As transferências bancárias ainda têm entraves quando há envio para instituições, países e câmbios diferentes. A busca por mais eficiência nos envios de dinheiro é uma das missões de alguns criptoativos e, nesse sentido, vale a pena conhecer o que é Stellar.

Essa é uma das plataformas que apresentam maior nível de robustez e flexibilidade, características que a tornam promissora. Ao mesmo tempo, é necessário considerar riscos e diferenciais para tomar uma decisão eficiente quanto a um possível investimento.

Neste artigo, você poderá conferir o que é a plataforma Stellar e como ela e sua criptomoeda atrelada funcionam!

Vamos lá?

O que é Stellar?

A plataforma Stellar consiste em uma rede de pagamentos e transferências digitais de baixo custo e alta velocidade.

Um dos maiores objetivos da plataforma é romper as barreiras geográficas e burocráticas de transações internacionais. Isso é especialmente verdadeiro quando são feitas transferências entre câmbios diferentes.

Para que tudo seja possível, ela utiliza a tecnologia blockchain, que é a mesma utilizada em muitas moedas digitais, como o Bitcoin. Como consequência, oferece mais segurança, transparência e capilaridade para a atuação.

Como a plataforma funciona?

Saber o que é Stellar significa compreender também como essa estrutura funciona na prática. Para os usuários, ela permite definir o quanto se deseja transferir e para qual moeda.

Não é necessário fazer a conversão cambial e, ao mesmo tempo, o destinatário recebe a transferência no próprio câmbio. Isso só é viável porque a Stellar faz uma espécie de conversão com ajuda da sua moeda digital, que você conhecerá mais adiante.

O criptoativo serve como uma espécie de lastro. E graças a ele existe a movimentação entre os usuários. No momento de saída, a criptomoeda dá lugar ao câmbio final de interesse.

Para que a Stellar cumpra seu papel de fazer a interligação entre o ambiente físico e o meio digital, ela conta com o apoio de instituições financeiras conhecidas como âncoras. Além de bancos tradicionais, as fintechs podem atuar nesse sentido.

Esses negócios trabalham em parceria com a Stellar e servem como uma espécie de garantidores da operação. Com isso, tudo pode acontecer de maneira segura e previsível.

O que é a moeda Lumens?

Apesar de haver uma confusão rotineiramente entre os termos, a Stellar não é uma criptomoeda, e sim uma plataforma, como você acabou de ver. No entanto, tudo só funciona pelo uso de token de uma criptomoeda, que é a Lumens.

Portanto, ela é a moeda digital que é utilizada em uma espécie de troca, de modo a garantir que a transferência ocorra mesmo entre câmbios diferentes.

Assim como a Stellar, ela surgiu por volta de 2014, é descentralizada e utiliza a tecnologia blockchain. Por seu papel em cada transferência, é possível afirmar que ela é a razão de existir da plataforma, pois permite que tudo aconteça de maneira rápida e confiável.

Quais são as principais vantagens da plataforma e da moeda?

A plataforma Stellar é descentralizada, tem código aberto (open source) e permite a realização de milhares de transações por segundo, sem que os custos se elevem.

Essa característica também se soma a outros pontos, como a possibilidade de adotar a multiassinatura e a proteção anti-spam. Ao desencorajar o mau comportamento pela obrigatoriedade de um valor simbólico pelo uso da plataforma, toda a estrutura fica mais protegida.

Além disso, as transferências são extremamente rápidas, ainda que sejam entre dois câmbios completamente diferentes. Com os recursos e com a burocracia do modelo tradicional, seria impossível atingir esse nível de desempenho.

A princípio, algumas características da Stellar são semelhantes à Ripple, até porque tiveram a participação do mesmo desenvolvedor. No entanto, a Stellar já passou por alterações, que incluem questões de segurança, que a fizeram evoluir em um caminho diferente da Ripple.

Hoje, a equipe que compõe a Stellar é bastante experiente no mercado, além de ser menos corporativa que outras alternativas. A moeda Lumens, por exemplo, foi distribuída em sua quase totalidade de graça.

Quais são os riscos de mercado?

Quando falamos em criptoativos e suas plataformas, é preciso considerar que esses não são elementos regulamentados, como os ativos financeiros tradicionais. Por si só, isso pode aumentar o risco, já que não é possível prever se ocorrerá uma proibição no futuro.

Com a criptomoeda Lumens e com a plataforma Stellar, também há riscos quanto à valorização, à adoção e à capitalização — assim como com quase todo tipo de moeda digital.

No entanto, é importante considerar que, desde o começo, a estrutura é focada em desenvolver uma experiência consistente e segura. Sem ter sofrido ataques como outras estruturas, oferece um risco operacional potencialmente menor.

Quais são seus principais diferenciais?

Um dos maiores diferenciais dessa plataforma é o seu protocolo de consenso e validação. Enquanto outras utilizam recursos já conhecidos, como prova de trabalho ou de participação, a Stellar desenvolveu sua própria solução. Isso garante flexibilidade e escalabilidade, sem ignorar a confiança.

Ela também se destaca das outras porque não foca, necessariamente, em instituições bancárias já consolidadas. Ela tende a ser mais utilizada por empreendedores, empresas de tecnologia e mesmo indivíduos.

Sobre a moeda, um diferencial é que ela não apresenta processo de mineração. Apesar de não ser possível minerá-la, novos tokens são colocados em circulação a uma taxa constante inflacionária, o que ajuda a manter a saúde do ecossistema.

Vale a pena investir?

A Stellar já tem sido adotada por grandes empresas, como a Deloitte, em projetos específicos. Somando isso aos picos de valorização da criptomoeda, existe uma expectativa de consistência no mercado. Além disso, a tecnologia tem evoluído e os negócios têm se tornado cada vez mais digitais.

Desde que você tenha um perfil arrojado de investimento, pode ser interessante buscar esse criptoativo. Assim, você pode começar a participar do mercado.

A maneira mais segura de se expor a essas possibilidades é por meio dos fundos de investimento. Afinal, o mercado de moedas digitais não é regulamentado no Brasil – ao contrário dos fundos, que oferecem segurança institucional.

Seja qual for sua decisão, agora você já sabe o que é Stellar. Assim, você passa a conhecer uma das plataformas para transferências digitais mais robustas em termos de uso do blockchain.  Caso faça sentido para o seu perfil, o investimento pode ser uma forma de aproveitar essas características.

O que você achou dessa solução do mercado de criptoativos? Comente e participe do debate!