No mercado financeiro, são encontrados investimentos para todos os perfis de investidor, desde o mais conservador ao mais arriscado. Contudo, em ocasiões de instabilidade econômica, muitos procuram alternativas para proteção de suas carteiras — por exemplo, ao investir em ouro.

Sendo um dos metais mais preciosos do mundo, o ouro é amplamente aceito e negociado em diversos mercados ao redor do globo. Como ele é utilizado como reserva financeira de muitos países, seu preço tende a passar por movimentos de alta diante de crises financeiras, políticas, entre outras.

Quer aprender mais sobre o ouro e saber se vale a pena investir nele? Então aproveite e acompanhe este artigo até o final.

Confira!

É um bom negócio investir em ouro?

O ouro é uma commodity metálica que, na antiguidade, serviu como base para determinar os preços de diferentes produtos e mercadorias. Com o passar do tempo, ele deixou de ser utilizado como “moeda” de trocas financeiras, mas nunca deixou de ser valioso, raro e bastante procurado.

Geralmente, a demanda pelo ouro é maior em períodos nos quais crescem as incertezas, como durante crises e guerras. Isso porque o seu preço é menos impactado nesses cenários, já que o ouro não sofre intervenções econômicas dos Governos.

Ademais, por ser uma commodity, a sua escassez não pode ser compensada pela fabricação do material, por exemplo. Essa característica atua como um sistema anti-inflacionário, garantindo um preço mais estável, pautado exclusivamente na lei da oferta e demanda.

Além disso, o ouro costuma ter correlação negativa com as taxas de juros. O motivo é que, em situações críticas, os Governos costumam emitir mais papel-moeda, o que interfere nos juros e reflete na inflação e na dívida pública. Nesse cenário, a compra do metal tende a oferecer maior segurança.

Por outro lado, quando a economia está sob controle, a tendência é que muitos investidores migrem seus investimentos do ouro para outras oportunidades do mercado. Nessas ocasiões, o seu preço pode diminuir.

Como alinhar o investimento em ouro à sua estratégia de investimentos?

Para entender como o investimento em ouro pode compor a sua estratégia de investimentos, é preciso saber que existem dois principais tipos de participantes no mercado financeiro: o investidor e o especulador.

O investidor é aquele que busca construir seu patrimônio com o tempo, alocando seu capital em alternativas que ofereçam perspectivas de retorno no longo prazo.

Já o especulador é aquele que se interessa pelos ganhos no curto ou curtíssimo prazo. Logo, ele rapidamente abre e encerra operações no mercado visando ganhar com a diferença de preços entre a compra e venda de ativos e derivativos.

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO Investir fora do Brasil

Aprenda a como investir no exterior de forma prática

Como você viu, o ouro conta com uma maior estabilidade de preços. Nesse sentido, ele pode não ser adequado para quem busca uma grande valorização no curto prazo. Contudo, quando se pensa em prazos maiores, o ouro oferece uma proteção importante para a preservação de capital.

Além disso, considerando que essa é uma commodity finita, a tendência é que ele se torne cada vez mais escasso — revelando potencial de valorização ao longo do tempo. Portanto, o ouro tende a fazer mais sentido quando se considera o interesse em investimento e proteção de capital.

Contudo, essa característica não impede que um especulador busque oportunidades de ganhos rápidos com ele, caso faça sentido para a sua estratégia. Em todos os casos, lembre-se que esse metal precioso integra a classe da renda variável, não sendo possível prever os seus resultados.

Quais as vantagens e desvantagens de investir em ouro?

Agora que você viu como o ouro pode ser usado no universo dos investimentos, talvez ainda tenha dúvidas sobre as vantagens e desvantagens de investir nele.

A principal vantagem, como vimos, é o alto grau de proteção que ele pode oferecer — principalmente em períodos de instabilidade econômica no país e no mundo. A estabilidade de seu preço pode ajudar a neutralizar ou, ao menos, reduzir eventuais perdas com outros investimentos que você tenha em carteira.

Outra vantagem é a sua alta demanda e aceitação mundial. Isso significa que dificilmente você terá problemas em desfazer um investimento em ouro, considerando que frequentemente há investidores e especuladores interessados em adquiri-lo.

Em relação às desvantagens, devido a sua estabilidade, pode ser mais difícil conseguir resultados com o ouro no curto prazo. Então, para ter sucesso em operações especulativas, o interessado precisará ter maiores conhecimentos sobre as movimentações de preço.

Já quando se fala na aquisição do ouro físico, conta como desvantagem a necessidade de gastar com a sua segurança e armazenamento. Afinal, ele pode chamar a atenção de criminosos — exigindo atenção para não colocar em risco a sua vida e o seu patrimônio.

Como investir em ouro?

Além da possibilidade de compra do ouro físico, que você já viu não ser a opção mais segura, é possível se expor ao ouro por meio do mercado financeiro.

Veja as principais formas de investimento!

Fundos de investimento

Uma das possibilidades é a exposição via fundos de investimento em ouro. Trata-se de veículos de investimentos coletivos, formados pelo patrimônio de diferentes investidores com objetivos em comum.

A vantagem dessa alternativa é que o capital do fundo é administrado por um gestor profissional. Ele fica responsável por escolher os investimentos que serão feitos, buscando exposição ao ouro. Como cada fundo pode ter diferentes estratégias e níveis de risco, não deixe de avaliá-los antes de investir.

ETFs

Os exchange traded funds (ETFs) ou fundos de índice também são fundos de investimento. Porém, eles têm como objetivo espelhar o desempenho de um índice de mercado. Portanto, o gestor monta a carteira do fundo com os mesmos ativos da carteira teórica do benchmark escolhido.

Na bolsa de valores brasileira (B3), por exemplo, existem ETFs que estão atrelados a índices que acompanham a cotação do ouro — como o GOLD11. A vantagem dos ETFs é que suas cotas costumam ser mais acessíveis. Além disso, por terem gestão passiva, as suas taxas são menores que em outros fundos.

Também há uma infinidade de alternativas de ETFs atrelados ao ouro no mercado internacional —como nas bolsas dos Estados Unidos.

Contratos futuros

Quem se interessa por especulação ou hedge, encontra nos contratos futuros a possibilidade de fazer operações em relação às expectativas do preço do ouro no futuro. Nesse mercado, os participantes se posicionam conforme suas convicções quanto aos movimentos do preço do ativo em data posterior.

Se posiciona na compra quem entende que os preços subirão e na venda quem deduz o contrário. Os ganhos e prejuízos são realizados com base na diferença de preços entre a posição assumida e o ajuste diário — uma média ponderada calculada pela bolsa com base nas negociações do dia.

Sabendo agora como investir em ouro, você incluirá essa commodity na sua carteira ou pretende especular seu preço? Independentemente da escolha, não se esqueça de avaliar o seu perfil de investidor e objetivos para tomar as decisões mais apropriadas para você.

Precisa de ajuda para entender melhor os investimentos mencionados? Contate a Renova Invest!

 

Para aprofundar ainda mais seus conhecimentos sobre o mercado financeiro, nos acompanhe nas redes sociais. Estamos no YouTubeInstagramFacebook e LinkedIn!