Na classe da renda fixa, as debêntures podem ser uma alternativa para quem deseja diversificar a carteira. Entre os tipos disponíveis, estão as debêntures de infraestrutura — que têm algumas particularidades importantes.

Por isso, para saber se esse investimento faz sentido para a sua estratégia, é necessário entender o que ele oferece e como se diferencia dos demais. Quer conhecer mais sobre as debêntures de infraestrutura?

Confira a seguir as principais informações sobre essa aplicação!

O que são debêntures?

As debêntures são títulos privados de renda fixa. Elas são emitidas por empresas públicas ou privadas para fomentar seus projetos. O processo de investimento é semelhante a emprestar dinheiro para as organizações.

A empresa se compromete a pagar o valor de volta com juros, conforme os critérios definidos no aporte. Assim, o funcionamento é semelhante à renda fixa no geral — mas geralmente há maiores riscos e maior potencial de retorno.

As debêntures também costumam ter data de vencimento a partir de 2 anos, sendo uma alternativa para investimentos de médio e longo prazo. A liquidez tende a ser baixa — então o resgate antes do prazo do vencimento pode impactar os resultados.

Veja mais características!

Custos do investimento

O investidor conta com diferentes tipos de debêntures. Nas comuns, existe cobrança do Imposto de Renda (IR). A alíquota é regressiva — ou seja, quanto maior o tempo da aplicação, menor é a alíquota.

Fica da seguinte maneira:

  • até 2 anos — 35%;
  • 2 a 4 anos — 30%;
  • 4 a 6 anos — 25%;
  • 6 a 8 anos — 20%;
  • 8 a 10 anos — 15%;
  • acima de 10 anos — 10%.

Além disso, podem existir outros custos no investimento relacionados à instituição financeira.

Conheça os principais passos para conquistar a sua liberdade financeira Renova Invest

Baixe nosso e-book elaborado por especialistas




Rentabilidade

Também é importante saber como é a rentabilidade das debêntures. Como os demais títulos da renda fixa, esse investimento pode ter seus rendimentos determinados por três critérios:

  • prefixado — a rentabilidade é fixa e conhecida no momento do aporte;
  • pós-fixado — os resultados ficam condicionados a algum índice, como a taxa Selic ou CDI (Certificado de Depósito Interbancário);
  • híbrido — mescla as duas anteriores, com uma taxa fixa e acrescida da rentabilidade de algum indicador, como o IPCA (inflação).

O que são debêntures de infraestrutura?

Como você viu, existem diversos tipos de debêntures no mercado. Os dois grupos principais são debêntures comuns e incentivadas (ou de infraestrutura). Os títulos desse segundo tipo foram criados pelo Governo Federal.

O objetivo é incentivar as obras de infraestrutura e inovação, como rodovias, aeroportos etc., pois elas beneficiem o país. Por conta disso, o tipo de investimento é regulamentado pela Lei 12.431/11 e tem como principal característica a isenção do IR — que incide sobre as debêntures simples.

Esses títulos podem ser emitidos por concessionárias, arrendatárias ou permissionárias autorizadas a explorar serviços públicos. Além da classificação em simples ou incentivada, as debêntures também podem ser agrupadas em três categorias principais:

  • conversíveis — podem ser convertidas em ações da companhia;
  • não conversíveis — não podem ser convertidas em ações;
  • permutáveis — podem ser convertidas em ações, além de ser possível optar por uma empresa diferente daquela em que o aporte foi feito.

Como funciona o mercado de infraestrutura no Brasil?

Para compreender melhor sobre as debêntures incentivadas, é interessante saber como funciona o mercado de infraestrutura no Brasil. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) historicamente era o principal financiador dos projetos do setor.

No entanto, as sucessivas crises enfrentadas pelo país nos últimos anos resultaram em uma redução de recursos e a perda do seu protagonismo. Assim, a participação de investidores se tornou essencial para suprir a necessidade de dinheiro.

Nesse cenário, os investimentos em debêntures de infraestrutura estão em crescimento. Mas um dos desafios é a disponibilidade de projetos aprovados, já que a empresa precisa atender a alguns requisitos para se enquadrar.

Existe um esforço do BNDES para estimular essas propostas e auxiliar no enquadramento. Além disso, o mercado passa por um amadurecimento, com a tentativa de oferecer mais segurança ao investidor, ao mesmo tempo em que busca atender às necessidades sociais e ambientais.

Quais são os riscos das debêntures incentivadas?

Em relação aos riscos, é importante destacar que as debêntures não são cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Dessa forma, não se tem a proteção do aporte em caso de falência ou calote da empresa.

Nesse sentido, como são investimentos de médio e longo prazos, é fundamental analisar criteriosamente a empresa emissora do título e o seu contexto, para evitar riscos de perdas. Assim, o investidor deve observar a consistência do projeto e as perspectivas para o futuro.

Também vale verificar a sua disponibilidade para manter o dinheiro até o prazo do vencimento. Isso porque existe o chamado risco de liquidez. Ou seja, resgates antecipados podem não ser possíveis ou trazer prejuízos.

Quais são as vantagens desse investimento?

As debêntures, em geral, têm o potencial de oferecer rendimentos mais atrativos em relação aos demais títulos da renda fixa. Além dessa vantagem, outro benefício presente na debênture de infraestrutura é a isenção do IR.

Isso reduz as cobranças sobre os ganhos e pode oferecer maior lucro líquido. No entanto, para determinar se esse é um bom investimento para compor a sua carteira, é preciso analisar seu perfil e sua estratégia.

Como investir em debêntures de infraestrutura?

Agora que você já entende o que são e como funcionam as debêntures de infraestrutura, é preciso saber como fazer os aportes nessa alternativa. Caso faça sentido na sua carteira, conheça duas formas de investir!

Adquirindo títulos

Os títulos de debêntures incentivadas podem ser adquiridos nas plataformas dos bancos de investimentos. É possível adquiri-los pelo mercado primário, nas emissões distribuídas pelas empresas, ou no mercado secundário — comprando de outros investidores.

Investindo em determinados fundos de investimentos

Os fundos de investimentos são uma alternativa para quem deseja a exposição indireta às debêntures. Trata-se de um investimento coletivo, em que um gestor profissional seleciona os títulos para compor uma carteira.

Para se expor a eles, o investidor deve comprar cotas do fundo. Os fundos podem ter diferentes objetivos. Então, se a sua intenção é focar em debêntures incentivadas, é preciso analisar as opções com essa proposta.

Como você viu, as debêntures de infraestrutura exercem um papel importante no desenvolvimento do país e representam uma oportunidade para investir. Porém, é preciso analisar se a alternativa faz sentido para o seu caso!

Se precisar de ajuda para entender o mercado financeiro, você pode contar com a assessoria de investimentos. Converse com a Renova Invest e veja como funciona!