Renova Invest Facebook

Bem fungível x infungível: como funcionam?

Bem fungível x infungível:
Bem fungível x infungível:

Você sabe o que é bem fungível e bem infungível? Esses são dois termos jurídicos utilizados na classificação de bens, conforme prevê o Código Civil brasileiro. Portanto, eles são utilizados ao abordar os negócios jurídicos e a responsabilidade civil relacionada a eles.

Entretanto, esses dois conceitos também podem ser aplicados no contexto dos investimentos. Nesse sentido, conhecê-los permite que os investidores possam obter retornos com os produtos e ativos financeiros considerados fungíveis e infungíveis.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e entenda o que significa bem fungível e infungível e mais!

O que são bens e como se dá sua classificação?

Para começar, é preciso entender o conceito de bens. Segundo o Código Civil, eles são um objeto que pertence a uma pessoa física ou jurídica. Desse modo, tudo aquilo que é de posse de alguém pode ser considerado um bem.

Ainda de acordo com essa norma, os bens podem ser classificados em grupos distintos. Isso tem o objetivo de facilitar o estabelecimento de regras para cada classe individualmente.

Entre elas, pode-se destacar:

  • bens tangíveis ou intangíveis: com e sem existência física, respectivamente;
  • imóveis ou móveis: permitem a remoção de seu lugar com ou sem danificação de sua essência, na devida ordem;
  • consumíveis ou inconsumíveis: bens móveis cujo consumo resulta ou não em destruição imediata, nessa ordem;
  • divisíveis ou indivisíveis: fracionamento sem ou com a alteração na sua composição, valor ou substância, respectivamente;
  • singulares ou coletivos: existência independentemente ou dependente dos demais.

Além disso, o Código Civil em seu artigo 85 também pode categorizar os bens em fungíveis e infungíveis. Essa distinção é uma das mais importantes no contexto dos investimentos — como você verá mais adiante. Mas, antes, é preciso entender esses conceitos.

O que é um bem fungível?

Agora que você sabe o que são bens, fica mais fácil compreender o que é um bem fungível e como funciona. Ele é um termo jurídico utilizado na classificação de bens imóveis que podem ser substituídos por outros da mesma espécie, qualidade e quantidade.

Assim, é possível perceber que o termo abrange apenas os bens móveis, dado que os imóveis, por sua natureza, são insubstituíveis. Por exemplo, a moeda é um bem fungível, já que ela pode ser trocada por outra moeda ou por itens que somem o mesmo valor.

Por exemplo, se você der uma nota de vinte reais para alguém e essa pessoa lhe devolve duas notas de dez reais, você ainda terá o mesmo valor em dinheiro. Do mesmo modo, é possível trocar reais por dólares — entregando o valor correspondente na outra moeda.

Renda fixa
Seta Tripla

Descubra agora a
NOVA RENDA FIXA
que pode turbinar seus ganhos. 


O que é um bem infungível?

Ao contrário dos bens fungíveis, os bens infungíveis ou não fungíveis são aqueles que não podem ser trocados por outros de mesma espécie, qualidade e quantidade. Isso acontece porque eles têm características únicas, o que os tornam individuais.

Esse é o caso das obras de artes, por exemplo. Nenhuma reprodução da tela de um artista famoso terá o mesmo valor dela, certo? Cada obra possui características que fazem com que ela não possa ser substituída por outra. Logo, o preço de uma réplica difere da original.

Contudo, é importante ter cuidado ao determinar a fungibilidade ou infungibilidade de um bem, pois ele pode alterar sua condição. Por exemplo, um automóvel pode ser considerado um item fungível. Porém, o seu nível de raridade pode transformá-lo em um bem infungível.

Quais são exemplos de bens fungíveis e infungíveis no mercado financeiro?

Depois de entender os conceitos de bem fungível e infungível, você deve estar se perguntando se existem investimentos fungíveis e não fungíveis. A resposta para essa pergunta é sim. Portanto, é possível realizar operações com ambos os tipos de investimentos.

Veja alguns exemplos de bens fungíveis e infungíveis no mercado financeiro:

Criptomoedas

Como você viu, uma moeda pode ser um bem fungível. Assim, as criptomoedas são um exemplo de fungibilidade no mercado financeiro. Isso é possível porque os mesmos tipos de unidades monetárias podem ser trocados entre si a uma taxa de mercado previamente acordada.

Ações de uma empresa

Outro exemplo de fungibilidade são as ações de uma empresa listada na bolsa de valores. Assim, quem investe em papéis na bolsa de valores brasileira, a B3, ou em outras bolsas do mundo está negociando bens desse tipo.

Commodities

A fungibilidade também é comum nas negociações envolvendo as commodities. É o caso do ouro, prata, petróleo, trigo, soja e milho, entre outros. Afinal, não importa onde a soja foi cultivada, ela sempre tem o mesmo valor monetário — desde que apresente as mesmas características e condições de qualidade.

NFTs

Um item infungível no mercado financeiro é representado pela sigla NFT. Ela significa non fungible token e quer dizer token não fungível, em português. O NFT é uma representação digital de um ativo não fungível.

Assim, ele pode representar, por exemplo, obras de artes, objetos raros, itens personalizados e também peças menos convencionais. É o caso de memes, jogos, músicas e vídeos. Os NFTs são usados para negociar peças que não podem ser trocadas por outras de igual valor por serem únicas.


Qual a importância de entender o bem fungível e infungível?

Como você viu, há diversos investimentos fungíveis e não fungíveis. Assim, é importante conhecer esses conceitos para saber como você pode lucrar com eles. Desse modo, será possível considerar a fungibilidade e a infungibilidade nas negociações no mercado financeiro.

Em relação aos investimentos fungíveis, é possível obter ganhos de diversas formas. Com ações, por exemplo, você pode buscar lucros pela valorização delas ou receber proventos distribuídos pelas empresas, entre outras estratégias.

No que diz respeito aos investimentos infungíveis, é possível conquistar retornos com a valorização dos NFTs advinda da fama deles. No entanto, isso depende da atribuição de valor no mercado. Por exemplo, se um colecionador tende a pagar mais por um item específico ou não.

Com base nessas informações, é possível entender a diferença entre bem fungível e infungível e saber como eles funcionam. Além disso, você pode saber como lucrar com eles no mercado financeiro. Porém, antes de investir, é preciso entender o assunto para tomar uma boa decisão!

Gostou desse conteúdo? Siga-nos nas redes sociais para acompanhar as atualizações do nosso blog. Estamos no Instagram, Facebook, YouTube e LinkedIn!

 

 

 

 

 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.