O que é e como funciona um follow-on?

Os investidores conhecem bem as Ofertas Públicas Iniciais (IPOs). Mas poucos sabem o que é follow-on. Você já ouviu falar sobre ele?

Em alguns aspectos, ambos se parecem. Afinal, o objetivo dos dois, de certa forma, é permitir a uma companhia captar recursos no mercado financeiro.

Apesar das semelhanças, no entanto, trata-se de processos distintos. Então, que tal saber mais sobre o assunto?

Se você se interessa pelo ambiente da bolsa de valores, acompanhe esse artigo para descobrir o que é o follow-on, como ele funciona e quais as vantagens dessa estratégia para companhias e investidores!

O que é follow-on?

Follow-on – ou oferta subsequente de ações – é o processo no qual uma companhia que já abriu seu capital na bolsa disponibiliza mais ações para se negociar no mercado financeiro.

Ele acontece, portanto, quando uma companhia de capital aberto retorna à bolsa para ofertar mais papéis – seja por meio de novas emissões ou a partir da disponibilização de papéis oriundos de sócios majoritários.

Quais as diferenças entre follow-on e IPO?

Apesar da semelhança, não se pode confundir o follow-on com uma oferta pública inicial – ou IPO. Confira a seguir as principais diferenças entre esses dois eventos:

1.Momento

A primeira diferença – e talvez a principal – entre follow-on e IPO é o momento no qual as ações são emitidas na bolsa. Embora os dois eventos possam acontecer por um mesmo motivo – normalmente, a captação de recursos para a companhia investir em seu crescimento, é o “quando” que definirá se essa oferta será um IPO ou follow-on.

Se a empresa é de capital fechado, deseja abri-lo e emitir ações publicamente pela primeira vez, então ela estará realizando uma oferta pública inicial.

Por outra via, se a organização já tiver capital aberto na bolsa de valores, já emitiu ativos e deseja oferecer novos papéis aos investidores, então o evento será o follow-on.

2. Modo da oferta

Outra diferença diz respeito ao direito de aquisição. Em um IPO, como se trata de uma oferta inicial pública, os ativos ficam disponíveis para todos os investidores. Assim, todos eles podem ter o direito de adquiri-los nesse momento.

No follow-on, pode-se criar o evento para que apenas um grupo de investidores seja capaz de aderir à oferta. Ou seja, você pode se deparar com follow-on abertos a todos ou com oferta restrita.

Como funciona o follow-on?

Como você já sabe, um evento de follow-on pode ocorrer de duas maneiras: a partir de uma oferta pública ou privada. Confira mais informações sobre cada uma delas a seguir:

1.Oferta pública

Nesse caso, todos aqueles que investem no mercado financeiro têm acesso às ações. A distribuição é feita pela bolsa de valores e os investidores podem comprar os papéis que desejam. A oferta pública tem muitas semelhanças com o que acontece em um IPO.

2.Oferta privada

No processo de oferta subsequente de ações privada, a organização restringe o acesso aos seus papéis. Nessa situação, apenas um determinado grupo de investidores pode participar da compra de novos ativos.

Nas ofertas restritas, pode-se escolher os participantes pela quantidade de patrimônio investido no mercado acionário, por exemplo. Contudo, há diversas outras maneiras de selecionar os indivíduos para a oferta privada.

Esse processo costuma ser mais simples e ter menor burocracia na comparação com a oferta pública. Apesar disso, ambas devem observar as regras da CVM para serem realizadas.

Seja qual for o caso, é importante ter em mente que o processo de follow-on pode ser uma oportunidade para investidores que desejam ter a possibilidade de adquirir papéis de uma determinada empresa a preços mais baixos.

Afinal, o preço das ações no follow-on costuma ser mais barato na comparação com os preços dos papéis que já estão sendo negociados no mercado secundário.

Quais as vantagens do follow-on?

Você certamente pode identificar ao longo dessa leitura algumas vantagens do follow-on – tanto para as companhias quanto para os investidores. Entenda melhor abaixo:

Empresas

Entre os benefícios para as empresas, está a possibilidade de aumentar sua liquidez no mercado. Isso porque o volume de ações após um follow-on costuma aumentar quando os novos ativos vão para o mercado.

Além disso, a captação de recursos pode reforçar o caixa das organizações, além de estimular o crescimento do negócio no mercado.

Investidores

Para os investidores, o fato de aumentar o número de ativos disponíveis no mercado financeiro pode ajudá-los a negociar ações com maior facilidade. Esse pode ser um diferencial ainda mais importante para quem realiza atividades especulativas.

Por fim, como você já sabe, esta é mais uma oportunidade para quem deseja adquirir ações – normalmente a preços mais baixos – de empresas que já estão presentes na bolsa de valores.

Como participar de um follow-on?

Para participar de uma oferta subsequente, é necessário ter conta em um banco de investimentos – com o BTG Pactual digital. A partir da instituição, você terá acesso à plataforma de negociação da renda variável.

Depois, é necessário acompanhar as informações do mercado para descobrir quais empresas farão um follow-on em breve. Ou que tenham planos de fazê-lo.

Para isso, basta buscar informações em sites oficiais da organização ou por meio de comunicados de fatos relevantes na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Vale destacar que a reserva de um follow-on é realizada da mesma maneira que uma reserva de uma IPO.

No entanto, antes de participar de um follow-on, não deixe de considerar seu perfil de investidor e objetivos pessoais, e faça uma boa análise das empresas que estão realizando suas ofertas subsequentes de ações.

Assim, será muito mais fácil encontrar oportunidades mais alinhadas ao que você procura – e que, de fato, façam sentido para sua carteira de investimentos.

Gostou de saber mais sobre o que é e como funciona um follow-on? Tem dúvidas sobre o tema? Então entre em contato com nossa equipe!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.