Quando se fala em investimentos, um termo muito citado é o aporte mensal. Você sabe o que o conceito significa? Essa é uma estratégia capaz de fazer com que seu patrimônio se multiplique ao longo do tempo. Por essa razão, é importante entender como ele funciona.

Além disso, é interessante saber em quais investimentos você pode utilizar o método para montar a sua carteira. Dessa forma, se torna possível potencializar os resultados do portfólio para conquistar os seus objetivos financeiros.

Quer saber como fazer isso? Então continue a leitura e confira 3 investimentos para você fazer aportes mensais!

O que é aporte mensal e como funciona?

O aporte mensal consiste na prática de fazer investimentos mensais. Dessa forma, com o tempo, a tendência é obter um crescimento potencializado do capital.

Na prática, ao contrário do aporte único, em que você investe recurso apenas uma vez, esse método funciona de modo contínuo. Portanto, é necessário separar uma parte da renda mensal para direcionar aos seus investimentos.

Com a consistência nos aportes e a exposição do capital aos juros compostos, os valores tendem a crescer para formar um patrimônio mais robusto.

Quais as vantagens de fazer investimentos todos os meses?

Você já sabe o que é e como funciona o aporte mensal. Porém, é possível que esteja se perguntando quais são as vantagens dessa estratégia. A primeira, como visto, se refere ao aumento do patrimônio, principalmente em longo prazo.

Ainda que os aportes sejam modestos, a ação do tempo ajuda a acumular um montante elevado. Por essa característica, o método é muito utilizado para os objetivos de longo prazo, como a aposentadoria.

Outra vantagem é que essa estratégia não exige valores elevados, mais comuns em aportes únicos. Assim, em vez de deixar os recursos parados, sem rendimentos, para investir apenas no futuro com um montante maior, é possível aproveitar o retorno durante todo o período.

Dessa maneira, você tem mais chances de conseguir o capital necessário para investimentos maiores no futuro. Ademais, a estratégia pode ser usada junto aos aportes únicos. Ou seja, após investir um valor elevado, fazer novos investimentos mensais ajudará a potencializar os resultados obtidos.

3 Alternativas para investir com aporte mensal

Após entender as vantagens do aporte mensal, chegou a hora de conhecer as alternativas para investir utilizando essa estratégia. A seguir, confira 3 investimentos, tanto de renda fixa quanto de renda variável, para aportar mensalmente!

1. Títulos públicos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma plataforma que disponibiliza os títulos públicos federais para que os investidores façam aportes. Eles são emitidos pelo Governo Federal para captar recursos que podem ser utilizados para financiar as suas atividades.


Logo, esses títulos são alternativas de renda fixa, permitindo que o investidor saiba como será calculada a rentabilidade obtida até a data do vencimento. Nesse caso, existem três tipos de títulos disponíveis:

  • Tesouro Prefixado: conta com um percentual de rendimento predeterminado, por exemplo, 8%;
  • Tesouro Selic: tem o rendimento atrelado às variações da taxa Selic;
  • Tesouro IPCA+: trata-se de um título híbrido, atrelado ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais um percentual prefixado.

É importante entender que existem diversos títulos com prazos e rendimentos diferentes. Além disso, o Tesouro Prefixado e o IPCA+ podem ter o pagamento de juros semestrais. Portanto, você não precisa esperar até o vencimento para receber os rendimentos.

Isso pode ser uma vantagem para quem deseja ter renda passiva semestralmente. Entretanto, é preciso entender que isso limita a ação dos juros compostos. Ao retirar o valor obtido com os juros, o montante começa a render novamente a partir do valor inicial.

Uma das vantagens dos títulos do Tesouro Direto é que eles têm liquidez diária, então o investidor pode resgatar o valor a qualquer momento. Porém, é preciso ter atenção à marcação a mercado, especialmente no prefixado e no IPCA.

Isso porque o título será recomprado pelo Governo considerando o valor de mercado na data da negociação, o que pode gerar perdas financeiras.

2. ETFs

Já na renda variável, vale considerar os fundos de índice (ETFs). Eles são fundos de investimentos, então funcionam como condomínios em que os investidores se reúnem para fazer um investimento. Assim, os recursos são alocados por um gestor profissional.

Em relação à estratégia, os ETFs têm como objetivo acompanhar o desempenho de determinado índice de mercado. Para isso, eles espelham a carteira teórica do indicador escolhido. Por exemplo, um ETF que tem o Ibovespa como referência, terá os mesmos ativos que compõem o indicador.

Para investir em um ETF é necessário ter uma conta em um banco de investimentos para acessar a bolsa de valores brasileira (B3), via home broker. Assim, é possível fazer novos aportes mensalmente, aumentando o número de cotas para potencializar os resultados alcançados.

3. Ações

As ações são investimentos de renda variável e se referem a frações do capital social de uma empresa. Portanto, ao adquirir os papéis, o investidor se torna sócio da companhia e terá direito de participar dos resultados obtidos.

É importante saber que você pode obter rendimento de duas formas principais ao investir em ações. A primeira é pelo ganho de capital na venda por um preço mais elevado na comparação com a compra. A diferença do valor nas negociações será o lucro.

Já a segunda possibilidade é por meio do recebimento de proventos, como os dividendos. Nesse caso, eles são a distribuição dos lucros da companhia aos acionistas, com porcentagem proporcional ao número de papéis que cada um possui. Porém, podem existir outros tipos de pagamentos feitos pelas companhias.

Também existem outras alternativas do mercado financeiro que podem ser usadas para quem deseja fazer aporte mensal. É o caso dos fundos imobiliários (FIIs), outros fundos de investimentos e títulos de renda fixa. Para conhecê-los, você pode contar com o apoio de uma assessoria de investimentos.

Com suporte profissional, você pode aprofundar os seus conhecimentos sobre o mercado financeiro e conhecer alternativas alinhadas ao seu perfil e objetivos. Assim, ficará mais fácil definir uma estratégia de alocação mensal que se alinhe às suas necessidades.

Como você viu, o aporte mensal pode potencializar os seus resultados na construção do patrimônio. Para isso, além dos 3 investimentos deste post, vale aprender mais sobre o mercado financeiro. Em caso de dúvidas, você pode contar com uma assessoria de investimentos para esclarecê-las.

Você sabe como funciona uma assessoria de investimentos? Entenda esse serviço e por que vale a pena contar com ele!