As moedas virtuais têm ganhado espaço no mercado financeiro. Se você busca alternativas ao bitcoin, precisa saber o que é dash. Essa criptomoeda pode ser usada para pagamentos online e pode ser vista como uma oportunidade de investimento ou de especulação.

Seu nome deriva de digital cash e ela tem uma organização autônoma e descentralizada. Sua blockchain permite que as transações ocorram com agilidade e a preços mais baixos se comparada ao bitcoin.

Quer saber mais? Continue a leitura e entenda o que é dash e quais são as particularidades dessa criptomoeda!

O que é dash?

Dash é uma criptomoeda peer-to-peer de código aberto que segue o modelo de organização autônoma descentralizada. Ela é uma bifurcação do bitcoin e tem o objetivo de garantir a privacidade, velocidade de transação e anonimato.

O dash foi criado a partir de uma versão modificada do sistema do bitcoin. Por esse motivo, suas funcionalidades são muito parecidas. O projeto do dash é open source, ou seja, qualquer pessoa pode implementar o software da moeda para realizar pagamentos, enviar e receber dash.

História

O dash foi criado por Ryan Taylor e lançado inicialmente em 2014. A criptomoeda tinha foco no anonimato e na privacidade dos usuários. Embora ainda conte com um sistema de encriptação sólido, o objetivo do projeto passou por reajustes.

A finalidade principal agora é fornecer um meio acessível e conveniente para realizar pagamentos diários de diversos produtos e serviços. O dash visa ser uma alternativa prática aos cartões bancários e ao dinheiro.

Ele também proporciona uma solução robusta para remessas internacionais, principalmente em países onde a liberdade financeira é limitada. A moeda virtual oferece liberdade e controle aos usuários para que eles possam enviar ou receber dinheiro em qualquer lugar, para qualquer pessoa.

Com isso, não é necessário lidar com a burocracia, as complexidades das taxas de câmbio, os atrasos e as cobranças que aumentam a carga financeira.

Principais características

A criptomoeda dash não possui a prática de pré-mineração. Ela utiliza o algoritmo de hash 11, que permite minerar por diferentes plataformas. Um bloco é minerado, em média, a cada 2,6 minutos, e possui tamanho de 2 MegaBytes por bloco – o que equivale a cerca de 56 transações por segundo.

A rede é descentralizada, com dois níveis baseados em nós mestre. Para garantir um anonimato superior, o dash utiliza PrivateSend. Já para realizar transações de forma instantânea, utiliza InstantSend.

Com a governança descentralizada por blockchain, o dash permite que os donos de nós mestre votem em decisões que afetam a moeda, como propostas de despesas.

Essa moeda digital já fez parte da lista de ativos do índice HDAI. O indicador foi criado pela gestora Hashdex, especializada em criptoativos. Ele funciona como benchmark para quem deseja avaliar seus investimentos nessa modalidade.

Vantagens e riscos do dash

Além da descentralização, o dash oferece uma série de vantagens exclusivas para os usuários. Entre elas, está a ampla aceitação como moeda. Diversos comerciantes o aceitam, permitindo que os usuários comprem serviços e produtos em qualquer lugar do mundo usando tokens do dash.

Outra vantagem é que a taxa média de transação do dash ainda é baixa, o que significa que os usuários não precisam pagar muito pelo uso da conveniência e pela eficiência da moeda virtual. Você também pode comprar a criptomoeda facilmente em exchanges, de forma online.

Além disso, é fácil receber a moeda de outros usuários. O dash também oferece um aplicativo móvel para diferentes plataformas, com o objetivo de trazer mais conveniência e recursos para o dia a dia.

Ao contrário do bitcoin, que pode levar alguns minutos para processar as operações, a rede dash valida as transações em apenas poucos segundos. Isso torna as compras, por exemplo, muito mais rápidas e fáceis.

Além dos consumidores, o dash também oferece diversos benefícios para as empresas. Entre eles, estão o acesso a novos mercados e clientes, estornos zero e acordos instantâneos.

O maior risco do dash, no entanto, é com relação à volatilidade. O preço das criptomoedas, normalmente, pode aumentar ou diminuir rapidamente e de maneira imprevisível. Isso significa que você deve ter cuidado com seus investimentos.

Também é importante se manter atualizado sobre novos desenvolvimentos para garantir que você tome decisões mais acertadas. Afinal, seja para investimento ou para especulação, o risco é alto, mas pode resultar em alta recompensa.

Diferenças para outras criptomoedas

As principais diferenças do dash para outras criptomoedas – especialmente o bitcoin – estão nas suas funcionalidades. Ao contrário do concorrente, o dash introduziu os masternodes para incentivar os consumidores com pagamentos para proteger a rede e adicionar recursos.

Já o InstantSend usa o recurso instantX Masternode para enviar e realizar transações em segundos. O PrivateSend é outra estratégia interessante, pois permite que os usuários da criptomoeda dash optem pela privacidade total em suas transações.

Ao contrário do bitcoin, em que as contribuições são voluntárias e não incentivadas, uma parte de cada bloco do dash é alocada no Orçamento de Desenvolvimento e Promoção de Rede. Com isso, os desenvolvedores e promotores da moeda recebem pagamentos por suas contribuições.

Depois de entender o que é dash, você pode analisar se a criptomoeda representa uma oportunidade para investir ou especular. Para isso, é importante conhecer o seu perfil de investidor e definir os seus objetivos.

Lembre-se de que, no Brasil, o mercado de moedas digitais não é regulamentado. Para acessá-lo com maior segurança, pode valer a pena investir via fundos de criptomoedas.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais! E, se precisar de ajuda para conhecer as alternativas do mercado, entre em contato conosco!