Com a evolução tecnológica dos mercados financeiros, cada vez mais robôs e sistemas de inteligência artificial fazem presença nas negociações das bolsas de valores do mundo. Um desses sistemas é conhecido como high frequency trading.

Usado principalmente por investidores institucionais, trata-se de um sistema de negociação automática. Ele gera condições específicas para todo mercado financeiro. Por isso, vale a pena conhecer em detalhes como isso funciona.

Neste artigo, você aprenderá de que maneira esses robôs de investimento de alta velocidade operam e quais vantagens e riscos eles trazem ao mercado. Então continue a leitura e descubra o que é HFT, suas estratégias e principais críticas quanto a prática.

Vamos lá?

O que é high frequency trading (HFT)?

Muitos investidores já ouviram falar de robôs que investem a partir de algoritmos, computando informações e aproveitando oportunidades calculadas. O que esses robôs fazem é operar por meio de ordens programadas com base na leitura de dados do mercado financeiro.

O HFT, porém, está em um nível superior de sofisticação. As negociações de alta frequência (tradução livre para high frequency trading) partem de um princípio semelhante ao de operações baseadas na leitura de dados.

Contudo, a engenharia computacional desses robôs permite que isso seja feito em prazos curtíssimos. Eles chegam à ordem dos microssegundos (milionésimos de segundo). Isso só é possível graças à alta tecnologia adotada na arquitetura desses programas.

Os robôs desse tipo são mais utilizados por investidores institucionais, como bancos e outras instituições financeiras. Assim, o recurso não costuma estar acessível a pequenos investidores, principalmente porque a estratégia de operação de HFT depende de grandes volumes de negociação.

Como a estratégia surgiu?

Como você viu, o high frequency trading envolve alta tecnologia para a realização de operações muito rápidas. O objetivo é acumular pequenas margens de lucro sobre elevadas quantias de uma operação.

Os softwares de negociação de alta frequência começaram a ser adotados no fim da década de 1990, com a evolução das plataformas de operação das bolsas de valores do mundo. Em 2011, já se estimava que mais de dois terços das negociações do mercado financeiro global eram feitas por HFT.

No Brasil, por outro lado, esses robôs são menos atuantes do que em outros países. Além disso, a implicação que esse tipo de ferramenta de negociação gera ao mercado levanta críticas que merecem ser analisadas com atenção.

Na prática, os robôs têm vantagens operacionais que, em alguns casos, podem ser consideradas desleais e até prejudiciais ao mercado de investimentos. Por isso, determinados países cobram taxas específicas para quem opera com HFT.


Quais estratégias podem ser adotadas para HFT?

Você entendeu que operações de alta frequência podem proporcionar resultados expressivos com pequenas margens de lucro em grandes volumes de negociações. Mas existem estratégias distintas utilizadas por esses softwares.

A seguir, confira alguns dos contextos em que os robôs de HFT são usados!

Arbitragem

Uma estratégia de negociação comumente utilizada pelos sistemas de HFT é a arbitragem. Nesse modelo de operação, os algoritmos identificam pequenas margens de correção entre instrumentos financeiros e realizam negociações antes que o mercado equipare os valores.

Por exemplo, a diferença entre os preços de três moedas deve ser proporcional. Porém, como as negociações são feitas em pares, o mercado não corrige imediatamente a diferença da valorização de uma moeda sobre outros pares.

Isso deixa uma pequena margem de valorização que pode ser aproveitada por programas de negociação de alta frequência.

Tape reading

Outro meio pelo qual esses robôs realizam operações lucrativas é através da leitura do livro de ofertas de determinado veículo de investimento. Chamado de tape reading, a estratégia consiste em identificar pequenos movimentos de curto prazo no mercado.


Desse modo, o robô calcula as intenções de compra e venda do mercado e emitem ordens automaticamente. Nesse caso, ele realiza operações conhecidas como scalping, que duram segundos ou minutos.

Criação de mercado

Semelhante ao método de scalping, a criação de mercado configura uma estratégia um pouco mais agressiva. Nesse modelo de operação, a tendência do mercado não é apenas acompanhada pelos robôs, mas produzida por eles.

Para isso, o sistema gera a intenção do mercado por meio de ofertas volumosas, o que influencia outros operadores, criando momentânea liquidez do instrumento. Assim, rapidamente os robôs executam negociações na tendência, aproveitando a liquidez gerada.

Negociações baseadas em notícias

Com um funcionamento semelhante ao de algoritmos de motores de busca, robôs de HFT também já são capazes de antecipar tendências por meio de palavras-chave.

Dessa forma, com uso de sofisticadas ferramentas de processamento de dados, os programas analisam notícias — a fim de calcular a probabilidade de oscilações no mercado baseadas em conteúdos midiáticos.

Quais as os riscos e críticas ao HFT?

Como você viu, o potencial lucrativo dos robôs de high frequency trading é muito alto, mas o impacto que eles geram no mercado levanta críticas importantes. A liquidez produzida pela estratégia de criação de mercado, por exemplo, pode ser considerada desleal.

Afinal, essa intenção não é satisfeita pelo mercado em si, mas a liquidez momentânea produzida acarreta a execução de ordens de pequenos especuladores. Isso instaura um risco nas plataformas de negociação que só podem ser compensadas por outros robôs de HFT.

Um fato que ilustra a necessidade de alerta sobre o HFT foi o chamado Flash Crash, em maio de 2010. Durante quase uma hora o mercado americano testemunhou uma forte queda dos preços de ativos financeiros.

Parte dela foi atribuída aos sistemas de HFT, o que levou alguns países a pensarem em políticas de regulamentação específicas para a prática. Por outro lado, as estratégias de arbitragem otimizam a regulação dos preços pelo próprio movimento do mercado, gerando liquidez real e positiva.

De qualquer maneira, como as operações são realizadas sempre em grandes volumes, isso inevitavelmente produz um impacto nas intenções gerais de negociação. A consequência, portanto, é o aumento da volatilidade dos ativos, o que intensifica o risco para especuladores.

Neste conteúdo, você aprendeu o que é high frequency trading (HFT) e como esse sistema de operação pode afetar as negociações do mercado financeiro. Assim, vale a pena aprofundar o estudo dos robôs de HFT, especialmente se você tem intenções especulativas e quer se proteger.

Quer aprender mais sobre o universo do trading e quais são as principais estratégias de especulação? Então continue conosco e descubra o que é day trade e como começar a operar!