Renova Invest Facebook

Saiba do endividamento de ume empresa na B3

Como calcular o grau de endividamento de uma empresa da bolsa?
Como calcular o grau de endividamento de uma empresa da bolsa?

Na hora de montar uma carteira adequada ao seu plano de investimentos, muitos investidores recorrem à análise fundamentalista das empresas antes de comprar suas ações. Entre os indicadores mais importantes que eles observam está o grau de endividamento do negócio.

A partir dos demonstrativos da empresa, é possível correlacionar aspectos da análise das dívidas para fazer uma leitura profunda das condições financeiras da organização. Quer aprender a medir esses indicadores para estimar a saúde e o crescimento de um negócio?

Então confira agora o que é grau de endividamento, por que é importante conhecer esses números e como você pode calculá-los para selecionar seus investimentos com mais rigor. Boa leitura!

O que é grau de endividamento?

O grau de endividamento de uma empresa é o valor percentual que se obtém ao comparar as proporções entre os passivos e os ativos do negócio.

De fato, existem diversos indicadores financeiros que refletem os aspectos da dívida de uma organização. E o grau de endividamento apresenta de maneira simples e abrangente quanto dos ativos totais é comprometido pelos custos operacionais — incluindo empréstimos e financiamentos.

Assim, por meio de cálculos básicos, os investidores podem fazer interpretações do desempenho de uma empresa relativamente ao seu próprio mercado de atuação. Isso oferece insights importantes na hora de decidir acrescentar ou não uma empresa em seu portfólio de investimentos.

Para isso, tudo o que o investidor precisa é ter acesso ao balanço patrimonial da empresa e conhecimento das fórmulas para calcular seus índices de endividamento.

Por que analisar as dívidas de uma empresa da bolsa?

Saber quanto uma empresa deve é fundamental para conhecer a condição de sua saúde financeira. Afinal, dívidas, em qualquer cenário, sempre impactam a geração de renda de um negócio. Mas elas nem sempre precisam indicar elementos negativos.

Na verdade, praticamente todas as empresas da bolsa de valores têm dívidas. Esse é um fator relevante na alavancagem e crescimento do negócio. Contudo, é importante saber avaliar se esse impacto é positivo ou negativo.

Veja o que você pode analisar nesse ponto!

Entender a qualidade da dívida

Uma dívida tem impacto positivo quando é planejada para o crescimento do negócio. Esse é o propósito de toda empresa ao fazer uma oferta pública de ações e abrir seu capital ao mercado. Por isso, elas podem ter dívidas necessárias aos seus planos.

Mas uma empresa também pode se endividar por uma série de razões além da busca por crescimento. Algumas dessas razões são críticas e merecem atenção, como quando a companhia não consegue gerar receita suficiente para pagar suas despesas e tem que recorrer ao crédito.


INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA Invista em ações


Assim, analisar o grau de endividamento do negócio é útil para que você entenda em que situação ele está. Logo, pode decidir com mais embasamento se é seguro investir nas ações.

Saber de quem o negócio depende

Conhecendo a composição da dívida, os investidores também podem saber de quem o negócio depende. Se uma grande parte dos ativos de uma empresa for capital de terceiros, por exemplo, a gestão financeira pode ser mais sensível a influências externas.

Por outro lado, se a companhia consegue sustentar a maior parte de suas operações por meio de sua própria força produtiva, a gestão tem maior independência. No entanto, isso também pode significar menor potencial de crescimento. Por esse motivo, o dado deve ser avaliado dentro de um contexto.

Medir o crescimento da empresa

Os indicadores de endividamento também fornecem informações para medir a taxa de expansão do negócio. Se, por exemplo, o endividamento diminui ano após ano enquanto seu patrimônio líquido aumenta, pode ser um indicativo de que a empresa está crescendo de maneira saudável.

Como calcular o grau de endividamento de um negócio?

Agora que você conhece a importância de analisar as dívidas de uma empresa da bolsa, é hora de aprender a calcular seu grau de endividamento. Com informações obtidas no balanço patrimonial da companhia, é possível analisar muitos aspectos de sua saúde financeira.

Para realizar os cálculos, você deverá conhecer os principais fatores de análise do balanço patrimonial da empresa e seus respectivos atributos:

  • Ativos totais = ativo circulante (liquidáveis no curto prazo) + ativo não circulante (liquidáveis no longo prazo) + ativo permanente (patrimônio imobilizado);
  • Passivos totais = passivo circulante (exigíveis no curto prazo) + passivo não circulante (exigíveis no longo prazo);

Vale notar que o patrimônio líquido é sempre a diferença entre ativos e passivos totais. Assim, o grau de endividamento corresponde à proporção percentual dos ativos sobre os passivos, segundo a fórmula:

Grau de endividamento = (passivos totais / ativos totais) x 100

O resultado reflete o potencial de geração de caixa da empresa. Quanto mais perto de 100%, mais a empresa precisa trabalhar apenas para pagar dívidas e cobrir despesas, o que compromete a margem de lucro. Esse valor ainda pode ser confrontado com outros indicadores de endividamento.

Conheça possibilidades!

Endividamento geral

O índice de endividamento geral apresenta em percentual quanto dos ativos totais estão comprometidos por crédito. Obtém-se o valor a partir da fórmula:

Endividamento geral = (capital de terceiros / ativos totais) x 100

Composição do endividamento

Esse indicador permite saber quanto dos passivos totais as despesas de curto prazo representam. O percentual é dado pela fórmula:

Composição do endividamento = (passivo circulante / passivos totais) x 100

Liquidez corrente

O cálculo de liquidez corrente gera um valor que representa a capacidade da empresa em manter suas operações no período. A fórmula do indicador é a seguinte:

Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante

Resultados superiores a 1 significam que a empresa produziu capital de giro no período e não precisou recorrer a crédito.

Além desses, existem diversos outros indicadores que permitem uma observação apurada do desempenho de um negócio. Conhecendo esses fatores de estudo da situação financeira das empresas, você estará mais próximo de construir uma carteira estratégica.

Porém, lembre-se de que este é apenas um dos diversos aspectos observados pela análise fundamentalista. Portanto, além do grau de endividamento, procure aprender a observar outros indicadores para aprofundar suas leituras do mercado e suas oportunidades.

Quer contar com o apoio de profissionais qualificados para saber mais sobre os fundamentos de ações? Então entre em contato com nosso time de assessores!

Veja também

botão de concordância

0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Veja também

Postagens Relacionadas:

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.