar com os investimentos e estipular prazos para elas. Essa visualização ajudará a entender se vale a pena fazer aportes na bolsa peruana.

Como investir na Bolsa de Lima?

Você entendeu as principais características da Bolsa de Valores de Lima e acredita que as alternativas dela podem ser benéficas para sua estratégia? Então é necessário saber quais são as formas possíveis para realizar investimentos nesse ambiente.

Uma das maneiras de investir na bolsa peruana é pelo investimento direto. Para isso, é preciso abrir uma conta de investimentos no país para acessar as oportunidades. Contudo, essa estratégia costuma ser mais burocrática e envolve custos com transferências internacionais.

Para contar com mais praticidade, é possível fazer investimentos internacionais na bolsa brasileira. Uma das opções são os exchange traded funds (ETFs). Eles são um veículo coletivo de gestão passiva que replicam indicadores de mercado — inclusive, os estrangeiros.

Outra possibilidade no Brasil é investir por meio de brazilian depositary receipts (BDRs). Esses certificados representam um ativo internacional. Logo, pode haver BDRs na B3 atrelados a investimentos do Peru.

Neste conteúdo você conheceu a bolsa de valores peruana, a BVL, e viu que ela pode ter potencial para investidores interessados em exposição internacional. Não deixe de avaliar com atenção as oportunidades, caso elas lhe interessem!

Precisa de suporte para seus investimentos internacionais? Fale com a Renova Invest!

 

 

 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
1 Comentário
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.