Os investimentos têm relação direta com as decisões econômicas realizadas por Governos. Assim, é preciso entender questões relevantes dos países para saber como fazer suas escolhas — principalmente se você pretende diversificar seu portfólio internacionalmente.

Mercados emergentes, como o Brasil, muitas vezes são considerados boas alternativas pelo potencial de crescimento econômico. Contudo, eles também apresentam riscos. Por isso, o ranking de liberdade econômica pode ser um aliado na hora de avaliar a situação.

Quer saber mais? Veja a seguir o que é o ranking de liberdade econômica e como ele pode afetar as suas decisões de investimento!

O que é o ranking de liberdade econômica?

Para começar, é fundamental entender a definição do termo liberdade econômica. Ele pode ser definido como a autonomia de os cidadãos de um determinado país exercerem as suas atividades e empreendimentos econômicos, sem se sujeitar a interferências de um agente — como o Governo.

Buscando uma forma de medir esse grau de liberdade econômica dos países, surgiram diversos índices. Entre eles, destaca-se o Index of Economic Freedom, produzido pela Heritage Foundation — um centro de pesquisa de políticas públicas norte-americano.

Por meio desse índice, a Heritage Foundation analisa 184 economias em todo o mundo. Então ela compartilha esses dados com o público através de um ranking de liberdade econômica, que está disponível no site da instituição.

Qual é a metodologia de análise do ranking de liberdade econômica?

Como você viu, o índice de liberdade econômica mais amplamente utilizado é o da Heritage Foundation. Por isso, vale a pena conhecê-lo. Ele é composto por 12 parâmetros, que são agrupados em 4 categorias.

Você verá a seguir quais são elas:

Estado de direito

Essa categoria contém os aspectos (1) dos direitos de propriedade, (2) da integridade do Governo e (3) da eficácia judicial. Isto é, ela avalia se as leis e os procedimentos se aplicam igualmente a todos ou se apenas um grupo de pessoas é favorecido.

Tamanho de Governo

No tamanho do Governo estão contidos os aspectos (4) do gasto governamental, (5) da carga tributária e (6) da saúde fiscal. Assim, são avaliadas questões como as despesas de todas as esferas governamentais, e as taxas e impostos no Produto Interno Bruto (PIB).

Eficiência regulatória

Já a categoria da eficiência regulatória contém a (7) liberdade empresarial, a (8) liberdade trabalhista e a (9) liberdade monetária. Ela diz respeito aos procedimentos para a abertura e o fechamento de uma empresa e a facilidade de realizar acordos contratuais, por exemplo.

Mercados abertos

A categoria mercados abertos contém os aspectos (10) da liberdade de comércio, (11) da liberdade de investimento e (12) da liberdade financeira. Ou seja, eles estão ligados ao grau de intervenção do Estado em relação à exportação e importação de bens, aos fluxos de capitais estrangeiros e à atuação das instituições financeiras.


A pontuação geral de cada país é obtida pela média aritmética desses 12 parâmetros, que variam em uma escala de 0 a 100 — com peso igual sendo dado para cada um. Assim, o ranking é organizado em 5 grupos de países:

  • economias livres: 100 – 80 pontos;
  • economias majoritariamente livres: 79,9 – 70 pontos;
  • economias moderadamente livres: 69,9 – 60;
  • economias majoritariamente não-livres: 59,9 – 50;
  • economias reprimidas: 49,9 – 0.

Quais são os países que compõem o ranking de liberdade econômica?

Como você viu, o ranking é composto por 184 nações. Na edição de 2021, os países que ocupavam as primeiras posições eram: Cingapura (89,7), Nova Zelândia (83,9), Austrália (82,4), Suíça (81,9) e Irlanda (81,4).

Por outro lado, estavam no fim da lista: Timor-Leste (44,7), Kiribati (44,4), Bolívia (42,7), Eritreia (42,3), Zimbábue (39,5), Sudão (39,1), Cuba (28,1), Venezuela (24,7) e Coréia do Norte (5,2). Iraque, Líbia, Liechtenstein, Somália, Síria e Iémen não puderam ser ranqueados por falta de dados.

Qual é a posição do Brasil no ranking de liberdade econômica?

No ranking mundial de liberdade econômica 2021, o Brasil ocupava a 143ª colocação. Entre os 32 países das Américas, ele estava na 24ª posição, ficando atrás de diversos vizinhos como Colômbia, Paraguai e Peru.

Sua pontuação geral de liberdade econômica foi de 53,4 — uma queda de 0,3, que ocorreu principalmente por causa de uma piora na liberdade de comércio exterior.

Acompanhe em detalhes a composição da nota do Brasil ranking mundial de liberdade econômica 2021:

  • direitos de propriedade: 55,0;
  • liberdade trabalhista: 50,7;
  • liberdade empresarial: 58,0;
  • integridade do Governo: 47,5;
  • eficácia judicial: 45,5;
  • liberdade de investimento: 60,0;
  • liberdade financeira: 50,0;
  • gasto governamental: 56,5;
  • carga tributária: 70,1;
  • saúde fiscal: 5,3;
  • liberdade monetária: 77,8;
  • liberdade de comércio: 64,6;

Qual o impacto do ranking nas decisões de investimento?

Após conhecer o ranking de liberdade, você pode estar se perguntando por que vale a pena entender sobre o assunto. Uma das principais razões é que ele pode servir de guia para os investimentos internacionais — especialmente quando o assunto são os mercados emergentes.

Isso porque certos economistas argumentam que o nível de liberdade econômica está relacionado ao desenvolvimento do país. Assim, países mais economicamente livres tendem a experimentar uma maior taxa de crescimento.

Consequentemente, as empresas desses países também têm a oportunidade de alcançar melhores resultados ao longo do tempo. Então quem investe nelas pode se beneficiar dessa valorização — especialmente no longo prazo.

Por outro lado, mudanças negativas no ranking de liberdade econômica podem ser um sinal para que os investidores diminuam a sua exposição a esses países. Afinal, isso pode significar que há problemas internos que podem colocar em risco o seu patrimônio.

Vale reforçar, contudo, que não é possível ter certeza sobre esses movimentos. A economia é dinâmica e os investimentos podem apresentar resultados imprevisíveis — especialmente na renda variável. Mas, quanto mais informações você tiver, mais embasada pode ser sua decisão.

Neste artigo, você viu o que é o ranking de liberdade econômica e como ele pode afetar as suas decisões de investimento. Portanto, é possível considerá-lo antes de investir em oportunidades nacionais e também internacionais.

Gostou do conteúdo? Continue aprendendo e complemente o seu conhecimento ao entender o que é Risco-país!