Cada investidor tem seus próprios objetivos de investimento — o que envolve critérios diferentes para composição de uma carteira. Nesse sentido, investimentos em moedas estrangeiras correspondem a uma estratégia que pode visar a lucro ou proteção de capital.

Existem diversas alternativas que você pode escolher para expor seu patrimônio à variação de uma moeda internacional. A moeda mais comum para referência de investimento é o dólar, seguida do euro. Mas o investidor também encontra opções de outros mercados financeiros.

Quer saber quais as vantagens e desvantagens de investir em moedas estrangeiras e como fazer isso? Então continue a leitura para descobrir algumas razões para se expor ao mercado internacional e veja 5 alternativas que você pode encontrar no Brasil.

Confira!

Por que investir em moedas estrangeiras?

Quando um investidor decide compor uma carteira, o ideal é partir de um objetivo esclarecido que leve em conta prazos e necessidades específicas. Assim, moedas estrangeiras podem cumprir diferentes papéis nessa composição.

A seguir, confira dos principais motivos para expor seu capital à variação de uma economia internacional!

Hedge

A razão mais comum para ter na carteira veículos de investimento atrelados a uma moeda estrangeira é a proteção. Também chamada de hedge, essa estratégia visa principalmente atenuar a volatilidade dos investimentos.

Um portfólio com exposição a dólar, por exemplo, pode ajudar a compensar quedas da bolsa de valores. Isso porque, quando os índices dão indícios de que o mercado está perdendo valor, muitos investidores buscam proteger seu patrimônio na moeda americana — o que leva a uma alta dela.

Também é possível preservar capital em uma moeda estrangeira por outras razões, como uma viagem. A fim de garantir que seu poder de compra no exterior não sofra variações significativas, você pode alocar recursos em instrumentos atrelados à moeda do país de destino.

Especulação

Outra motivação comum para expor capital a moedas estrangeiras é a especulação. Trata-se de uma estratégia mais agressiva e arriscada em que o operador busca lucros com a variação do câmbio. Assim como para hedge, o dólar é uma das alternativas mais usadas para executar a operação.

Nesse caso, muitos traders se valem dos derivativos. Por exemplo, os contratos futuros de dólar, que permitem grandes margens de alavancagem. Assim, há riscos mais altos, mas também potencial de resultados positivos.

Quais são 5 alternativas para investir em moedas estrangeiras no Brasil?

A compra direta de moeda estrangeira não é considerada um investimento. Logo, para investir, de fato, é preciso fazer operações no mercado financeiro. Nesse sentido, você não precisa de contas internacionais para se expor a outros países.


É possível fazer isso sem sair do Brasil. A seguir, conheça 5 alternativas de se expor a moedas estrangeiras na bolsa de valores ou via plataformas do seu banco de investimentos!

1. Fundos cambiais

Os fundos cambiais são um meio simples e prático de fazer investimentos em moedas estrangeiras. Assim como em outros fundos de investimento, o investidor compra cotas de um patrimônio coletivo gerido por profissionais com qualificação certificada.

Especificamente nesses fundos, a maior parte do patrimônio é alocada em ativos ou instrumentos de investimento atrelados de alguma maneira à moeda de referência. As principais costumam ser o dólar e o euro.

2. Fundos multimercados

Um fundo multimercado é uma categoria mais flexível de fundos de investimento. Assim, ele também pode ter seu patrimônio distribuído em diversas alternativas. Algumas estratégias adotadas trazem maior sensibilidade a moedas estrangeiras para sua carteira de investimento.

Nessa modalidade, é possível encontrar, por exemplo, fundos compostos por ações internacionais, derivativos ligados a moedas e cotas de outros fundos. Por isso, vale a pena conhecer com detalhes as alternativas.

3. Fundos internacionais

Também existem especificamente os fundos internacionais. Como o nome indica, trata-se de veículos que têm como foco o investimento em outros países. Contudo, essa opção geralmente é voltada apenas para investidores qualificados.


4. ETFs

ETFs, sigla para exchange traded funds, são mais uma categoria de fundos de investimento. Também chamados de fundos de índice, sua diferença está no fato de que o objetivo é reproduzir o desempenho de um índice do mercado financeiro.

Por exemplo, um ETF de S&P 500 replica o índice das 500 empresas mais negociadas da bolsa norte-americana. Ele é um dos indicadores de maior relevância para economia global, de modo que o ETF é uma forma prática de se expor ao mercado dos EUA.

5. BDRs

Os brazilian depositary receipts, ou BDRs, são um veículo de investimento em que uma instituição depositária adquire ativos internacionais e negocia recibos que os representem. Eles são oferecidos na bolsa brasileira e podem expor o investidor a ações, títulos de renda fixa e fundos.

Essa é outra maneira de fazer investimentos que expõem sua carteira ao mercado de outros países e a moedas estrangeiras. Afinal, ao investir com lastro em ativos internacionais você acaba sujeitando seu patrimônio ao câmbio relativo.

Quais são as vantagens e desvantagens do investimento em moedas estrangeiras?

Você viu que existem diversos meios de expor seu dinheiro a outra moeda através da bolsa de valores. Em muitos casos, a oportunidade de implementar estratégias com exposição a moedas é acessível para qualquer investidor.

Isso significa ter mais possibilidades de diversificação — visando a proteção dos seus investimentos. Porém, para fazer isso é necessário conhecer um pouco a dinâmica do mercado e como compor um portfólio para diminuir os riscos.

Investidores inexperientes podem encontrar dificuldades para tomar boas decisões ao investir em moedas estrangeiras. Por esse motivo, é preciso buscar conhecimento e estratégia.

Além disso, antes de escolher o meio mais adequado para se expor a economias internacionais, é importante lembrar que existem custos com taxas e tributos. Logo, não deixe de realizar os cálculos e fazer comparações com as demais opções disponíveis.

Neste artigo, você aprendeu como e por que fazer investimentos em moedas estrangeiras. Mas não se esqueça de que essa opção deve estar alinhada com seu planejamento financeiro. Portanto, procure determinar prazos e objetivos e sempre considere seu perfil de investidor!

Que tal conhecer uma alternativa que viabilize as escolhas dos seus investimentos de maneira mais simples? Então continue conosco e aprenda o que é uma carteira recomendada e como investir!