No dia 30 de julho, foi apresentado o resultado Usiminas (USIM5) 2T21 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Usiminas apresenta resultados recordes

De acordo com o relatório do BTG Pactual, a Usiminas (USIM5) apresentou um conjunto impressionante de resultados no trimestre, amplamente em linha com as estimativas.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, o desempenho superou as estimativas da equipe.

O destaque do período foi o forte desempenho operacional em siderurgia.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações USIM5 estavam sendo negociadas a R$ 20,80. A capitalização de mercado era de R$ 25,86 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 311,16 milhões.

USIM5: Análise Completa e Resultados Usiminas 2T21

Siderurgia traz forte desempenho operacional

Conforme informa o relatório da Eleven, a Usiminas apresentou mais uma vez resultados fortes para a siderurgia.

A unidade reportou 1,3 milhões de toneladas vendidas. Esse número representa crescimento de +4,9% em relação ao 1T21 e superou as estimativas da equipe.

Em relação às vendas totais, as exportações caíram -25% em comparação ao 1T21. Por outro lado, os volumes domésticos aumentaram em +7%. O volume de vendas foi 95% destinado ao mercado interno.

Em virtude da força dos preços da siderurgia no Brasil ao longo do 2T21, o resultado operacional da unidade bateu recorde no período.

A receita da unidade totalizou R$ 7,7 bilhões. Isso representa um aumento de +28% na receita líquida por tonelada em comparação ao 1T21. Enquanto isso, o EBITDA ajustado superou R$ 2 bilhões, com margem de 26,1%.

Os preços realizados mais elevados devem continuar a impactar os resultados nos próximos trimestres devido a um efeito residual, segundo o BTG Pactual.

Mineração sofre queda de margens

Apesar dos resultados fortes em volumes e preços, a unidade de mineração da Usiminas sofreu com a queda das margens no 2T21, de acordo com a Eleven.

O volume de vendas totalizou 2,1 milhões de toneladas. Devido aos preços mais altos do minério de ferro no trimestre, os preços realizados cresceram +20% na comparação trimestral.

Dessa forma, a receita da unidade ficou em R$ 2,1 bilhões, com EBITDA totalizando R$ 1,5 bilhão. Esse resultado recorde representa alta de +38% em relação ao 1T21. Todavia, a margem foi pressionada em -1,5 p.p. devido ao aumento dos preços dos fretes marítimos.

Também houve a reclassificação de custos deduzidos da receita bruta para o CPV. Desconsiderando este efeito, a margem ficou em linha com as estimativas da equipe. A sigla CPV indica o custo dos produtos vendidos.

Sólida geração de caixa

De acordo com o BTG Pactual, o FCF (fluxo de caixa livre) reportado pela Usiminas no 2T21 foi impressionante, com yield anualizado de 27%.

O resultado foi impulsionado pelo desempenho dos preços do minério de ferro e do aço. Segundo a Eleven, a companhia encerrou o trimestre com posição de caixa de R$ 6,1 bilhões.

Em virtude disso, o balanço da Usiminas assumiu uma posição de caixa líquido de R$ 220 milhões. A companhia aproveitou essa oportunidade de geração de caixa para reduzir agressivamente a alavancagem financeira.

Em sua conferência de resultados, a Usiminas enfatizou que pretende continuar focada no programa de capex. Cabe destacar que a reforma do alto-forno 3 deve gerar gastos na ordem de R$ 2,1 bilhões até 2023.

Em relação aos dividendos, a companhia deve seguir a política de payout de 25% sobre o lucro líquido.

USIM5: Análise Completa e Resultados Usiminas 2T21

EBITDA cresce no trimestre

Conforme informa a Eleven, o EBITDA da Usiminas ficou em R$ 3,5 bilhões. O número revela alta de +48,8% em relação ao 1T21.

Cabe destacar que o resultado já desconsidera os efeitos não recorrentes de R$ 1,5 bilhão relativos à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e Cofins.

Lucro Líquido supera estimativas

De acordo com o relatório da Eleven, o lucro líquido da Usiminas no segundo trimestre foi de R$ 4,54 bilhões. Esse resultado representa alta de +277% em relação ao 1T21. O resultado superou as estimativas da equipe em +87,8%.

USIM5: Análise Completa e Resultados Usiminas 2T21

Resultado Usiminas (USIM5) 2T21: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual está confiante de que a Usiminas (USIM5) pode continuar surpreendendo positivamente. Em especial, nas suas principais divisões de aço e minério de ferro devido ao cenário favorável de preços.

Com o valuation mais barato em sua cobertura brasileira, com FCF yield acima de 25%, a equipe destaca que as ações estão sendo mal precificadas pelo mercado.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 24,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a Usiminas (USIM5) reportou um desempenho trimestral impressionante. Os resultados foram favorecidos pelos preços altos das commodities e demanda crescente.

A Usiminas encerrou o trimestre com sólida geração de caixa e redução de sua dívida líquida. Isso permite que a companhia foque em seus investimentos em capex nos próximos anos.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 23,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado Usiminas (USIM5) 2T21. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.