Renova Invest Facebook

BMV: Conheça a principal bolsa de valores do México

BMV
BMV

BMV é a sigla em espanhol para Bolsa Mexicana de Valores. Assim, ela se refere à principal bolsa de valores do México — considerada a segunda maior bolsa de valores da América Latina no que se refere à capitalização de mercado de empresas listadas. Você já ouviu falar sobre ela?

Se você faz investimentos ou pretende começar a investir, pode fazer sentido conhecê-la. Afinal, uma das maneiras de diversificar a carteira é expor parte do capital a outros mercados. Dessa forma, vale conhecer bolsas de valores de outros países — que podem oferecer oportunidades de investimentos alinhadas à sua estratégia.

Se você quer descobrir mais sobre a história da bolsa de valores mexicana e saber como investir nela de maneira acessível, continue a leitura e confira!

O que é e como funciona a bolsa mexicana?

A bolsa de valores mexicana é uma entidade privada sediada na Cidade do México, e oferece o serviço mais completo do país. Por meio dela, comerciantes, corretores, investidores e outros participantes do mercado financeiro compram e vendem produtos financeiros.

Ainda, a BMV tem como objetivo buscar o desenvolvimento do mercado, ajudando em sua expansão e competitividade. Vale saber que ela é supervisionada por autoridades regulatórias, como a Comissão Nacional de Bancos e Valores Mobiliários, Ministério das Finanças e Crédito Público e Banco do México.

Qual é a história dessa bolsa?

Agora que você já sabe o que é a BMV, chegou a hora de conhecer a história dessa bolsa de valores. Ela teve início em 1894 com o nome de Bolsa Mercantil do México. Somente em 1975 a bolsa mexicana passou a ser conhecida pelo nome atual.

Nessa época, a bolsa de valores do México adquiriu bolsas menores — as de Monterrey e de Guadalajara. Já em 1999, o sistema de negociação da BMV se tornou totalmente eletrônico, o BMV-SENTRA Capitales, sendo um marco para a entidade.

Outro fator determinante foi a listagem de uma empresa estrangeira, a Citigroup, em 2001 — o que abriu portas para novas empresas, especialmente da América do Sul e Central. Com isso, em 2003, a BMV possibilitou o acesso a ações internacionais em seu ambiente.

Após 114 anos como empresa privada controlada por corretoras, a BMV se tornou uma empresa de capital aberto com o IPO em 2008. Nesse momento, ela foi listada em sua própria bolsa de valores sob o ticker BOLSAA.MX, e mais de 13 mil investidores compraram suas ações na ocasião.

Quais são as características da bolsa do México?

Após conhecer mais sobre a história da bolsa mexicana, é interessante saber as características dessa entidade. A seguir, você confere os principais aspectos da BMV!

Ativos negociados e requisitos para listagem na bolsa

Na bolsa de valores mexicana são negociados diversos ativos, como ações, além dos derivativos. As ações das ofertas públicas iniciais (IPOs), também são disponibilizadas via BMV.

Para ser listada na bolsa de valores mexicana, as empresas devem seguir alguns requisitos para demonstrarem o nível de salubridade. Em janeiro de 2022, as exigências eram:

  • ter, no mínimo, 200 acionistas;
  • apresentar 3 anos consecutivos de lucros;
  • pelo menos 15% das ações da companhia devem ser do público.

Principal índice e empresas listadas

O principal índice da BMV é o S&P/BMV IPC, que representa as ações das maiores companhias listadas na bolsa mexicana e que refletem a economia do país. A composição do indicador pode mudar a cada trimestre ou ano, dependendo da decisão da diretoria e da gestão da bolsa.

As companhias listadas na bolsa mexicana fazem parte de diferentes setores. Por exemplo:

  • bens de consumo básico;
  • financeiro;
  • serviços públicos;
  • serviços de telecomunicação;
  • materiais;
  • industriais;
  • saúde;
  • bens e serviços não básicos.

Dessa maneira, algumas das empresas que compunham o índice em janeiro de 2022 eram:

  • Televisa;
  • Telmex;
  • TV Azteca;
  • Cemex;
  • Santander México;
  • Coca-Cola FEMSA.

Vale a pena investir nessa bolsa?

Conhecendo as características da bolsa mexicana, você pode ter curiosidade em saber se vale a pena investir nela. Geralmente, os investidores que alocam no mercado internacional têm como objetivo a diversificação de carteira.

Ao expor o seu capital a outros mercados, você pode se proteger das instabilidades do cenário interno. Desse modo, se houver uma crise no Brasil, por exemplo, mas não no exterior, os seus recursos investidos no mercado internacional não serão afetados.

Isso permite diluir os riscos, bem como aumentar o potencial de rentabilidade. Ou seja, além de ser uma estratégia de proteção, você tem acesso a oportunidades diferenciadas.

Entretanto, é importante lembrar que essa alternativa deve fazer sentido para a sua estratégia de investimentos. Para isso, você deve entender qual é o seu perfil de investidor e quais são os seus objetivos com o aporte.

Como investir na BMV?

Se você entender que vale a pena investir na BMV, é preciso entender como fazer alocações em ativos listados nessa bolsa. Na prática, existem duas maneiras para acessar os investimentos mexicanos: direta e indiretamente.

Para a primeira, deve-se abrir uma conta em uma corretora de valores do México. Contudo, essa alternativa é mais burocrática, pois é necessário remessas internacionais e operações de câmbio. Em contrapartida, para investir por meio da segunda opção, basta ter acesso à bolsa de valores brasileira, a B3.

Com uma conta em um banco de investimentos brasileiro, você acessa o home broker — plataforma que insere o investidor no ambiente de negociações da B3. Feito isso, você pode procurar alternativas que proporcionem exposição a ativos da BMV.

Para tanto, existem duas principais possibilidades. Uma é por meio dos BDRs (brazilian depositary receipts), que são certificados de depósitos de valores mobiliários. Eles são emitidos no Brasil, mas tem lastro em ativos no exterior — como ações em empresas negociadas na BMV.

Outra forma de investir na bolsa mexicana é via ETFs (exchange traded fund). Esses fundos de investimentos espelham a carteira teórica de um índice de mercado. Assim, você pode procurar ETFs com exposição às companhias da BMV ou que repliquem índices mexicanos.

Como você viu, a bolsa de valores do México apresenta alternativas que podem se encaixar em sua estratégia de investimentos. Portanto, vale fazer uma análise desse mercado para compreender se incluí-lo em sua carteira faz sentido para seus interesses.

Quer ficar bem informado sobre o mercado? Acompanhe nossas publicações no Facebook, Instagram, Youtube e LinkedIn!

 

 

 

 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.