Investir é uma atividade que envolve riscos, principalmente quando a alternativa buscada integra à classe da renda variável. Contudo, para que você tenha uma visão mais ampla sobre um investimento, vale a pena utilizar indicadores como o hurdle rate.

Com ele, você consegue avaliar se um investimento é realmente atrativo, considerando os riscos envolvidos. Logo, ao saber utilizar esse indicador, é possível fazer escolhas mais acertadas e aumentar as chances de ter êxito no mercado.

Quer conhecer a fundo o que é o hurdle rate e qual é a sua importância? Então aproveite este conteúdo preparado pela Renova Invest para você.

Vamos lá?

O que é hurdle rate?

No mercado financeiro, hurdle rate é uma expressão que representa a taxa de atratividade mínima de um investimento. Ou seja, ela pode ser definida como o retorno mínimo que o investidor espera em determinada aplicação ou aporte financeiro.

Esse conceito possui origem no hipismo, considerando os hurdles (obstáculos) que os cavalos são submetidos para avançar na competição. Nesse mesmo sentido, o investimento precisa ser capaz de superar um patamar mínimo para valer a pena.

Na prática, ele é um indicador utilizado para avaliar a relação entre o risco e o retorno de um investimento. Afinal, quanto maior o risco de um investimento, maior tende a ser o seu potencial de retorno. Entretanto, a diferença entre eles pode ser determinante para a sua realização.

Como cada investidor possui um perfil de risco diferente, o hurdle rate pode variar entre os indivíduos. Por exemplo, quem tem perfil conservador costuma priorizar o investimento em alternativas mais seguras. Já os investidores arrojados estão mais abertos aos riscos.

Nesse sentido, o retorno mínimo exigido por um investidor conservador pode ser muito maior que o investidor com um com perfil arrojado — e ambos podem estar corretos em sua análise. Por isso, é importante conhecer bem o seu perfil e objetivos para embasar as suas escolhas.

O que é preciso para definir hurdle rate?

Após conhecer o conceito, saiba que é preciso considerar uma variedade de fatores para definir o hurdle rate ideal para o seu perfil. Conheça os principais!

Custo de oportunidade

O custo de oportunidade se refere à análise da rentabilidade da qual você está abrindo mão para escolher outra alternativa de investimento. Perceba então que, ao escolher um ativo para alocar o seu capital, estará perdendo a oportunidade de aproveitar o rendimento de outro.

É comum a utilização de índices financeiros para o cálculo do custo de oportunidade — como a Selic e o Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Isso porque são taxas comuns nas aplicações de renda fixa, consideradas mais previsíveis e seguras.

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO

INVESTIR FORA DO BRASIL? DESCUBRA COMO

Aprenda a como investir no exterior de forma prática

Inflação e juros

A inflação é o aumento contínuo e generalizado dos preços de uma economia. Portanto, ela corrói o seu poder de compra enquanto torna os produtos e serviços mais caros. Nesse sentido, se um investimento tiver um retorno abaixo da inflação, você não terá um ganho real.

Já os juros refletem o custo do crédito. Para o investidor, ele representa qual será a remuneração obtida caso aplique seu capital na renda fixa. Como você viu anteriormente, isso pode ser útil para calcular o custo de oportunidade.

Custo de capital

O custo do capital é o montante financeiro necessário para realizar o investimento. Muitas alternativas contêm um valor mínimo a ser investido. Então isso pode impactar a escolha e a formação do hurdle rate.

Liquidez

No universo das finanças, a liquidez representa a velocidade em que um investimento é convertido em dinheiro disponível. Portanto, quanto maior a liquidez, mais fácil será fazer o resgate. Esse fator também pode ser essencial para decidir se o aporte vale a pena.

Prêmio de risco

O prêmio de risco é o retorno resultante do investimento comparado a uma alternativa com menor risco. Como você já viu, investimentos mais arriscados tendem a proporcionar ganhos maiores que alternativas mais seguras. Porém, isso envolve a chance de ter perdas financeiras.

Como é feito o cálculo?

Ao conhecer o conceito de hurdle rate e os fatores a serem observados para sua definição, é importante verificar também como o cálculo é feito.

Uma das formas mais utilizadas para calcular o hurdle rate de ações leva o nome de weighted average cost of capital (WACC) — ou custo de capital médio ponderado, em português. É comum interpretar esse custo para cada R$ 1 investido na empresa.

Para o cálculo, é utilizada a seguinte fórmula:

WACC = ((Valor total de ações/Valor da companhia) x Taxa de retorno das ações) + [((Valor total da dívida/Valor da companhia) x juros da dívida) x (1 – alíquota tributária da empresa)].

Além disso, também é feito o ajuste do prêmio de risco projetado. Aqui, o objetivo é encontrar a porcentagem que o investidor espera receber considerando o risco associado.

A fórmula para o cálculo é:

Prêmio de Risco = Retorno do investimento – Retorno de um investimento livre de risco.

Como foi possível aprender, não existe investimento totalmente isento de riscos. No entanto, é comum a utilização de títulos do Tesouro Direto no cálculo devido a segurança e liquidez. Por fim, o hurdle rate geralmente é o resultado da soma do WACC com o prêmio de risco.

Qual a importância de saber esse conceito?

Embora o hurdle rate não seja exato, saber o seu conceito e como é calculado é importante para o investidor. Afinal, ele pode auxiliá-lo no momento de tomar uma decisão de investimento, antes de realizar o aporte.

Contudo, também é necessário verificar que ele possui algumas limitações. Isso porque, como você já sabe, ele pode variar de acordo com o perfil de risco e objetivo de cada investidor e apresentar resultados subjetivos.

Desse modo, apesar de as fórmulas matemáticas trazerem resultados exatos, as análises utilizadas para preenchê-las não são. Desse modo, os resultados podem embasar projeções, mas não significa que elas serão atingidas — mesmo porque há fatores que podem modificar o cenário do mercado.

Com isso, não é aconselhável que ele seja o único indicador para determinar a realização de um investimento. Nesse caso, o ideal é combiná-lo com outras análises — em especial, a fundamentalista. Além disso, vale utilizar estratégias para controle de riscos da sua carteira, como a diversificação.

Agora que você aprendeu o que é o hurdle rate, possui mais um fundamento para tomar uma decisão de investimento. Porém, caso tenha dúvidas sobre seu funcionamento ou de outros indicadores de mercado, vale buscar ajuda profissional — como uma assessoria de investimentos.

Gostou deste conteúdo? Entre em contato com a Renova Invest e conheça as alternativas de investimento que podem se alinhar ao seu perfil e objetivos!