As inovações tecnológicas influenciam cada vez mais o mundo. Nesse sentido, os criptoativos pautados em tecnologia blockchain têm causado diversos avanços. Dentro do mercado da arte, por exemplo, o superRare coin (RARE), é uma demonstração disso.

Utilizado como a base para as negociações de obras de artes em NFT, esse criptoativo chama atenção de investidores por estar ligado a um mercado de grande exclusividade. Contudo, se expor a essa alternativa envolve riscos, o que torna necessário cautela e conhecimento antes de investir.

Ficou interessado e deseja saber mais sobre o que é o superRare coin e como investir nesse ativo? Então continue a leitura deste artigo e tire suas dúvidas!

O que é o SuperRare?

Para entender de maneira adequada o que é o superrare coin, antes é necessário conhecer a SuperRare. Essa é uma plataforma de marketplace voltada à comercialização de artes digitais autênticas e únicas.

A plataforma garante a particularidade das obras que circulam nela com uso da tecnologia. Dessa forma, cada obra criada por um artista se transforma em um NFT (token não fungível).

Com base nessas características, a SuperRare fornece exclusividade aos seus consumidores e colecionadores, uma vez que as obras em NFT não podem ser copiadas. Trazendo vantagens tanto para artistas como apreciadores de arte, essa plataforma cresce cada vez mais.

Apenas para exemplificar, no início de 2022 mais de 90 milhões de dólares já haviam circulado pela SuperRare — sendo 3 milhões pagos em royalties aos artistas.

O que é como funciona o SuperRare Coin (RARE)

Agora que você sabe o que é a plataforma SuperRare, é possível analisar o token base da plataforma. Ele é o superrare coin, também conhecido como RARE.

Esse é um token ERC-20 utilizado para a realização da curadoria e governança do DAO (organização autônoma descentralizada) que rege a plataforma. Logo, o RARE funciona como uma criptomoeda utilizada para intermediar as negociações de NFTs realizadas na SuperRare.

Além de funcionar como uma moeda para comprar artes exclusivas, o RARE também pode ser compreendido como um investimento. Isso porque ele é compatível com sistemas de blockchain como a Ethereum, e pode ser negociado dentro do mercado de criptomoedas.

Como surgiu o SuperRare Coin?

Depois de compreender o que é e como funciona o superRare coin, vale a pena conhecer um pouco de sua história e surgimento.

A plataforma SuperRare foi fundada em 2017 e, apesar de parecer, ela não pode ser considerada uma empresa. Assim, não há uma liderança tradicional. Na verdade, existe um conselho de governança que controla o tesouro da comunidade, por meio de uma carteira multi-assinatura.

QUANTO VOCÊ TERIA HOJE SE TIVESSE COMPRADO UM BITCOIN HÁ 10 ANOS ATRÁS?

Esteja preparado para sua próxima chance Rendimento bitcoin

Esteja preparado para sua próxima chance Rendimento bitcoin

O dever do conselho é executar o desejo da comunidade, que detém sua criptomoeda RARE. Portanto, os membros decidem em votação o que deve ser feito dentro da plataforma.

Ao todo, existem 7 membros que compõem o conselho em 2022, sendo eles:

  • John Crain: CEO e co-fundador da SuperRare Labs;
  • Nick Tomaino: parceiro de fundação da 1Confirmation — fundo de risco que apoia projetos de descentralização;
  • Derek Schloss: parceiro da CollabCurrency — fundo de risco com foco em criptoativos;
  • Cooper Turley: parceiro da FireEyes.xyz — coletivo de nativos de criptomoedas focado em tokenomics e governança;
  • Serena Tabacchi: fundador e curador do MoCDA (Museu de arte digital contemporânea);
  • Simona Pop: estrategista da Status — ferramenta de comunicação desenvolvida para permitir a livre circulação de informação de forma segura e com privacidade garantida;
  • Pindar Van Arman: artista da própria plataforma SuperRare.

Quais são as suas principais características?

Como foi possível notar, o superrare coin (RARE), é uma criptomoeda utilizada na plataforma SuperRare para intermediar a compra e venda de obras de arte NFTs.

Assim, tanto a plataforma quanto a moeda digital que fornece base para seu funcionamento estão pautadas em uma premissa básica. E ela é a crença de que o ato de colecionar é inerentemente social e que a exclusividade das obras gera valor.

Dessa forma, o objetivo da plataforma é permitir aos artistas e colecionadores interagirem em torno de suas paixões. Como consequência, espera-se valorizar ao máximo a produção de obras de arte de qualidade.

Para estimular essa valorização, a SuperRare desenvolveu os SuperRare Spaces. Elas são vitrines administradas de forma independente, podendo selecionar artistas, obras e promover vendas e leilões.

Cada espaço pode contar com seus próprios tokens e convidar artistas para cunhar NFTs com eles, seja em um único evento ou de forma contínua. Isso permite que o ambiente se torne uma galeria de arte criptografada única e soberana.

Uma vez que o RARE é a base dessas intermediações, ele se torna uma ferramenta essencial para garantir a exclusividade das obras criadas e comercializadas nesse espaço. Essa situação faz com que a moeda possa se valorizar diante da unicidade das negociações NFTs que ela media.

Como investir no mercado de NFTs de forma segura?

Até aqui você conferiu as principais informações sobre o superRare coin, criptomoeda base da plataforma SuperRare. Como vimos, ele tem sido fundamental para a negociação de obras de arte em NFT.

Como são tokens únicos, sua exclusividade muitas vezes chama a atenção de investidores. Mas então, como investir em NFTs? Em muitos casos é possível adquirir esses tokens por meio dos chamados mercados de NFTs.

Essas são plataformas que realizam leilões, em que cada token tem um lance mínimo. Quem der o melhor lance precisa transferir os recursos — geralmente usando criptomoedas. Por isso, o investimento em NFTs está diretamente atrelado ao mercado de moedas digitais.

Contudo, embora apresente oportunidade de ganhos, esse mercado também apresenta riscos. Isso se deve tanto à volatilidade dos criptoativos quanto à incerteza de segurança das exchanges — empresas que mediam a compra e venda de ativos.

Essas plataformas não são regulamentadas no Brasil. Por esse motivo, há maior risco de o investidor cair em golpes. Mas existem maneiras mais seguras de investir no mercado de criptoativos. Por exemplo, fundos de investimentos ou fundos de índice (ETF) ligados a esse mercado.

Essas são alternativas regulamentadas. Logo, elas oferecem segurança institucional. Assim, ter exposição indireta ao mercado digital pode ser uma maneira mais vantajosa de lidar com os riscos e as possibilidades desses investimentos.

Conclusão

Agora você sabe que o superRare coin é a criptomoeda base das negociações de arte NFT da SuperRare. Como vimos, ele pode ser um investimento promissor, mas também existem riscos significativos. Por isso, é importante buscar as formas mais seguras de investir.

Gostou destas informações? Para saber mais sobre as novidades que os avanços tecnológicos têm proporcionado ao mercado, leia nosso artigo sobre o que é NFT e como investir nessa alternativa!