Renova Invest Facebook

Você sabe como investir na China?

A China, a princípio a segunda maior economia do mundo, tem atraído atenção significativa como um mercado potencial para investidores internacionais. Por isso, se você está pensando em investir na China, sem dúvida, este artigo é para você. Aqui, destacamos as maneiras de investir no mercado chinês a partir do Brasil, considerando os riscos e os benefícios.

Crescimento Econômico da China

A China tem apresentado um crescimento econômico impressionante ao longo das últimas décadas. Em virtude de um PIB (Produto Interno Bruto) que ultrapassou  126,06 trilhões de yuans (US$ 17,71 trilhões) em 2023, a China é considerada a segunda maior economia do mundo, logo atrás dos Estados Unidos.

Ademais, o país tem metas ambiciosas. O presidente chinês, Xi Jinping, espera ultrapassar os Estados Unidos e se tornar a economia número um do mundo até 2035. E virtude desse objetivo, o governo chinês tem implementado estratégias para estimular a produção e o consumo de produtos e serviços chineses.

Sem dúvida, a China também é líder em inovação e tecnologia. Por isso, o investimento nesses setores tem impulsionado o crescimento econômico do país, abrindo possibilidades interessantes para investidores.

Por que investir na China?

A China é a segunda maior economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, e apresenta um grande potencial de crescimento econômico. Com uma população de mais de 1,4 bilhão de pessoas, a China possui um enorme mercado consumidor. Além disso, o país tem se destacado em inovação e tecnologia, com grandes investimentos nesses setores. Então, vamos entender um pouco mais sobre as vantagens de investir na China.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

Crescimento Econômico Impressionante

A China tem apresentado um crescimento econômico notável nas últimas décadas. Com um Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 14,72 trilhões em 2020, sendo assim, a China tem como meta ultrapassar os Estados Unidos e se tornar a maior economia do mundo até 2035. Por isso, o governo chinês tem estratégias adotadas para estimular a produção e o consumo de produtos e serviços chineses, ou seja, aqui temos muitas oportunidades de investimento.

Mercado Consumidor Gigantesco

A China tem uma população enorme, o que torna um grande mercado a ser explorado. Apesar do controle rígido do governo sobre o comportamento dos chineses, esse comportamento vem sendo alterado para melhorar o consumo interno e contribuir com o avanço da economia. Desse modo existe um potencial de crescimento do poder de compra, o que pode ser benéfico para a economia do país no futuro.

Inovação e Tecnologia

Outro fator importante que tem impulsionado o crescimento econômico da China são os investimentos em tecnologia. A inovação permite criar soluções que ajudem a melhorar a rotina das empresas e o estilo de vida da população. Como as soluções tecnológicas são procuradas em todo o mundo, a China poderá ampliar sua participação nas negociações internacionais.

Principais Formas de Investir na China

Investir na China pode ser um pouco desafiador devido a algumas restrições e limitações. No entanto, existem algumas opções disponíveis para os investidores brasileiros que desejam se exportar à economia chinesa. As principais formas de investir na China são:

Investir diretamente na China

Investir diretamente na China é uma opção para investidores individuais ou institucionais. No entanto, é importante ressaltar que esse tipo de investimento pode não ser tão simples, principalmente para investidores individuais. Para isso, seria necessário abrir uma conta em uma corretora chinesa, o que pode ser complicado devido às limitações e restrições em relação ao investimento estrangeiro.


ETFs (fundos negociados em bolsa)

Os ETFs funcionam como fundos de investimento negociados diretamente na bolsa. Eles replicam índices de mercado teóricos e seguem seus resultados. Ou seja, na B3, a bolsa de valores brasileira, existe o XINA11, um fundo que acompanha os índices das ações chinesas e reflete o desempenho das principais empresas nas bolsas da China. Assim, o XINA11 possibilita investir na China sem sair do Brasil.

BDRs (Recibos Depositários Brasileiros)

Os BDRs são certificados de depósitos de valores mobiliários emitidos no Brasil, mas com lastro internacional. Dessa forma, esses títulos são uma das alternativas para quem quer investir na China. Por exemplo, é possível investir no Alibaba por meio do ativo BABA34 negociado na B3.

Fundos Internacionais

Os fundos de investimento internacionais são uma das alternativas para quem quer investir na China. Esse ativo é semelhante a um ETF, no entanto, ao invés de replicar um índice específico, o gestor do fundo monta um portfólio mais flexível e com maior liberdade a fim de escolher opções com maior rentabilidade no mercado chinês.

Bolsas de Valores na China

A China possui quatro bolsas de valores:

  1. Bolsa de Valores de Xangai, Shanghai Stock Exchange (SSE);
  2. Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE);
  3. Bolsa de Valores de Pequim (BSE);
  4. Bolsa de Valores de Hong Kong, a Hong Kong Stock Exchange (SEHK).

Shanghai Stock Exchange (SSE)

Começando pela Xangai (SSE), ela é a maior da China e a terceira maior do mundo, atrás apenas das NYSE e NASDAQ, que ambas sã americanas. Porém, a SSE não é aberta a todos e é regulamentada pelo órgão chinês equivalente a CVM. Ela tem um valor de mercado de aproximadamente USD$ 5 trilhões e a principais empresas listadas nela são:

  • ICBC;
  • Bank of China;
  • Ping An Insurance;
  • Petrochina;
  • Agricultural Bank of China.

Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE)

Sobre a Bolsa de Valores de Shenzhen (SZSE), foi inaugurada em 1990, é a oitava maior do mundo e tem um capital de marcado de USD$ 4,83 trilhões. Em geral, ela é a que tem a maior abertura para o mercado estrangeiro e as principais empresas listadas nela são:

  • Midea Group;
  • China Vanke;
  • Gree Eletric;
  • Wuliangye Yibin;
  • Hikvisinon.

a Bolsa de Valores de Pequim (BSE)

Inaugurada em 2021, a BSE faz parte das estratégias de impulso da economia do país. Com apenas alguns dias de funcionamento, ela recebeu bilhão de yuans chineses, aproximadamente US$ 155 milhões.

Bolsa de Valores de Hong Kong, a Hong Kong Stock Exchange (SEHK)

A SEHK também está entre as principais bolsas da Ásia e também do mundo. Hong Kong é uma Região Administrativa Especial (RAE) da China, com um sistema político, legal e econômico distintos, mantendo uma alta autonomia sob a política “um país, dois sistemas”. A economia de Hong Kong é uma das mais desenvolvidas do mundo e é caracterizada por ser aberta, livre e orientada para o mercado, em contraste com o resto da China. Por isso, sua bolsa é tão importante. Pensando no mercado internacional, Hong Kong é um importante centro financeiro global. A cidade é conhecida por suas sólidas instituições financeiras, comércio internacional e serviços relacionados. Dessa maneira, as principais empresas listadas na SEHK:

  • Tencent;
  • PetroChina;
  • Banco da China;
  • China Construction Bank;
  • Alibaba Group.

Em conclusão, investir na China pode ser uma oportunidade interessante para diversificar seus investimentos. No entanto, é importante considerar os riscos e desafios envolvidos. Por isso, recomendamos buscar orientação de um profissional certificado antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Por fim, embora a China apresente um grande potencial de crescimento, também existem riscos associados ao investimento estrangeiro. Portanto, é fundamental fazer uma análise cuidadosa antes de decidir investir no país.

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.