Renova Invest Facebook

Confira quando será a próxima reunião do Copom

Até o momento, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central realizou quatro reuniões de política monetária em 2023. O mercado financeiro já está atento à próxima reunião do Copom, que acontece em agosto.

Aliás, o comitê é extremamente importante para o mercado por causa das decisões relacionadas à taxa básica de juros que são tomadas durante o encontro.

Antes de você saber quando será a próxima reunião do Copom em 2023, este artigo explicará o que é o comitê e qual o seu papel na economia brasileira.

O que é Copom?

Em primeiro lugar, o Comitê de Política Monetária é o órgão do Banco Central que define, a cada 45 dias, a política monetária do país, incluindo a taxa básica de juros, conhecida como taxa Selic.

O Copom é composto por membros do Banco Central, incluindo o presidente da instituição e diretores. Suas reuniões são momentos-chave para analisar a situação econômica do país.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

Durante os encontros, os membros examinam uma série de indicadores econômicos, como inflação, crescimento econômico, mercado de trabalho, entre outros. Sendo assim, com base nessas análises e em suas projeções, eles decidem se é necessário aumentar, diminuir ou manter a taxa Selic.

Portanto, o Copom desempenha um papel central na definição da política monetária do Brasil, sendo responsável por decisões cruciais que afetam a economia, o mercado financeiro e a vida das pessoas.

O que é a taxa Selic?

O termo Selic é a sigla para “Sistema Especial de Liquidação e Custódia”. O sistema foi criado pelo Banco Central para registrar as operações de empréstimos de curtíssimo prazo entre as instituições financeiras. A taxa é calculada com base nas médias ponderadas das taxas de juros dessas operações.

Sendo assim, a Selic é considerada um instrumento importante para controlar a inflação e estabilizar a economia. Quando o Copom decide aumentá-la, por exemplo, isso pode desacelerar o consumo, estimular a poupança e reduzir a pressão inflacionária. Por outro lado, se o Copom opta por diminuir a taxa, isso pode impulsionar o consumo, estimular os investimentos e o crescimento econômico.

Logo, as mudanças na taxa Selic afetam os juros praticados no mercado, influenciando o custo do crédito para empresas e consumidores, bem como a rentabilidade de investimentos em diferentes tipos de ativos financeiros.


Quando será a próxima reunião?

A próxima reunião do Copom acontecerá nos dias 1º e 2 de agosto. O comitê divulgará o novo valor da Selic no final do segundo dia. No último encontro, que aconteceu nos dias 20 e 21 de junho, o Copom decidiu manter a taxa em 13,75% ao ano. Confira o calendário de 2023:

  • 1º e 2 de agosto
  • 19 e 20 de setembro
  • 31 de outubro e 1º e novembro
  • 12 e 13 de dezembro

As datas podem sofrer alterações ao longo do ano, por isso é importante ficar atento às possíveis mudanças.

Expectativa para a próxima reunião

Após manter a taxa em 13,75% na última reunião, o Copom sinalizou uma possibilidade de queda dos juros a partir de agosto.

“A avaliação predominante foi de que a continuação do processo desinflacionário em curso, com consequente impacto sobre as expectativas, pode permitir acumular a confiança necessária para iniciar um processo parcimonioso de inflexão na próxima reunião”, afirmou a ata divulgada no dia 27 de junho pelo Banco Central.

A expectativa de todos é pela queda dos juros em agosto, mas ainda há dúvida de quanto será esse corte. Porém, não é possível afirmar o que vai acontecer.

Por que é importante para o investidor?

A reunião do Copom fornece informações valiosas sobre a política monetária do país. As declarações e comunicações do Banco Central após o encontro podem dar indicações sobre as perspectivas futuras da taxa Selic e da economia em geral.

Assim, essas informações ajudam os investidores a tomarem decisões mais embasadas e a ajustarem suas estratégias de investimento.

Além do mais, as decisões do Copom têm um impacto direto sobre os juros praticados no mercado financeiro como um todo. Quando o Copom decide aumentar a taxa Selic, por exemplo, os juros dos empréstimos, financiamentos e investimentos tendem a subir.

Isso pode influenciar o custo do crédito para empresas e consumidores, afetando o consumo, o investimento e o crescimento econômico.

Além disso, o mercado financeiro reage de forma imediata às decisões do Copom. Bancos, investidores e operadores de mercado acompanham de perto as reuniões.

Já que a Selic tem um impacto significativo nos investimentos, uma vez que afeta os rendimentos de diversas aplicações financeiras. Mudanças na taxa podem influenciar a rentabilidade de diversos investimentos, como CDB, Tesouro Direto, fundos de renda fixa e ações.

Portanto, é recomendável acompanhar de perto as informações atualizadas e as análises de especialistas para tomar decisões informadas sobre investimentos.

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
1 Comentário
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.