O que é e como funciona o Tether (USDT)?

O que é e como funciona o Tether (USDT)?

É muito comum que as criptomoedas apresentem ao menos um problema recorrente: a alta volatilidade. Para atenuar essa característica, diversas iniciativas foram criadas. E quem deseja conhecer algumas delas precisa entender o que é tether.

Nem todos os projetos criados com essa missão obtiveram sucesso em sua trajetória. Aqueles que foram bem-sucedidos ficaram conhecidos como stablecoins – ou moedas estáveis, em português. Mas qual será a estratégia utilizada por esses criptoativos?

Neste artigo, você conhecerá uma das principais stablecoins da indústria de ativos digitais – conhecido como theter. Continue a leitura para entender o que é tether (USDT) e como ele funciona. Vamos lá?

O que é tether?

Theter é uma moeda digital classificada como stablecoin. Ele visa ser um ativo virtual estável e capaz de sofrer menos com as variações de preço do que a maioria das criptomoedas disponíveis no mercado.

O motivo é que o seu lastro é (ou planeja ser) baseado em uma moeda fiduciária. Isso significa que uma moeda corrente e usada no dia a dia é utilizada como garantia de valor. No caso do tether, o dólar americano.

Qual sua história?

O tether foi lançado em 2014 pelo desenvolvedor de softwares Craig Sellers, o investidor de bitcoin Brock Pierce e o empresário Reeve Collins. O nome original era realcoin. Seus tokens são emitidos pela Tether Limited.

A criptomoeda foi inicialmente emitida no protocolo bitcoin através do Omni Layer Protocol. Depois, migrou para outras blockchains. Assim como aconteceu com muitas moedas digitais ao redor do mundo, o tether passou por momentos de sucesso – e também por controvérsias.

Após os primeiros dias de lançamento, o preço do USDT apresentou uma volatilidade significativa. Por outro lado, a moeda digital exibiu muito menos oscilação desde o início de 2019.

Provavelmente, o motivo para isso é o avanço geral dos mercados de criptomoedas e o aumento constante em seu volume de trades – ou operações especulativas.

Como funciona?

Como você viu, o tether funciona como uma stablecoin. Isso significa que ele está atrelado à moeda fiduciária. Originalmente, a criptomoeda foi vinculada com a proporção exata em relação ao dólar americano. Ou seja, US$1 equivale a cada USDT em circulação.

Para isso, a Tether Limited deve aceitar os depósitos das moedas fiduciárias de seus clientes, emitindo o valor correspondente em tethers. Além disso, ela é responsável por fazer o saque das moedas fiduciárias e cancelar as criptomoedas correspondentes.

A empresa também deve manter em custódia as reservas fiduciárias. São elas que suportam todos os tethers em circulação no mercado. Outra obrigação da companhia é divulgar, regularmente e publicamente, os documentos das atividades de Proof of Reserves, além de outros resultados de auditorias.

A moeda digital foi desenvolvida sobre a rede bitcoin blockchain, visando garantir a segurança das operações. Dessa forma, tether é uma criptomoeda token e possui as mesmas aplicações do bitcoin como moeda digital.

Vale destacar, no entanto, que, ao contrário do bitcoin e de outras moedas digitais, o tether não pode ser gerado através do processo de mineração.

Quais são suas principais características?

O tether possui algumas características que os diferenciam das demais moedas digitais em circulação no mundo. A primeira delas é a proporção 1:1 entre dólar e USDT. Outra particularidade importante é a estabilidade.

Afinal, como você viu, as stablecoins são úteis porque são relativamente estáveis, ao contrário dos criptoativos tradicionais. No entanto, não existe nenhuma moeda corrente no mundo que possua correspondência 1:1 com o dólar. É por esse motivo que a paridade teórica do tether é contestada.

Vale destacar que, desde o seu lançamento, nunca foram dadas explicações convincentes sobre como os métodos ou processos de obtenção de paridade seriam executados. O tether também tem o objetivo de suportar o crescimento da rede blockchain bitcoin em longo prazo.

Além de ser utilizado como forma de pagamento entre usuários e comerciantes, o tether possui outras potenciais aplicações. Entre elas, estão a transferência instantânea entre diversas exchanges e o uso de contratos inteligentes com capacidade para multi-assinaturas.

Quais as vantagens dessa stablecoin?

Você já sabe o que é o tether e quais suas principais características. Agora, vale a pena entender quais as vantagens dessa moeda digital.

As vantagens do tether estão diretamente relacionadas com a sua facilidade para quem quer investir em dólar. Isso vale especialmente para quem quer evitar as taxas e a demora para comprar as moedas.

Com o USDT, é muito mais prático e fácil adquirir dólar, além de ser mais simples fazer a conversão para o real. A criptomoeda também facilita a transação internacional de valores.

Afinal, ela permite que as operações sejam feitas com muito mais velocidade, menos complicações e menores taxas do que as realizadas pelo sistema financeiro tradicional. O USDT também ajuda no momento de comprar e vender bitcoin no par com o dólar.

Inclusive, a maior parte das operações de curto e curtíssimo prazo realizadas com bitcoins são feitas em tether justamente devido a essas facilidades. Isso faz com que a stablecoin seja uma importante fonte de liquidez para o mercado.

E quais os riscos?

Apesar das vantagens, existem muitos riscos envolvidos quando o assunto é operar no mercado de ativos digitais. Primeiro, o mercado de criptomoedas funciona 24 horas por dia. Portanto, é possível que você compre uma moeda por um preço e, por causa de algum evento no outro lado do mundo, seu preço caia consideravelmente no mesmo dia.

Essas oscilações são muito comuns e são referentes à volatilidade dos ativos. Mesmo que o tether seja mais estável nesse sentido, é importante ter em mente que esse tipo de investimento ainda é de alto risco.

Por isso, é fundamental analisar o seu perfil de investidor e os seus objetivos antes de operar criptomoedas. Vale ressaltar ainda que nenhuma moeda digital é regulamentada no Brasil. isso aumenta o risco de golpes.

Contudo, se você tem interesse em se expor a esse mercado, pode optar por adquirir cotas de fundos de criptomoedas. Estes, sim, são veículos de investimento regulamentados – e podem permitir a exposição às moedas digitais com maior segurança.

Concluindo

Agora que você sabe o que é tether pode entender que a sua estabilidade de preço é a principal razão para ele ter se tornado uma opção popular para realizar transações.

O sucesso da criptomoeda permitiu que os usuários conseguissem evitar a volatilidade de outros ativos digitais e não corressem tantos riscos de perdas significativas enquanto realizam as operações.

Contudo, apesar das suas características particulares, é fundamental ter em mente que, assim como outras criptomoedas, o theter não é regulamentado no Brasil. E que existem riscos envolvidos em negociar esta moeda digital diretamente.

E você, está pensando em investir em criptomoedas, mas ainda tem dúvidas sobre o assunto? Entre em contato conosco e converse com um de nossos assessores!

(Visited 43 times, 1 visits today)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta


Mais Lidos

Postagens Relacionadas

Categorias

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.