Renova Invest Facebook
Busca de Artigos no blog

Poupança é um investimento? Descubra a resposta!

poupança
poupança

No mercado financeiro brasileiro existe uma alternativa que se destaca entre outros tipos de investimento por causa de sua popularidade: a poupança. Porém, apesar de ser a principal escolha dos brasileiros, ela pode não ser a melhor opção.

Isso porque a caderneta tem características específicas quanto ao retorno que podem torná-la menos atraente que outras oportunidades. Portanto, é preciso conhecê-las antes de considerar a alternativa em sua estratégia.

A seguir, veja se a poupança é, de fato, um investimento e entenda como ela funciona!

O que é a poupança?

A caderneta de poupança é um tipo de conta bancária com característica de investimento. Assim, ela tem condições diferenciadas e faz parte da renda fixa. Na poupança, é possível alocar recursos e obter uma rentabilidade sobre o montante.

Como funciona a caderneta de poupança?

Em relação ao funcionamento, a caderneta tem um rendimento que varia com a taxa Selic ou taxa básica de juros, como você verá adiante. Além disso, tem liquidez diária, então pode ser resgatada a qualquer momento.

Porém, o rendimento só incide no aniversário do depósito. Sendo assim, ela só rende uma vez por mês, de modo que o resgate antes desse período leva à perda do rendimento que seria obtido ao aguardar o próximo aniversário.

Sobre a segurança, a poupança tem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ele devolve ao investidor até de R$ 250 mil por instituição e CPF, em caso de problemas de falência, por exemplo. O limite de R$ 1 milhão é renovável a cada 4 anos.

Como é a rentabilidade da poupança?

A rentabilidade da poupança apresenta a vantagem de ser isenta de Imposto de Renda sobre seu retorno. Contudo, os ganhos não são muito significativos. Desde maio de 2012, ela passou a ter uma regra que depende do desempenho da taxa Selic.

São duas possibilidades:

Renda fixa
Seta Tripla

Descubra agora a
NOVA RENDA FIXA
que pode turbinar seus ganhos. 


  • se a taxa Selic for maior que 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês + a Taxa Referencial (TR).
  • se a Selic for menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic + a TR.

A TR se encontra zerada desde 2017. Assim, na prática, o retorno da poupança pode não ser interessante. Muitas vezes, sendo até menor que a inflação. Com isso, você perde poder de compra ao longo do tempo e seu patrimônio não tem evolução real.

Por que a poupança ainda é tão popular?

Embora as regras de retorno não sejam tão atraentes, a caderneta de poupança permanece popular. Em 2020, por exemplo, ela atingiu uma captação recorde de mais de R$ 165 bilhões. Por que isso acontece?

Entre os principais motivos estão a segurança e a facilidade de aplicação e de resgate. Mas também pesa a falta de educação financeira brasileira — o que faz com que muitas pessoas não conheçam outras possibilidades.

Afinal, a poupança é um investimento?

Com base nas características que você conheceu, a poupança é sim um investimento. Porém, não é a melhor alternativa em praticamente nenhum critério que se observe. Há muitas oportunidades que podem ser tão seguras, líquidas ou práticas e ainda oferecem retorno maior.

Além disso, o fato de perder constantemente para a inflação faz com que a poupança coloque em risco a evolução do seu patrimônio. Portanto, se o objetivo é fazer o dinheiro render de verdade, ela pode não ser considerada um bom investimento.

Quais investimentos podem substituir a poupança?

Sabendo que a poupança não é o melhor investimento para a sua carteira, vale a pena pensar em alternativas que a substituam. Veja a seguir!

Títulos do Tesouro

Os títulos públicos do Tesouro Nacional são disponibilizados na plataforma Tesouro Direto e estão entre os principais substitutos para a poupança. Eles são de renda fixa e considerados mais seguros por estarem atrelados ao Governo Federal.

Assim como outros títulos de renda fixa, têm três tipos de rentabilidade:

  • prefixada (Tesouro Prefixado): o rendimento é definido antecipadamente por uma taxa de juros fixa;
  • pós-fixada (Tesouro Selic): o retorno depende do desempenho de um indicador que, no caso do Tesouro Selic, é a taxa básica de juros da economia;
  • híbrida (Tesouro IPCA+): a rentabilidade é definida pela soma de uma taxa fixa mais a variação de um indicador — normalmente, o índice de inflação.

CDB

Já o certificado de depósito bancário (CDB) é um título privado emitido por instituições financeiras, como os bancos. Ele é considerado seguro por ter cobertura do FGC, como a poupança. Porém, assim como os títulos do Tesouro, o CDB tem cobrança de Imposto de Renda pela tabela regressiva.

LCI e LCA

As letras de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA) são outros títulos privados. Elas têm cobertura do FGC e ainda apresentam a vantagem de isenção de IR, como a poupança. Mas geralmente têm menor nível de liquidez.


Alternativas de renda variável

Além das opções seguras, é possível encontrar oportunidades de maior risco na renda variável. Elas podem ser interessantes para a diversificação da carteira de investimento e aumento do potencial de rentabilidade.

O investimento em ações, por exemplo, envolve a participação nos resultados de empresas da bolsa de valores. Também é possível investir em fundos de renda variável, como fundos de ações, imobiliários (FIIs) ou de índice (ETFs), entre outros.

Como escolher outros investimentos?

Aproveitar as oportunidades do mercado além da poupança exige conhecimento. Afinal, a intenção é compor uma carteira que reflita suas características e atenda suas necessidades. Por isso, comece avaliando seu perfil de investidor e identifique qual nível de risco você está disposto a assumir.

Também é preciso pensar em seus objetivos financeiros, que interferem na escolha do prazo dos investimentos. Se você usar a poupança para manter sua reserva de emergência, precisará de um investimento líquido, seguro e de curto prazo, por exemplo.

Além disso, vale a pena conhecer as características de cada investimento a fundo. Para ter ajuda, conte com o suporte de uma assessoria de investimentos. Os assessores o ajudarão a avaliar os investimentos e atuarão para apresentar oportunidades e tirar dúvidas.

Como você viu, a poupança é, por definição, um investimento, mas não é o mais vantajoso ou atraente deles. Logo, vale a pena buscar alternativas compatíveis com seus objetivos e com a sua tolerância ao risco e que ofereçam resultados melhores.

Quer ajuda para conhecer as possibilidades do mercado? Entre em contato conosco da Renova Invest e conte com a nossa assessoria!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.