Renova Invest Facebook

Altcoin: conheça esse tipo de criptomoeda!

Altcoin
Altcoin

Quanto mais a tecnologia se desenvolve, mais oportunidades de investimento surgem. Uma das novidades são as criptomoedas. Embora o bitcoin seja a moeda digital mais conhecida, existem também os ativos do tipo altcoin.

Esse conceito é utilizado para se referir a uma série de ativos digitais disponíveis no mercado de cripto. Contudo, é necessário conhecer as diferentes características e categorias que envolvem esse conceito para poder investir adequadamente.

Quer saber mais sobre o que são as altcoins e como elas funcionam? Então acompanhe a leitura deste artigo!

O que é altcoin?

As criptomoedas conhecidas como altcoins são aquelas moedas virtuais alternativas ao bitcoin. Assim, toda moeda virtual é uma altcoin, com exceção do próprio bitcoin.

Vale notar que existem diferentes tipos de altcoins no mercado. Alguns podem ser baseados em mineração, outros servirem como tokens de utilidade, segurança ou stablecoin, por exemplo.

À medida que a tecnologia de negociações descentralizada avança, mais dessas criptomoedas surgem e têm destaque — ganhando espaço no mercado. Por isso, muitas pessoas enxergam nelas uma possibilidade interessante de investimento.

Como as altcoins são criadas?

Agora que você compreende o conceito de altcoin, vale a pena conferir um pouco sobre a história das moedas. Tudo começou com o surgimento de um grupo na internet chamado Cyperpunks. Eles buscavam criar uma moeda alternativa ao sistema monetário tradicional.

Aos poucos, o grupo realizou eventos e certos modelos começaram a ser criados. O bitcoin foi aquele que mais se destacou, apresentando qualidades em suas transações financeiras. Pouco tempo depois, outros ativos digitais surgiram.

A namecoin foi a primeira proposta substituta ao bitcoin. Posteriormente, diversas outras foram desenvolvidas. Cada uma apresenta suas próprias características e funcionamento. Algumas operam com base em sistemas semelhantes ao do bitcoin (blockchain), outras não.

Quais as categorias de altcoins?

Além de compreender o que as altcoins são e como elas surgiram, também é importante conhecer as diferentes categorias que existem. Elas são:

Stablecoins

As stablecoins são criptomoedas indexadas a um valor monetário centralizado, como o dólar ou euro. Essa vinculação é utilizada para reduzir oscilações dos valores que podem concorrer. Assim, o intuito é minimizar o risco de grandes perdas de dinheiro.

Criptomoedas de mineração

Também existem as criptomoedas fundamentadas em mineração. Esse sistema funciona a partir de uma rede de computadores com processamento avançado que precisa validar as transações realizadas na blockchain. Quem realiza esse procedimento é recompensado com criptomoedas.

Tokens de segurança

Outro modelo de altcoin disponível são os tokens de segurança. Eles funcionam como um contrato de investimento. É comum que eles sejam vinculados a uma empresa e controlados por leis de segurança rígidas. Geralmente, os contratos fornecem participação em lucros e direito de voto.

Tokens de utilidade

Por fim, também existem os tokens de utilidade. Essa categoria oferece ao seu detentor acesso a determinados produtos ou serviços. Tem sido comum a utilização desse tipo de altcoin por equipes esportivas, como o intuito de engajar os fãs, além de valorizar os recursos da equipe.

Quais são os exemplos de altcoins no mercado?

Como você viu, há diferentes categorias de altcoin. Logo, é encontrada uma diversa gama de possibilidades para quem deseja conhecer e investir nesse mercado. Apesar disso, certos ativos ganham mais destaque do que outros.

Por isso, confira a seguir algumas das altcoins mais conhecidas!

Ethereum

A ethereum (ETH) é uma das criptomoedas de maior destaque, sendo a maior altcoin por capitalização de mercado. Além de possuir seu próprio sistema de blockchain, a ethereum também conta com sua própria criptomoeda — conhecida como ether (ETH).

Por meio dela são realizados contratos digitais, que permitem a execução de aplicativos descentralizados. Um ponto que merece atenção é que a ethereum está em constante desenvolvimento, trazendo cada vez mais inovações para a tecnologia blockchain.


Litecoin

A litecon é uma altcoin que possui funções parecidas ao bitcoin. Lançada em 2011, seu objetivo era desenvolver um modelo global para pagamentos digitais. Assim, ela procura possibilitar transferências e pagamentos online. Além disso, seu processamento é 4 vezes maior que o bitcoin.

Ripple

Essa criptomoeda chama a atenção por ser independente, desvinculada de entidades ou pessoas. Seu código é aberto, permitindo transações mais baratas e rápidas do que as outras redes de pagamento. As operações podem ser realizadas de 3 a 5 segundos.

Tether

O tether apresenta um modelo de altcoin semelhante ao stablecoin. Isso porque a criptomoeda tem sua estabilidade comparada ao dólar. Por meio dela os investidores e usuários podem realizar negociações internacionais de forma simples, se comparada às operações com moedas estatais.

Como investir em altcoins?

Depois de compreender o que são as altcoin, quais suas categorias e principais exemplos, vale a pena saber como investir nessa oportunidade. Como foi possível observar, essas criptomoedas podem ser usadas em transações financeiras e também como investimento.

Contudo, é necessário tomar determinados cuidados antes de decidir investir nelas. Nesse sentido, é importante:

Conhecer seu perfil investidor

O primeiro passo para investir em altcoin adequadamente é analisar sua tolerância ao risco. Isso pode ser feito a partir do teste de suitability, disponibilizado pelo banco de investimento que intermediará suas negociações no mercado financeiro.

Existem três perfis principais:

  • conservador: são investidores que prezam pela segurança em seus investimentos, ainda que abram mão da possibilidade de altas rentabilidades;
  • arrojado: os arrojados são pessoas que buscam maior possibilidade de rendimento, estando dispostos a correr maiores riscos;
  • moderado: como um meio-termo entre os dois anteriores, os moderados estão dispostos a correr riscos maiores, mas também alocam parte de seu capital em investimentos seguros.

Buscar alternativas com segurança institucional

O mercado de criptoativos pode ser negociado diretamente a partir de exchanges. Essas são plataformas voltadas às transações de criptomoedas. Contudo, elas não são regulamentadas no Brasil. Assim, falta segurança institucional nas operações diretas.

Diante dessa situação, para evitar riscos de fraudes, pirâmides financeiras e roubos, é importante optar por maneiras mais seguras de investimento. Um exemplo são os fundos de índice (ETFs) vinculados às criptomoedas.

Por meio dos ETFs de criptomoedas, por exemplo, você se expõe indiretamente aos ativos digitais, comprando cotas do fundo. A gestão dos recursos é feita por um profissional e existe a segurança institucional promovida pela própria bolsa de valores e por órgãos do mercado financeiro brasileiro.

Como vimos, compreender o que é uma altcoin ajuda a manter-se atualizado sobre as novidades do mercado de investimentos. Mas você também viu que é importante ter cuidado, avaliar suas condições e estudar as maneiras mais seguras para investir, caso tenha interesse!

Você conhecia o conceito e funcionamento dessas criptomoedas? Para saber mais sobre esses ativos, leia nosso artigo sobre como minerar bitcoin!

Veja também

botão de concordância

0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.