Fazer avaliação de cenários e projeções da economia são aspectos indispensáveis para a tomada de decisões mais assertivas nos investimentos. Nesse contexto, a ata do Copom pode ser um documento interessante.

Por isso, a divulgação desse material é um dos momentos mais aguardados por todo o mercado financeiro. Mas você sabe quais os motivos para fazer a ata ganhar tamanha relevância entre investidores e instituições?

É exatamente essa temática que encontrará neste artigo. Portanto, acompanhe a leitura para conhecer a importância da ata do Copom!

O que é o Copom?

Antes de entender a ata e o que consta nela, é importante compreender o que é o Copom. A sigla refere-se ao Comitê de Política Monetária do Banco Central (BC). O grupo se reúne a cada 45 dias e, entre suas responsabilidades, está a definição da taxa Selic.

O Comitê é formado pelo presidente e os diretores do próprio BC, além de representantes de outros órgãos e departamentos vinculados à economia do Brasil. As reuniões do grupo duram dois dias e a agenda é apresentada no ano anterior.

Durante os encontros, o Copom foca em discussões pertinentes às perspectivas econômicas brasileiras e globais. O objetivo é ter em mãos o máximo de informações concretas para fundamentar o processo de avaliação e decisão de demandas.

Por exemplo, é responsabilidade do Comitê de Política Monetária avaliar o Relatório de Inflação — divulgado trimestralmente pelo Banco Central. Essa análise tem como foco o entendimento sobre a variação dos números e os seus impactos.

A taxa Selic, definida pelo Copom, é utilizada como meio de controle da inflação no nosso país. Além disso, ela serve como base para as demais taxas do mercado e é usada como indicador de rentabilidade em algumas alternativas de investimentos.

O que é a ata do Copom?

Entendendo o que é o Copom e como ele funciona, você pode se perguntar: mas, afinal, o que é a ata do Copom? Esse é o documento que reúne os principais assuntos que foram discutidos durante os dias de reunião.

Nesse contexto, a ata se torna importante para o mercado porque reflete os números apresentados no encontro. Esses podem servir para uma nova avaliação sobre a realidade econômica e a definição de estratégias de investimentos, por exemplo.

Quais informações constam na ata?

Como você entendeu, os encontros do Copom acontecem durante dois dias — geralmente às terças e quartas-feiras. O primeiro prioriza a apresentação de dados, informações e projeções de analistas referentes ao mercado e a economia.

Assim, durante o segundo dia, o grupo se debruça sobre todos os números. Esse diálogo serve para respaldar a definição da taxa Selic — com objetivo que ela seja a mais assertiva possível.

INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA Invista em ações

Após esse momento, os membros participam de uma votação sobre a porcentagem da taxa Selic para os próximos 45 dias. Desse modo, é necessária apenas uma maioria simples para definir o resultado sobre a taxa básica de juros da economia.

A ata do Copom agrega, exatamente, tudo o que foi discutido ao longo dos dias de encontro. Além disso, o documento também destaca as mudanças em relação às projeções anteriores — informações que podem ser importantes para investidores e empresas.

Todavia, vale destacar que todos os dados apresentados são técnicos. Por isso, é possível que investidores que tenham pouca familiaridade com o mercado encontrem dificuldades em interpretá-los. Nesse caso, pode valer a pena tirar dúvidas com o suporte de uma assessoria de investimentos.

Qual a importância desses dados?

De acordo com o que você viu, a ata do Copom traz informações relevantes sobre o Brasil. Assim, tanto investidores quanto o mercado como um todo podem usufruir delas para fundamentar seu planejamento financeiro.

Saiba mais sobre a importância dos dados!

Para o mercado

Sabendo que a taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e serve como referência para outras taxas de juros é possível entender sua relevância para o mercado. Um aumento dela significa que empréstimos e financiamentos, por exemplo, ficam mais caros para a população.

Por isso, as instituições financeiras devem acompanhar essas variações. Dependendo do setor, é possível que a taxa Selic mais alta indique uma baixa nas negociações. Logo, a ata pode servir como referência para avaliar tendências de consumo e se organizar.

Para os investidores

Para os investidores, o documento também é de grande importância. Afinal, a taxa Selic é utilizada como índice de referência para diversas alternativas de investimentos — especialmente na renda fixa. Assim, os movimentos dela podem influenciar os resultados da sua carteira.

Com uma alta, por exemplo, seus títulos pós-fixados terão rendimento maior. Além disso, novos títulos prefixados e híbridos podem apresentar taxas mais altas. Já em uma baixa da Selic, as aplicações de renda fixa podem perder parte da atratividade.

Ademais, há influência na renda variável. Isso porque a Selic mais baixa costuma indicar aquecimento da economia — o que pode favorecer empresas e investidores da bolsa de valores. E o oposto pode acontecer com ela em queda. Mas esses movimentos não são uma regra.

Outra informação central que a ata do Copom traz para os investidores está nas projeções referentes à inflação. Essas informações podem ajudar a planejar seus investimentos de modo a se proteger da perda do poder de compra.

Como analisar a ata do Copom?

Depois de saber que a ata do Copom se configura em um instrumento que pode auxiliar investidores em suas estratégias, é preciso entender como analisar os dados. Como você viu, as informações podem apresentar certo grau de complexidade.

Por isso, o primeiro passo deve ser avaliar os números com cautela. É importante buscar entender exatamente o que foi discutido e evitar tomar decisões por impulso ou sem o embasamento necessário, por exemplo.

Também é interessante acompanhar as atas das últimas reuniões, para ter uma visão mais completa. Assim, você entenderá o que mudou em relação aos números e acompanhará de forma mais consciente e ativas as oscilações do mercado.

Além disso, como você viu, contar com o suporte de uma assessoria pode ser fundamental nesse momento. Com ela você terá o apoio de profissionais qualificados para tirar dúvidas e, consequentemente, poderá tomar decisões mais assertivas.

Como vimos, a ata do Copom pode ser um documento importante na sua caminhada como investidor. Ao tornar público diálogos relevantes referentes ao mercado, ela permite que os dados possam ser utilizados para fortalecer suas estratégias de investimento.

Quer contar com um suporte profissional para tirar dúvidas sobre o mercado financeiro? Fale com um dos assessores da Renova Invest!