O que é e como funciona a garantia firme no mercado financeiro?

O que é e como funciona a garantia firme no mercado financeiro?

Ao fazer a subscrição de Ações no mercado primário, as empresas podem contar com a garantia firme. Você já conhece esse conceito? Ele também pode estar presente em contratos de emissão de títulos, com as Debêntures.

Contudo, muitos investidores não estão familiarizados com essa garantia, sem entender qual é a sua finalidade e influência nos investimentos. Acontece com você? Com tantos termos no mercado financeiro, é bem comum não entender todos.

Neste conteúdo, você verá o que é e como funciona a garantia firme. Continue a leitura e aprenda!

O que significa garantia firme?

A garantia firme é conhecida no mercado como underwriting firme ou puro. Mas antes de explicá-las, vale entender o que significa o underwriting. Ele se refere ao processo de intermediação feito entre companhias que precisam de dinheiro e instituições subscritoras.

O objetivo é levantar capital para facilitar a oferta dos papéis. Portanto, a garantia é realizada sempre que uma empresa ou Governo busca recursos para financiar seus investimentos. Assim, as subscritoras ajudam na busca por investidores e, em alguns casos, assumem os riscos da transação.

É aqui que entra a modalidade de garantia firme. É nela que a instituição tem maior responsabilidade na venda das Ações. Isso porque ela se compromete com a subscrição integral dos papéis e assume o risco caso eles não sejam comercializados.

Como ela funciona no mercado financeiro?

A instituição subscritora precisa se enquadrar como banco múltiplo, banco de investimento ou sociedade corretora e distribuidora. Ao atuar dessa maneira, ela passa a ter o direito de negociar as Ações ou títulos de crédito no mercado.

É possível atuar de maneira isolada ou por meio de um consórcio, situação em que uma empresa deverá ser eleita a líder. Ao lançar os investimentos no mercado, a instituição ou o consórcio subscrevem o valor total.

Caso a operação fracasse, a companhia emissora terá recebido o valor total. Ou seja, somente o underwriter terá riscos de perdas. Aqui, um ponto de atenção é que a subscritora é que realiza o lançamento das Ações no mercado.

Para isso, a instituição segue a legislação vigente e os requisitos necessários para a abertura de capital, com a oferta pública inicial de Ações (IPO). Além de garantir a subscrição de todos os ativos, a prática reduz o tempo necessário para que a empresa emissora consiga levantar caixa.

Quais são as principais características desse tipo de subscrição?

Primeiro, vale lembrar a importância da subscrição. Quando a empresa decide pelo IPO, ela precisa ter um intermediário financeiro, que é quem operacionaliza o lançamento. Nesse momento, surge a primeira característica: a existência de um contrato, que indicará o tipo de garantia.

Para entender melhor os diferenciais do underwriting firme, vale conhecer as outras modalidades. No total, são três: melhores esforços, residual ou firme.

Aprenda mais sobre elas!

Melhores esforços

Nessa modalidade, a subscritora se compromete a vender as ações. No entanto, ela exclui de suas responsabilidades a subscrição dos papéis que não forem vendidos.

Conforme o nome, há a obrigação de empregar os maiores esforços para comercializar todos os ativos. Contudo, o risco é totalmente da empresa emissora dos ativos.

Residual ou stand by

Aqui, a subscritora se compromete apenas com as Ações que não forem adquiridas pelo público, então o risco é da emissora e da intermediária. Assim, ao término do prazo, a subscritora pode decidir entre subscrevê-las ou devolvê-las à empresa.

Firme ou straight

Como já explicamos, essa garantia faz com que a subscritora atue como um revendedor que assume os riscos da operação. Se as Ações não forem bem aceitas pelo mercado, a empresa emissora ficará protegida.

Entretanto, a modalidade permite a inserção de uma cláusula de market out. Ela traz condições que permitem a instituição intermediária se eximir da responsabilidade por ocorrências que prejudiquem a qualidade dos papéis.

Mas simples oscilações do mercado e condições ruins não são suficientes para isso. A questão deve ser mais profunda. Por exemplo, a negativa de autorização para comercializar um produto que é foco das atividades da empresa emissora.

Quando a garantia firme pode ser utilizada?

Essa modalidade de garantia é válida apenas para a oferta base, quando as Ações são lançadas no mercado. Nos demais casos, as empresas não podem negociar o underwriting firme com as instituições financeiras.

Além disso, como já dissemos, a opção também pode ser aplicada na emissão de Debêntures, que são títulos de crédito. Para tanto, a subscritora cumpre diversos procedimentos que buscam verificar a viabilidade econômico-financeira da garantia.

De modo geral, isso abrange riscos econômicos de liquidez, custo de oportunidade e conformidade da empresa. A ideia é determinar se o risco compensa, além de ter subsídios para formular o contrato. Alguns pontos tratados são o preço acordado e a data de liquidação.

Quais são as vantagens que a garantia firme proporciona?

A principal vantagem da operação é a maior segurança. Primeiramente, ela consegue reduzir os riscos da emissão de Ações para a empresa, já que a subscritora se compromete com a compra dos ativos. Isso facilita a realização dos planos de expansão das atividades e de investimentos.

Apesar de ser um benefício para a empresa, também afeta o investidor. Quando as instituições financeiras ou os consórcios estão dispostos a oferecer a garantia, costuma haver uma boa perspectiva em relação ao lançamento.

Assim, embora não seja uma característica que deva ser analisada individualmente, ela pode ser um indicativo da segurança do investimento. Porém, não se esqueça de fazer a análise considerando diversos indicadores, assim como o seu perfil de investidor e objetivos com o aporte.

Conseguiu aprender como funciona a garantia firme? Como vimos, essa modalidade de subscrição garante a compra dos ativos, trazendo segurança para empresas emissoras e investidores. Ter o conhecimento pode auxiliar na avaliação de ativos e na tomada de decisão antes de comprar Ações!

Quer aprender mais sobre o mercado financeiro? Aproveite para conhecer as principais estratégias para a análise de Ações na bolsa de valores!

(Visited 88 times, 1 visits today)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta


Mais Lidos

Postagens Relacionadas

Categorias

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.