Investimentos, em especial os da renda variável, estão sempre atrelados a riscos. Ao compreender isso, é comum que os investidores busquem por constantes maneiras de atenuá-los. Nesse momento, o stress test pode ser de grande ajuda.

Também conhecido como teste de estresse ou teste de stress, essa ferramenta é bastante ampla. Ela ajuda tanto negócios quanto investidores de diferentes segmentos e perfis a prever riscos. Porém, para aproveitar todo seu potencial, é preciso usá-la corretamente.

Continue a leitura e saiba mais sobre o significado de stress test!

O que é o stress test?

No mundo das finanças, não existe investimento isento de risco. Há produtos que apresentam maior segurança, como é o caso de títulos da renda fixa.

Ainda assim, é sempre importante atentar aos fatores internos e externos que impactam organizações e investimentos.

Alguns deles são:

  • cenário político;
  • taxa de câmbio;
  • juros;
  • inflação;
  • mercado global;
  • finanças públicas;
  • nível da taxa de juros;
  • crescimento do PIB etc.

Na hora de montar uma carteira de investimentos, muitos investidores tendem a pensar na relação entre risco e retorno. Afinal, é comum ler e ouvir que riscos maiores estão atrelados a possibilidades de retornos mais robustas.

Apesar da afirmação não ser, necessariamente, falsa, é importante tomar cuidado. Afinal, a rentabilidade não é o único fator que importa e não deve levar o investidor a correr mais risco do que o desejado no seu perfil. O stress test pode ajudar nessa análise.

Em poucas palavras, ele diz respeito a um teste realizado por empresas, bancos, gestoras e investidores. Ele atua como uma forma de verificar o patrimônio em questão, buscando compreender como ele seria afetado pelos cenários citados.

Desse modo, seu processo é capaz de avaliar a vulnerabilidade de um ativo ou de uma carteira. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), inclusive, determina que esse teste seja feito por parte de gestores. E que o resultado seja periodicamente informado aos investidores.

Como ele funciona?

O teste de stress considera o valor do portfólio em questão e aplica diferentes cenários. O objetivo é avaliar situações que podem gerar, conforme o nome indica, estresse aos gestores e aos resultados esperados. Para isso, é atribuído um peso para cada variável testada.

Pense em uma instituição financeira que oferece crédito. Nesse caso, há o risco de inadimplência por parte dos solicitantes — e esse fator pode prejudicar o retorno de suas atividades.

Ao realizar o teste, a instituição descobre o quão vulnerável a possível inadimplência a torna. Isso possibilita que ela atenue os riscos. Além disso, ao compreender o quão robustas suas carteiras estão, pode manter o negócio girando mesmo em meio a crises e problemas.

Porém, conforme dito, o teste não é restrito às instituições financeiras. E, como cada empresa conta com suas próprias particularidades — que, por sua vez, estão atreladas a riscos específicos, é possível dizer que não existe um funcionamento padrão para o stress test.

Portanto, cada empresa deve analisar suas condições individuais. Ou seja, deve observar o histórico do que tem acontecido ou pode acontecer no negócio quando ocorrem mudanças nas variáveis apresentadas.

Como utilizar o stress test nos investimentos?

Você entendeu o que é stress test e como ele pode impactar uma empresa. Mas, e o investidor? O teste também pode ser usado na hora de ajudar quem investe a conhecer, avaliar e minimizar seus riscos.

Para isso, é necessário analisar os ativos presentes em seu portfólio de investimentos. Considere, por exemplo, uma Ação. Em um momento de baixa atividade e com recuperação lenta do PIB nacional, é possível que algumas Ações se desvalorizem, certo?

De modo a saber como isso pode impactar sua carteira, é possível aplicar o stress test. Assim, você poderá avaliar como essa Ação se comportou em outro momento histórico semelhante ao vivido.

No Brasil, um período de baixa atividade e lenta recuperação do PIB ocorreu em 1999, por exemplo. Logo, se você atentar às mudanças sofridas pelo ativo (ou ativos similares), poderá ter uma noção mais clara do que esperar.

Nesse momento, será necessário trabalhar com probabilidades. Ou seja, imaginar quais são as chances de determinado cenário tomar forma e afetar seus investimentos.

Você pode fazer isso com todos os produtos de seu portfólio, sempre buscando avaliar quais panoramas tendem a impactar cada um. Com isso, poderá antecipar surpresas e proteger seu patrimônio.

Por fim, quem investe em Ações também pode conferir os testes de estresse publicados por empresas. Eles são termômetros relevantes para amparar suas análises. Também é possível encontrá-los no caso de Fundos de Investimento Imobiliário, por exemplo.

Por que vale a pena utilizá-lo na hora de investir?

O stress test é útil, especialmente, para quem investe em renda variável. Isso porque ajuda no objetivo de manejar os riscos relacionados à bolsa de valores. Além disso, ele pode trazer outras duas vantagens aos investidores.

Conheça-as a seguir!

Estimular a visão crítica

Ao avaliar constantemente a robustez de sua carteira, você apura sua visão crítica. Assim, terá uma noção mais acertada das tendências do mercado financeiro, podendo antecipar situações antes de investir.

Com isso, poderá saber quais ativos tenderão a estar sempre mais vulneráveis a determinados cenários. Então pode montar uma estratégia de investimento que vise a driblar esses riscos. Por fim, aumentará as chances de conquistar resultados mais alinhados às suas expectativas.

Conhecer os produtos da sua carteira melhor

Junto com a visão crítica, o stress test permite conhecer melhor seu portfólio. Títulos da renda fixa, por exemplo, nem sempre estão sujeitos às mesmas variáveis que as Ações.

Ao analisar os riscos relacionados a cada um deles, você poderá entender como fatores internos e externos impactam cada produto de sua carteira de investimentos. Logo, será capaz de investir com mais consciência.

É importante saber, ainda, que existem ferramentas que automatizam o processo do teste de estresse, como alguns simuladores de investimentos. Um assessor qualificado também pode ajudá-lo nesse sentido.

Como você viu, ferramentas como o stress test são interessantes na hora de atenuar riscos. Porém, não são capazes de anulá-los. Lembre-se de sempre alinhar os investimentos ao seu perfil e objetivos. Desse modo, você gere os riscos e administra melhor suas expectativas!

Se interessa pela temática de riscos? Então saiba o que é risco operacional e como ele pode afetar seus investimentos!