Investir com objetivo de criar novas fontes de renda e ampliar o próprio capital faz parte do planejamento de muitos investidores. No entanto, um aspecto que também deve ser considerado nesse momento é a proteção patrimonial.

Esse método busca trazer uma maior segurança e tranquilidade para a sua vida financeira. Ainda assim, é comum encontrar pessoas que sintam dificuldades em elaborar e executar estratégias com esse objetivo.

Pensando nisso, neste artigo você entenderá o que é a proteção patrimonial e a sua importância. Também poderá conhecer formas de investir priorizando esse objetivo.

Continue a leitura!

O que é proteção patrimonial?

A proteção patrimonial consiste em desempenhar estratégias que objetivam trazer proteção ao seu capital. Assim, o intuito é fazer com o que ele possa perdurar por longos períodos — pensando, inclusive, em uma possível sucessão.

É bastante comum enfrentar situações de crise ao longo da vida, que fogem do planejamento financeiro inicial, certo? Dessa forma, a prática da proteção de patrimônio visa garantir uma maior tranquilidade para famílias em momentos como esse.

Para quem é empresário e sócio de outros negócios, a questão ganha ainda mais importância. Nesse contexto, é possível enfrentar complicações de âmbito jurídico ou tributário que colocam em risco o capital pessoal.

Assim, a proteção patrimonial terá um papel importante em separar a pessoa física da jurídica e, consequentemente, trazer segurança em relação aos bens. Em casos como esse, também é comum ouvir o termo blindagem patrimonial.

No entanto, há algumas diferenças entre os dois. A blindagem se configura em uma ação reativa. Ou seja, o empresário passa a buscar soluções enquanto enfrenta ou projeta enfrentar problemas.

Já a proteção patrimonial, por sua vez, é uma estratégia preventiva. Isso significa que o planejamento tem início antes de qualquer tipo de situação. Assim, o método traz uma segurança muito maior para os envolvidos e suas respectivas famílias.

Em quais situações a proteção patrimonial pode ser necessária?

Como você viu, a proteção patrimonial é uma prática com um papel importante para trazer maior segurança em relação ao patrimônio construído. Consequentemente, ignorar essa questão pode colocar em risco os bens de uma família.

Conheça algumas das principais situações em isso pode ocorrer!


Societários

Problemas em sociedades empresariais se configuram em um dos principais riscos para o patrimônio. Assim, disputas entre ex-sócios podem avançar e colocar em risco o capital da organização e também os bens pessoais dos envolvidos.

Trabalhistas

Outra situação que apresenta um risco para o patrimônio — especialmente de empresários — está ligada aos riscos trabalhistas. Um problema com um colaborador ou prestador de serviço pode desencadear um longo processo na justiça do trabalho.

Além de trazer desafios para a imagem da organização no mercado, esse contexto pode impactar as finanças empresariais e pessoais. Para evitar problemas, é importante investir em proteção patrimonial.

Fiscais e tributários

Os riscos fiscais e tributários acontecem após o não cumprimento das obrigações legais nessas áreas. Portanto, essa situação pode acarretar problemas jurídicos para a pessoa física e a jurídica — consequentemente, ameaçando seu patrimônio.

Familiares

Também é importante destacar os riscos familiares. Eles podem ocorrer a partir de divórcio, desentendimentos sobre heranças e também com a elaboração de planejamentos sucessórios falhos, por exemplo.

Ambientais

Por fim, um risco que, muitas vezes, se ignora é o ambiental. Descumprir algum tipo de legislação ou ter problemas ambientais podem ameaçar o patrimônio construído.

Como fazer a proteção patrimonial?

Agora você sabe que há uma série de situações que podem colocar em risco o seu patrimônio. Contudo, saiba existem estratégias que colaboram para garantir a proteção do seu capital.

Saiba mais!

Holding familiar

Um dos métodos mais utilizados para a proteção patrimonial está na criação de uma holding familiar. Ela consiste em uma empresa que funciona exatamente com o objetivo de manter o patrimônio de uma família protegido.

Ademais, por ser uma pessoa jurídica, podem existir incentivos no âmbito fiscal e tributário. Assim, esse tipo de investimento pode resultar em economia no longo prazo.

Planejamento sucessório

Outra estratégia muito buscada por investidores que desejam fazer a proteção patrimonial é o planejamento sucessório. Essa prática consiste em estruturar, juridicamente, a passagem de bens de uma pessoa aos seus herdeiros.

Esse planejamento é fundamental para minimizar as chances de desentendimentos sobre o compartilhamento do patrimônio — que poderiam colocá-lo em risco. Além disso, assim como a holding patrimonial, ele também pode trazer uma redução de custos fiscais.

Fundos exclusivos

Outra possibilidade de proteção patrimonial, especialmente para famílias com elevado capital, é criar um fundo exclusivo. Ele tem como característica a criação de um CNPJ próprio. Portanto, servirá para desvincular o capital da pessoa física e jurídica.

Ele tem as mesmas características de um fundo de investimentos convencional. No entanto, é pensado exclusivamente para atender o perfil e os objetivos de seu único cotista ou de um pequeno grupo — no caso dos fundos restritos —, trazendo a proteção para o patrimônio da família.

Como investir visando proteção patrimonial?

Como você viu, um dos aspectos da proteção patrimonial engloba a proteção contra eventuais crises. Portanto, é essencial pensar em investimentos que estejam de acordo com esse plano.

Nesse contexto, a diversificação do portfólio de investimentos é fundamental. Isso inclui adicionar diferentes ativos e diferentes classes na sua carteira. Assim, você pode equilibrar os riscos e possivelmente atingir uma melhor rentabilidade.

Além disso, é importante pensar na maior segurança de, pelo menos, uma parcela do seu capital. Para isso, considere os produtos que a renda fixa tem a oferecer. A previsibilidade de retornos é um ponto positivo para a proteção do patrimônio.

Ao compor o portfólio, você deve, ainda, ter cuidado especial com a inflação. Afinal, ela pode corroer seu patrimônio pela perda do poder de compra. Logo, buscar investimentos atrelados à inflação pode ser uma estratégia relevante.

Por fim, contar com o suporte de uma assessoria será importante para tornar esse processo mais simples. Os profissionais poderão auxiliá-lo com informações úteis para você decidir como fazer a montagem de uma carteira que vise proteção patrimonial.

Como vimos, a proteção patrimonial é uma prática para trazer mais segurança aos investidores. Ignorar esse planejamento pode ser o catalisador de uma série de dificuldades, que colocarão em risco todo o patrimônio de anos de trabalho. Por isso, vale a pena considerar essa estratégia!

Gostaria de entender como planejar melhor os seus investimentos? Aproveite para entrar em contato com um de nossos assessores na Renova Invest!