Saber como multiplicar dinheiro é uma dúvida que já deve ter passado pela sua cabeça. Inclusive, é comum que pessoas busquem por técnicas e métodos que possam fazer suas finanças tenham maior rendimento de forma rápida.

No entanto, atingir esse objetivo da liberdade financeira nem sempre é simples — especialmente sem um planejamento adequado. Por isso, é essencial contar com uma estratégia que faça sentido para a sua realidade.

Dessa forma, neste artigo você aprenderá 7 dicas que podem ser úteis para multiplicar seu dinheiro e conquistar seus objetivos. Quer conhecê-las? Então continue a leitura!

1.     Controle suas finanças

Antes de iniciar qualquer tipo de estratégia para ampliação de patrimônio, é primordial saber como controlar suas finanças. Isso significa entender as suas movimentações financeiras — ou seja, a quantidade de dinheiro que entra e sai das suas contas.

Essa primeira dica exige um esforço mais prático, mas servirá como base para as próximas etapas. Assim, é importante que você anote em um papel, em uma planilha ou aplicativo todas as suas fontes de renda e os seus custos.

Dessa forma, será possível entender se os seus gastos estão de acordo com o seu faturamento e se há dinheiro disponível para investir e multiplicar. Com esse passo, você consegue trabalhar em soluções que estejam de acordo com a sua realidade financeira.

Além disso, identificando e monitorando seus principais gastos, há a possibilidade de cortar alguns custos que podem ser evitados. Com isso, sobrará mais dinheiro — que poderá ser utilizado de uma melhor forma.

2.     Faça um planejamento financeiro

Como você viu, controlar o dinheiro é essencial para saber multiplicar seu patrimônio. Depois de ter esse hábito, chega o momento de fazer um planejamento financeiro. Isto é, buscar e elaborar estratégias para utilizar seu patrimônio de forma estratégica.

Muitas pessoas tendem a crer que esse processo é complexo. No entanto, o planejamento financeiro pode ser desenvolvido sem maiores problemas — principalmente se você já contar com sua planilha de monitoramento.

Um bom planejamento deve incluir projeções baseadas na sua realidade. O objetivo aqui é permitir que você possa tomar decisões mais conscientes com o seu dinheiro. Assim, é possível definir suas metas em questões de aplicações financeiras.

É a partir daí que você pode iniciar os seus investimentos. Por esse ser um processo que apresenta riscos — ainda que possam ser controlados em alguns cenários — a falta de um planejamento aumenta o perigo de cometer erros ou fazer escolhas que levem a perdas.

3.     Invista de acordo com o seu perfil

Acumular dinheiro e deixá-lo parado em sua conta bancária não é uma boa estratégia. Além de não lhe gerar nenhum retorno, há ainda a possibilidade de que ele perca parte do seu valor de acordo com as oscilações da inflação.

SUA LIBERDADE FINANCEIRA ESTÁ A UM CLIQUE Aprenda a viver de renda

Aprenda a viver de renda passiva com especialistas do mercado

Assim, os investimentos são uma boa prática para saber como multiplicar dinheiro ao longo do tempo. No entanto, isso não significa que você deve aplicar seu capital de qualquer forma ou sem uma estratégia prévia.

Entender o seu perfil de investidor é a primeira etapa para a sua entrada no mundo dos investimentos. Como ele, você pode identificar a sua tolerância aos riscos — e, a partir disso, pesquisar pelos investimentos mais adequados.

Existem três perfis principais: conservadores, moderados e arrojados. Os primeiros são aqueles cujo foco está mais na segurança do que na rentabilidade em si. Assim, preferem não se arriscar tanto nos investimentos.

Os moderados e arrojados, por sua vez, buscam rentabilidades maiores e mais atrativas. Consequentemente aceitam mais riscos durante suas movimentações — especialmente os arrojados. Entender em qual grupo você se encaixa é fundamental para nortear seus investimentos.

4.     Trace objetivos

Após a definição do seu perfil, você consegue traçar as metas para os seus investimentos. Nesse ponto, é importante que você defina objetivos para curto, médio e longo prazo. Assim, é possível atingir melhores resultados ao selecionar onde investir.

Os objetivos variam de acordo com cada pessoa — e você também pode ter mais de um. Por exemplo, aposentadoria no longo prazo e viagens ou compras no curto e médio prazo. Ao conhecer cada meta, você consegue encontrar um investimento para cada uma delas.

5.     Conheça as alternativas do mercado

Cumpridos os passos acima, você pode conhecer as alternativas disponíveis no mercado. Quando se fala em investimento, há duas classes centrais: renda fixa e renda variável. Cada uma delas se ramifica em uma série de opções.

Os investimentos de renda fixa são os que contam com uma rentabilidade previsível. Ou seja, no momento da aplicação, é possível ter uma noção dos retornos. Exemplos dessa classe são os títulos públicos, como Tesouro Selic, e os títulos privados — como debêntures.

Já os investimentos de renda variável, por sua vez, não possuem previsibilidade ou garantia de rendimentos. Por isso, costumam ser mais indicados para investidores com maior tolerância ao risco. As ações, os ETFs (fundos de índice) e os fundos imobiliários são exemplos.

6.     Acompanhe seus investimentos e faça aportes regularmente

O processo de investir não deve ser feito apenas uma única vez. Por isso, é preciso que você acompanhe as suas movimentações com certa regularidade. Desse modo, é possível monitorar os seus rendimentos e, se necessário, atualizar sua estratégia.

Além disso, é importante fazer novos aportes de forma frequente. Inclusive, dentro do seu planejamento, é essencial separar um valor para ampliar seus investimentos. A quantia pode ser mensal ou não, a depender das suas possibilidades.

Dessa forma, é mais fácil buscar por melhores resultados e, consequentemente, atingir a sua liberdade financeira. Mas, para objetivos como esse, é válido ter em mente a paciência e a visão de longo prazo para multiplicar seu dinheiro com consistência.

7.     Diversifique seu portfólio

Por último, uma estratégia que não pode faltar na sua carteira é a diversificação do seu portfólio. Isso significa que investir todo seu dinheiro em uma mesma alternativa não é uma boa prática — mesmo que seja na renda fixa.

A diversificação de investimentos é muito importante para que você consiga proteger seu patrimônio. Assim, é importante fazer aportes em diferentes investimentos disponíveis — respeitando seu perfil e objetivos. Isso ajuda a distribuir riscos e até aumentar o potencial de retorno.

Essas 7 dicas podem ajudar você a entender como multiplicar dinheiro ao longo do tempo. Aplicando esse passo a passo no seu cotidiano, é possível economizar e fazer investimentos mais frequentes para alcançar seus objetivos!

Gostou das dicas sobre como multiplicar dinheiro? Aproveite para entrar em contato com um dos nossos assessores aqui na Renova Invest para ter suporte ao investir!