Os preços de muitos investimentos dependem das condições de mercado. Na renda variável, em especial, a lei da oferta e da demanda tem grande impacto — o que leva à necessidade de realização do bookbuilding.

A criação do book de ofertas está relacionada à precificação de ativos e pode interferir diretamente nos resultados. Por isso, todas as etapas devem ser executadas corretamente, considerando a importância de fazer uma avaliação de mercado.

Quer entender como esse procedimento acontece e quais são os aspectos principais? Continue a leitura e saiba mais sobre o bookbuilding!

O que é o bookbuilding?

O bookbuilding, também conhecido como construção do book de ofertas, consiste em um processo de formação de preços dos ativos do mercado. Ele se baseia em uma avaliação feita pela empresa (ou pelo fundo) sobre qual é a demanda por parte do mercado quanto a seus ativos.

A partir disso, é possível definir o preço que é considerado justo, com base na lei de oferta e demanda. Ele é comumente executado em ações, mas também é aplicável a cotas de fundos e investimentos de renda fixa, como as debêntures.

Como ele funciona?

O processo de bookbuilding funciona como uma pesquisa de interesse do mercado. A partir dos resultados, é possível determinar qual é o preço justo para a negociação dos ativos.

Embora ele possa ser utilizado para encontrar o preço justo de diversos investimentos, é mais frequentemente usado na oferta pública inicial (IPO) ou na oferta secundária de ações.

Vamos utilizar essa etapa, que é mais comum, como referência para explicar o funcionamento. Para saber como a empresa faz para precificar uma ação dessa forma, confira quais são as etapas essenciais do bookbuilding!

Definição do intervalo de preço

Depois de anunciar a oferta pública ao mercado, a companhia estabelece um intervalo de preço de negociação dos ativos. Logo, há tanto um piso quanto um teto para indicar como pode ocorrer a precificação.

Consulta a investidores institucionais

Para começar a entender o nível de demanda, o coordenador da oferta faz um levantamento junto aos investidores institucionais, como os fundos de investimento.

A intenção é saber quanto essa parte do mercado tem interesse nos ativos que serão emitidos. Os dados obtidos serão unidos às informações captadas na etapa que você verá a seguir.

Identificação da demanda a varejo

Depois de pesquisar com os investidores institucionais, há um levantamento de interesse por parte dos investidores de varejo, como as pessoas físicas. O objetivo é entender quantas ações eles estão dispostos a adquirir e quanto pretendem pagar.

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!




Nesse momento, há uma regra principal: somente os investidores que se mostrarem dispostos a pagar um preço igual ou maior que o preço justo da ação participarão da oferta pública.

Sendo assim, ações com alta demanda do mercado tendem a ficar mais próximas do teto do preço. Já quando o interesse não é tão elevado, o preço tende a se aproximar do piso.

Realização da precificação

Depois dessa análise, a empresa sabe se é viável lançar as ações no mercado. Em caso afirmativo, as informações coletadas servem para orientar a precificação. Com base na resposta do mercado financeiro, a companhia e o coordenador da oferta definem qual é o preço justo para a ação.

É nesse momento que é criado o chamado book de ofertas. Na data de lançamento, os investidores que demonstraram interesse em pagar, no mínimo, esse preço podem adquirir as ações. Porém, também é importante notar o que acontece se a demanda for maior que a oferta.

Ou seja, se os investidores demonstram disposição em comprar mais ações que o total disponível. Nesse caso, há o chamado rateio, que é feito sobre o total de papéis disponíveis. Sendo assim, cada investidor tem a chance de comprar uma parte da quantidade desejada.

Quanto tempo demora para concluir o processo?

Outro ponto relevante para conhecer sobre o bookbuilding é o seu meio de realização. Quando os pregões aconteciam fisicamente, a criação do book de ofertas dependia de recursos físicos. Por exemplo, livros nos quais cada um anotava seu interesse.

Porém, com o pregão digital, o processo de composição de preços se tornou mais fácil. A empresa pode realizar o procedimento por meio de uma ferramenta da B3, a bolsa de valores brasileira. Isso torna as etapas mais ágeis e faz com que a duração do procedimento varie de 7 a 10 dias.

Qual é a importância desse processo?

Com base no que você já viu até aqui, pode-se dizer que o bookbuilding é fundamental para todo o mercado financeiro. No geral, esse é um mecanismo importante para a formação de preços.

Para os negócios que lançam as ações, a realização correta do processo ajuda a evitar a desvalorização dos papéis. Logo, previne problemas com a captação de recursos.

Sem essa fase, existira o risco de uma companhia precificar os papéis em preços muito acima ou muito abaixo do mercado. Em ambos os casos, haveria a perda de oportunidades.

Se o preço de uma ação fosse sempre definido pelo teto, por exemplo, poderia haver uma perda do potencial de valorização. Com isso, menos pessoas ficariam interessadas em adquirir ativos de uma empresa que ainda não está na bolsa.

Por isso, é comum realizar uma espécie de desconto no preço inicial de negociação dos papéis. Para entender qual deve ser o impacto desse ajuste é que vale a pena usar o bookbuilding. Na prática, dar atenção à precificação pode levar ao sucesso do IPO ou de uma oferta secundária (follow on).

Já para o mercado, o bookbuilding é importante para refletir o real interesse em relação a um ativo. Com isso, quem participa de um IPO ou do follow on de uma empresa pode adquirir ativos pelos preços que diz estar disposto a pagar.

Como você viu, o bookbuilding é essencial para o lançamento de ativos, tanto para empresas e fundos quanto para os investidores. Por meio dele, pode-se chegar ao preço justo do investimento em uma oferta pública, já que ele considera a demanda por parte do mercado.

Aproveite que você chegou até aqui e confira o que é a oferta secundária e como ela funciona!