Quando você decide especular na bolsa, seja na forma de day trade, swing trade, scalping ou position trade é preciso ter uma estratégia adequada para alcançar seus resultados. Nesse sentido, uma das ferramentas que pode ser útil é o stop móvel.

Trata-se de uma alternativa que pode ajudar a aproveitar oscilações das operações, sem desconsiderar a limitação das perdas. Como consequência, é possível reduzir parcialmente os riscos e favorecer os ganhos.

Neste artigo, você descobrirá como tal mecanismo de stop funciona e quando vale a pena incorporá-lo às suas operações de especulação na renda variável. Confira!

O que é o stop móvel?

O stop móvel serve como um mecanismo de proteção para quem realiza operações de especulação na bolsa de valores. Ele é uma ordem automatizada do mercado financeiro, a qual é disparada com base nas informações definidas pelo próprio especulador ou trader.

Ele é um dos três mecanismos de stop que podem ser usados, sendo que os outros dois são o stop gain e o stop loss.

Como o stop móvel funciona?

Para entender a mecânica do stop móvel deve-se começar compreendendo que ele tem a função de evitar que as perdas aconteçam acima de um limite desejado. Então você pode determinar qual é o máximo valor que está disposto a perder em determinada operação de especulação.

No entanto, é preciso considerar que o mercado financeiro pode sofrer grandes oscilações. Logo, em um período, o preço do ativo ou derivativo pode variar bastante. Se a perda máxima for sempre a mesma, ela pode acabar ficando defasada em relação aos movimentos da bolsa.

Por isso, o stop móvel é capaz de se alterar para acompanhar a oscilação do produto financeiro de interesse. Essa mudança pode acontecer de forma manual ou automática, mas tem como objetivo garantir que você aproveite os lucros e, ao mesmo tempo, limite as perdas.

Para entender melhor, veja mais detalhes em operações:

Operação comprada

Considere uma Ação que é negociada a R$ 15,00. Após fazer a análise técnica, você define que existe potencial de crescimento e adquire o papel para especular na bolsa. Contudo, também determina que só está disposto a perder, no máximo, R$ 2,00 por papel.

Com esse preço de disparo definido, qualquer valor abaixo de R$ 13,00 levará à execução da ordem de stop — que, no caso, seria uma ordem de venda.

Agora, imagine que, em determinado período, o preço da Ação sobre para R$ 18,00. Se você vendesse nesse exato momento, teria um lucro de R$ 3,00 por Ação. Porém, se esperasse a ordem de stop chegar a R$ 13,00, é como se a valorização não tivesse ocorrido.

O stop móvel é útil para que haja a adaptação. Considerando que o limite é de R$ 2,00 de perdas por Ação, o novo valor mínimo para disparo da ordem de venda seria R$ 16,00. Então, mesmo que houvesse uma desvalorização, você ainda lucraria – graças ao mecanismo.

Operação vendida

Na hora de especular e aproveitar as oscilações do mercado, você também pode operar vendido. O stop móvel funciona nesse caso, com a diferença que ele se dá de maneira inversa que na operação comprada.

Novamente considerando o exemplo, pense em uma Ação que está sendo negociada a R$ 20,00. Com base na análise técnica, você conclui que ela está sobrevalorizada e que há grandes chances de queda.

Assim, decide especular ao definir a venda dos papéis por esse preço, para comprá-los quando houver a baixa. Porém, o mercado pode sofrer uma oscilação e ocorrer um aumento. Assim, o stop móvel prevê um preço de limite, que é o máximo que você pagaria pelo papel.

Nesse exemplo, digamos que seu preço limite seja R$ 22,00. Se a Ação atingir o valor, será disparada uma ordem de compra, buscando limitar as perdas a R$ 2,00 por Ação. Logo, uma cotação a partir de R$ 22,00 dispararia a ordem.

No entanto, durante as operações, o papel cai sofre uma queda e chega a R$ 17,00. Se você comprá-lo exatamente nesse momento, obterá um lucro por Ação. Se o mecanismo de stop for mantido em R$ 22,00, entretanto, sempre haverá perdas.

Com o stop móvel, seria possível trazer o preço de limite para um patamar abaixo dos R$ 20,00 – neste caso, para R$ 19,00. Portanto, mesmo que a Ação voltasse a crescer, o novo valor do stop levaria a um ganho por Ação.

Quais as diferenças entre stop móvel e stop loss?

Quando pensamos em mecanismos de stop para limitar perdas e riscos, o stop loss é um dos mais conhecidos. Ele consiste em estabelecer um preço de limite para a ordem de compra ou um preço de disparo para a ordem de venda. De qualquer forma, o valor é fixo e definido pelo trader.

Como você viu nos exemplos, a grande diferença para o stop móvel é a capacidade de acompanhar as oscilações do mercado. Dentro do que é aceitável como perda máxima, há uma adaptação nos preços conforme o papel de interesse sofre valorização ou desvalorização.

Em comum, eles têm o fato de que a prática executada é uma ordem automática, com base no preço de disparo e limite.

Porém, somente o stop móvel passa a acompanhar as variações nos preços. Assim, ainda consegue contemplar e aproveitar parte dos lucros potencialmente obtidos. E é nisso em que reside sua importância.

Quando utilizar essa ferramenta?

Antes de adotar o mecanismo é necessário entender, primeiramente, que o stop móvel é recomendado para quem especula na bolsa de valores. Portanto, ele pode ser útil para quem busca retorno na bolsa de valores no curto e no curtíssimo prazo.

Depois de compreender isso, é preciso pensar no seu perfil de investidor e nos seus objetivos com a bolsa de valores. O mecanismo pode ser interessante quando você não consegue ou não pretende acompanhar o mercado de perto. Por meio dele, é possível realizar operações estando offline.

O stop também pode ser útil para quem deseja evitar a zeragem automática, que é realizada pela instituição financeira responsável pelo investimento. Por fim, outro uso é quando você tem um ativo ou derivativo volátil e quer manter ao menos parte dos lucros conquistados com a variação.

O stop móvel funciona como uma variação do stop loss, com a diferença que consegue se adaptar às oscilações. Para quem atua como trader, pode ser um mecanismo útil para limitar perdas e ainda aproveitar parte dos ganhos!

Conhece alguém que faz trade e precisa descobrir esse mecanismo? Compartilhe o post nas suas redes sociais!