Para que a economia funcione, é preciso que ocorra a lei da oferta e demanda ou oferta e procura. Trata-se de um conceito essencial para que se determinem os preços e a quantidade do que é ofertado ao público.

Conhecidas como forças do mercado, os movimentos de compra e venda podem provocar aumento ou redução do preço de bens, mercadorias e ativos financeiros. Assim, afetam seus investimentos — fazendo a rentabilidade subir ou cair, por exemplo.

Quer entender melhor o significado desses conceitos e como isso se relaciona com o mercado financeiro? Confira as informações a seguir!

Qual o significado de oferta e demanda?

Podemos definir que a oferta é a quantidade de qualquer item ou mercadoria disponível no mercado. Ou seja, eles estão disponíveis para que os consumidores possam comprar. Esse aspecto depende do preço, da quantidade produzida e de outros fatores de fabricação e comercialização.

Já a demanda é o interesse dos consumidores por um produto ou serviço. Isso também dependerá do preço, da qualidade, da facilidade para a aquisição, entre outros pontos.

Dessa forma, entende-se que a relação entre os conceitos — a lei da oferta e da procura — é o que influencia o preço de determinado produto.

Por exemplo, caso os consumidores passem a consumir mais o item, é esperado que o preço se eleve. Em contrapartida, se um produto fica esquecido na prateleira, a tendência é que seu preço seja reduzido.

Algo semelhante acontece nos investimentos. Se há alta procura por ele, a força compradora empurra os preços para cima. Se a procura é menor e a oferta é maior, as cotações apresentam queda.

Como surgiu a lei da oferta e da demanda?

A relação entre oferta e demanda surgiu na transição da Europa feudal para o modelo de economia de mercado. O conceito foi citado pela primeira vez na obra “A Riqueza das Nações”, de Adam Smith, em 1776.

Como você pode ver, é um termo de longa data e ainda fundamental para as oscilações econômicas que observamos. Segundo Smith, existiria uma “mão invisível do mercado”, que regularia a oferta e demanda.

Isso seria proveniente das relações entre as forças compradoras e vendedoras. Assim, uma economia estaria equilibrada quando a quantidade da oferta fosse igual à quantidade da demanda. Esse é um cenário em que não há excesso nem escassez.

Contudo, isso não é possível no mundo real, especialmente em um longo prazo. Afinal, não há como prever qual será o interesse e decisão de compra do consumidor. Há ainda outros aspectos que afetam esse ponto de equilíbrio, como novos concorrentes, crises econômicas, etc.

Como funciona a lei da oferta e demanda no mercado financeiro?

Até aqui você acompanhou como a oferta e demanda afeta principalmente os preços de bens, produtos e serviços comercializados. Porém, também viu que a mesma lógica se aplica ao mercado financeiro.

Isso pode ser visto, em especial, na renda variável. Imagine o mercado de ações: quando muitos investidores estão interessados nos papéis de uma companhia, a tendência é que o preço do ativo suba no mercado.

Entretanto, se essa empresa apresenta algum fator que diminua sua atratividade, por exemplo, o interesse pode diminuir. Assim, o número de pessoas vendendo aumenta e não é acompanho pelo aumento de compradores.

Logo, as ações pode ter seu preço reduzido. Quando se fala de bolsa de valores, essas oscilações entre oferta e demanda podem se modificar rapidamente. Em poucos minutos uma ação pode apresentar oscilações para cima e para baixo.

Entenda o que influencia a lei de oferta e demanda no mercado financeiro:

Fatores macro e microeconômicos

Um dos pontos que influencia no interesse para as ações é a qualidade da empresa. Se um negócio aumenta sua margem de lucro ou participação no mercado, por exemplo, pode atrair mais investidores.

Do contrário, se a empresa passa por algum momento difícil, pode distanciar interessados. Além disso, há fatores macroeconômicos. Por exemplo, o preço de uma ação pode ser influenciado pelo aumento do Produto Interno Bruto (PIB), a inflação e demais variações da economia.

Em situações de instabilidade econômica, por exemplo, a procura pelas ações pode cair. Nessa ocasião, muitos investidores buscam investir seus recursos em opções de menor risco.

Qual o impacto da lei da oferta e demanda no mercado financeiro?

Depois de entender como essa lei se faz presente no mercado financeiro, vale saber também de que forma ela pode impactar o cenário.

Confira dois pontos em que ela se faz presente!

Liquidez dos investimentos

Uma das questões a se observar na hora de escolher um investimento é a sua liquidez. Esse é um fator que indica a facilidade que você terá para resgatar seu dinheiro. E ela é diretamente influenciada pela lei de oferta e demanda.

Ou seja, quando há menos investidores interessados em comprar um ativo, há menor liquidez para resgatá-lo, pois fica mais difícil vender. Isso acontece tanto na renda variável quanto no mercado secundário de renda fixa — em que é preciso vender o título para outra pessoa.

Variação cambial

A lei da oferta e procura também está por trás do cenário cambial do país. No Brasil, por exemplo, a cotação do dólar é um desafio em alguns momentos. Em períodos de crise, investidores estrangeiros tendem a sair do país.

Assim, a quantidade da moeda norte-americana no mercado brasileiro cai e seu preço sobe — trazendo desvalorização para o real. No contexto oposto, quando o país consegue atrair investidores internacionais, a moeda local pode se valorizar.

Por que é importante o investidor conhecer o conceito?

Como você viu, a lei da oferta e demanda influencia o investimento na bolsa e outros momentos da sua vida e da sua carteira de investimentos. Por isso, é importante conhecer o conceito e entender como ele pode influenciar suas escolhas.

Desse modo, é possível reduzir os riscos do investimento. No entanto, tenha em mente também que o mercado costuma ser imprevisível. Então, diversificar a carteira, mesclando com renda fixa e variável, por exemplo, pode ser uma estratégia para proteger seu patrimônio.

Agora você sabe como funciona a lei da oferta e demanda e qual é a relação dela com os investimentos. Aproveite as informações para agir com mais cautela e segurança na hora de alocar seus recursos!

Você investe ou pretende investir em ações? Então confira como recolher o Imposto de Renda (IR) em ações!