Você sabe o que é o gap no mercado financeiro
Você sabe o que é o gap no mercado financeiro

Você sabe o que é o gap no mercado financeiro?

Na bolsa, enquanto os investidores de longo prazo focam na análise fundamentalista, os especuladores ou traders utilizam a análise técnica. Observando a variação de preços, eles procuram por tendências e oportunidades. Logo, é preciso saber o que é gap no mercado financeiro.

Os vazios entre as posições dos gráficos trazem mais informações do que parece e podem ajudar na tomada de decisão. Ao mesmo tempo, eles podem ocorrer de formas e por motivos distintos. Assim, é preciso aprender a interpretá-los.

Portanto, venha conhecer mais sobre os gaps e entenda como usá-los corretamente em suas análises!

Afinal, o que é gap no mercado financeiro?

O gap é uma interrupção gráfica da análise técnica, marcado pela representação de um espaço vazio ou um sobressalto. Normalmente, ele aparece quando a próxima posição de preços não começa onde a última havia parado.

É importante destacar que o espaço que passa a existir não significa, necessariamente, uma reversão da tendência. Os gaps podem durar apenas alguns minutos, embora também possam ser indícios de uma alteração significativa no movimento dos preços das Ações ou derivativos.

Quais são os tipos de gap e como funcionam?

Agora que você já sabe o que é o gap no mercado financeiro, é interessante saber que não há somente um tipo. Dependendo do comportamento em relação à faixa de preço, o espaço que surge no gráfico é classificado de diferentes maneiras.

Em um gráfico com análise de candles ou velas, por exemplo, pode acontecer de surgir um espaço entre a mínima de uma posição e a máxima da próxima. Nesse caso, há um gap de queda.

O oposto ocorre quando existe um espaço entre o máximo de uma posição e o mínimo da seguinte. Nessa situação, há o chamado gap de alta.

No entanto, a análise do mercado de Ações ou de derivativos não apresenta apenas as duas classificações. Veja quais são outros tipos de gaps que podem acontecer:

  • gap de área: também chamado de gap comum, é o que aparece com mais frequência. Costuma surgir na chamada área de congestão, que indica uma mudança mais abrupta no próximo candle;
  • gap de fuga: ele normalmente representa uma movimentação mais intensa ou aguda, além de estar ligado ao volume de compra ou venda;
  • gap de continuação: esse tipo indica uma provável consolidação da tendência, pois aponta que o movimento tende a continuar por certo tempo;
  • gap de exaustão: é um tipo que dá sinais sobre o esgotamento do movimento, indicando aos especuladores que os ativos ou derivativos devem retornar ao valor médio.

Por que eles acontecem?

Uma dúvida comum a especuladores é por que o mercado financeiro apresenta os vazios nos gráficos. Então, vale a pena compreender como eles surgem. É comum que o gap aconteça após períodos sem negociação, como entre um pregão e outro.

No momento em que a bolsa está fechada, podem ocorrer mudanças que impactarão a força compradora ou vendedora. Com isso, o ativo ou derivativo iniciará, no dia seguinte, com um valor descolado do fechamento no dia anterior.

Também pode ocorrer de um gap surgir ao longo do pregão, em espaços de tempo que podem ser de minutos ou horas. É comum que a quebra no gráfico apareça por causa de acontecimentos e notícias que afetam diretamente a bolsa de valores.

Se houver algum problema grave no governo que abale a confiança dos investidores, por exemplo, a situação pode gerar uma grande força vendedora. E isso levará a um gap de queda.

Por outro lado, uma notícia positiva sobre o faturamento ou os resultados de uma empresa podem gerar impactos na força compradora. Se isso se concretizar, um movimento brusco de alta também pode levar a um gap.

Contudo, é importante entender que a movimentação de alta ou de baixa não necessariamente se confirmará ou se manterá ao longo do tempo. Além disso, nem sempre é possível identificar, com clareza, as razões que levam ao surgimento de um vazio.

Quais são as funções do gap?

Independentemente do seu tipo, um gap tem como uma das funções representar, graficamente, uma alteração significativa nos valores de ativos ou derivativos. Assim, para os especuladores que utilizam a análise técnica eles podem orientar a tomada de decisão em curto prazo.

Um gap também pode ajudá-lo a fazer análises de tendências. Dependendo do tipo de vazio que aparecer, você terá a chance de entender se a lacuna será preenchida em breve ou se haverá mudança no comportamento.

O importante é saber como interpretá-los e reconhecer o que eles significam, de fato. Desse modo, será mais fácil lidar com eles e conseguir identificar eventuais oportunidades.

Como utilizar os gaps nas operações?

Até aqui, você descobriu o que é gap no mercado financeiro, conheceu seus tipos e viu por que ele geralmente acontece. Mas como é possível usá-lo a seu favor? Considerando o que acabou de ver sobre a função dele, é viável utilizá-lo na análise técnica.

Imagine que, com o uso do gráfico e a identificação do gap, você observe uma tendência de queda. Então, pode pensar em montar uma posição para aproveitar o movimento do mercado. O mesmo pode acontecer em uma tendência de alta.

A análise do volume de movimentações pode ajudar a entender como será o comportamento nos próximos momentos ou dias. Mas fique atento aos cuidados necessários. Antes de montar uma posição, é importante conferir se interpretou os sinais da melhor forma.

Como os gaps ocorrem de maneira esporádica e, potencialmente, por pouco tempo, o ideal é não considerá-los como definidores do cenário. Afinal, é provável que aconteça o retorno para o valor médio observado anteriormente.

Uma dica é conferir outros indicadores, como o volume. Se a nova força compradora ou vendedora for muito intensa, por exemplo, pode acontecer a reversão de tendência. Já se o volume for baixo, há maiores chances de que o cenário não se manterá.

Depois de entender o que é gap no mercado financeiro, você tem mais informações sobre como usar o conceito em sua análise gráfica. Como resultado, é possível ficar mais preparado para interpretar os movimentos de preços e saber como lidar com esses eventos esporádicos.

Quer entender mais sobre a renda variável? Conheça as principais estratégias de Ações na bolsa!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.