Renova Invest Facebook

Mercados emergentes para investir; conheça os principais!

Maiores investidores da bolsa brasileira
Maiores investidores da bolsa brasileira

Os mercados emergentes estão chamando a atenção dos investidores nos últimos tempos. São lugares que estão com a população em crescimento, mais recursos naturais, economia em expansão e potencial poder de consumo. Isso sem contar a possibilidade de evolução. Parece uma boa opção para diversificar seu carteira, não?

A seguir, saiba mais detalhes sobre os principais mercados emergentes e todo o seu potencial econômico. Vamos lá?

Os mercados emergentes são economias em desenvolvimento que estão crescendo rapidamente e com isso, se integrando à economia global. Mesmo que muitas características possam ser citadas, veja as principais para identificar um:

  • Recursos naturais abundantes e/ou variados
  • Abertura aos investimentos e às empresas estrangeiras
  • População em crescimento, expansão rápida do PIB e do PIB per capita
  • Empresas de capital aberto em boa posição de competição internacional
  • Desenvolvimento humano mediano
  • Crescimento econômico acelerado em vários setores, como tecnologia, energia, saúde, infraestrutura, commodities
  • Produtos e serviços demandados internacionalmente
  • Acesso à mão de obra relativamente barata
  • Grande mercado consumidor em expansão e demanda crescente por bens de consumo duráveis e serviços financeiros

No gráfico a seguir, veja também a posição de vários países conforme o PIB em 2022:

maiores economias do mundo

 

Importância dos mercados emergentes

Há um importância significativa na economia mundial, pois os mercados emergentes somam ao menos metade do PIB mundial. A estimativa é que até 2030, as maiores economias do mundo estarão nos países emergentes. Tanto que são uma fonte crucial na demanda e oferta de bens e serviços, e ainda uma fonte de investimentos.

Outro ponto bastante interessante é que os mercados emergentes podem impulsionar a criação de empregos e como consequência, reduzir a pobreza em muitas regiões do mundo. E quando falamos disso, não podemos deixar de citar os BRICS, que são o grupo de 5 países em expansão: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que respondem por cerca de 42% da população e 26% do PIB global.

Esses países desempenham um papel importante na economia mundial, como um contrapeso aos países que já são desenvolvidos. O grupo BRICS também colabora em diversas iniciativas, como a criação do Novo Banco de Desenvolvimento.

Quais são os principais mercados emergentes?

Conheça os principais países e algumas de suas características.

1. China

A China é a 2ª maior economia do mundo e concentra boa parte da população do mundo. (mais de 17% das pessoas do planeta estão na China). Entre 2013 e 2021, foi um país que contribuiu com mais de 30% do crescimento mundial, sendo que seu PIB têm crescido a uma taxa média de 6,6% ao ano. De acordo com o JPMorgan, a China deve superar os EUA como maior economia do mundo em 2027.

2. Brasil

Nosso país é a maior economia da América Latina e se apresenta como uma economia diversificada. Isso sem contar os recursos naturais e commodities abundantes, que são desejadas pelos principais compradores internacionais. O Brasil chama a atenção dos investimentos pelas oportunidades de expansão, é um fator que pode impulsionar outros segmentos econômicos.

3. Índia

A Índia assume o top 3 e  vem implementando reformas econômicas em todo o país. Com uma grande população, é um país que tem um dos principais mercados consumidores do mundo. Além disso, se destacam pelo rápido crescimento em setores como serviços de tecnologia e serviços de TI, e sua expansão é tanta que a economia da Índia tem quase o dobro do tamanho da brasileira.

4. África do Sul

É um país que faz parte dos BRICS e ainda tem maior economia da África. É um mercado emergente com recursos minerais em abundância e um setor de serviços em crescimento. Mesmo com todos os desafios e graves problemas de desigualdade social, a África do Sul é vista como uma importante potência regional e também global, pois possui um bom potencial para liderar áreas como desenvolvimento sustentável, comércio, inovação.

5. Rússia

Já a Rússia é um país com uma economia diversificada e com grande peso em ciência, tecnologia e artes. Possui um papel de destaque como produtor de recursos naturais, como petróleo e gás, além do centro de inovação em áreas como aeroespacial e energia nuclear. Porém, não dá para negar a enorme desvantagem por conta das sanções que o país sofreu por conta da invasão à Ucrânia no ano passado.

6. México

O México possui a 2ª maior economia da América Latina, sendo que o seu PIB bateu US$ 1,32 trilhão em 2022, enquanto a sua contribuição para o PIB mundial é de 1,273%. É país importante como produtor de petróleo, alimentos, minerais, serviços financeiro e produtos manufaturados. Ademais, também possui uma boa indústria turística.

7. Indonésia

Um ótimo ponto da Indonésia é que é um dos principais mercados consumidores e de atração de investimentos localizado no sudeste asiático. Em 2022, a economia do país fechou com um crescimento expressivo de 7% no acumulado do ano. Seu maior destaque é em commodities como produtor de petróleo, gás natural e produtos agrícolas, e também tem um setor manufatureiro em desenvolvimento.

8. Cingapura

A Cingapura mais do que quadruplicou seu PIB desde o início dos anos 2000. Esse rápido crescimento é um ótimo sinal e atrai a atenção de investidores internacionais. É um país com grande importância no centro financeiro e de negócios na região, sendo uma indústria de tecnologia em expansão.

9. Malásia

Já a Malásia é um país em que sua economia se aproxima de chegar a ser 4 vezes maior do que era há 20 anos. Tem um papel importante em commodities, como óleo de palma e borracha. Um ponto interessante é que o PIB de todo o ano de 2022 foi 8,7% maior do que em 2021, sendo o crescimento anual mais rápido em 22 anos e ainda superando a previsão do governo de 6,5% a 7%.

10. Turquia

Em décimo lugar vem a Turquia, que inclusive possui sua posição estratégia entre a Europa e a Ásia. Sua economia é diversificada e em rápido crescimento, guiada por setores como a indústria automotiva, a construção e o turismo. No ano passado, o país cresceu sólidos 5,6%, mesmo com a inflação fora de controle.

Vantagens e desvantagens de investir em países emergentes

Os mercados emergentes possuem o lado bom e o lado ruim, assim como tudo na vida. Por isso, antes de investir, é bom se inteirar de todos os fatores. Por exemplo, uma das vantagens é que oferecem diversificação de portfólio, ou seja, permite que reduza a exposição a riscos.

Além disso, outros benefícios são:

  • Diversificação geográfica: a distribuição do patrimônio que vá além de EUA e Europa
  • Crescimento rápido: são países que possuem um alto potencial de expansão econômica acelerada
  • Diversificação setorial: a possibilidade de aplicação de recursos em setores não existentes ou fracos em países desenvolvidos
  • Mercado consumidor: as empresas que atuam nos emergente acabam por se beneficiar do poder de consumo.

É um tipo de investimento que engloba desafios. Então as desvantagens são:

  • Questões de infraestrutura e logística
  • Volatilidade cambial e inflação
  • Incerteza jurídica e tributária
  • Instabilidade política e econômica
  • Riscos com burocracia e corrupção
  • Riscos de governança corporativa e regulamentação

 

Para saber mais sobre o mercado financeiro, acompanhe nossos conteúdos no YouTubeInstagram e LinkedIn!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.