No Japão, a busca por um sistema mais ágil, democrático e sem burocracia tem dado origem a novos criptoativos. Para explorar uma das possibilidades, conhecer o que é o Cardano é um bom ponto de partida.

Essa plataforma se intitula a terceira geração do blockchain e conta também com uma moeda digital. Porém, você deve ser capaz de reconhecer os riscos, pois eles podem ser determinantes para a tomada de decisão.

A seguir, descubra o que é Cardano e entenda como essa plataforma em camadas pode ser útil!

O que é Cardano?

O Cardano é um projeto de código aberto que é baseado em camadas e que utiliza a tecnologia blockchain para o seu funcionamento. Semelhantemente a outras versões, ele prevê a descentralização de movimentações e a transferência rápida de recursos ponto a ponto.

Por suas características e seu local de desenvolvimento, é conhecido como Ethereum japonês. Isso faz referência a uma plataforma conhecida. Porém, o Cardano também tem suas próprias qualidades e expectativas quanto às operações.

Qual é a criptomoeda dessa blockchain?

Assim como acontece com a Ethereum, que tem a moeda própria (Ether), o Cardano conta com um token digital próprio. Ela tem o mesmo nome da plataforma e, por isso, a confusão acaba sendo comum.

O Cardano, enquanto moeda digital, serve como uma espécie de câmbio próprio para a plataforma com o mesmo nome. Portanto, permite que as operações sejam concluídas de modo ágil, seguro e prático.

O preço mais alto da moeda foi obtido no começo de 2018, quando alcançou US$ 1,27 e uma capitalização total superior a US$ 33 bilhões.

Como a plataforma Cardano funciona?

Para saber o que é Cardano, tanto como moeda quanto como plataforma, é preciso entender seu funcionamento. Essa blockchain se baseia em duas camadas, possibilitando movimentar tokens da Cardano.

A ideia é transferir de uma carteira de criptomoedas para outra com segurança, rapidez e boa capacidade.

As etapas de validação e verificação de transferências utilizam o protocolo de proof-of-stake (PoS) ou prova de participação. Assim, os validadores devem utilizar os tokens digitais, que é a criptomoeda associada à plataforma.

Isso é diferente do processo de mineração de moedas que depende apenas do uso de recursos computacionais de alta capacidade, como no Bitcoin. Por causa de tal diferença, o processo se torna mais acessível. Em troca, os validadores são recompensados na forma de moedas digitais.

Quais são as suas maiores vantagens?

O projeto Cardano é, no geral, bastante ambicioso, mas também apresenta algumas vantagens. Em relação ao volume de operações por segundo, ele promete sair à frente do Bitcoin e mesmo se equiparar a serviços financeiros globais.

O foco principal é a escalabilidade. Logo, os desenvolvedores pretendem aumentar a capacidade do sistema, de modo a obter adaptação quanto à demanda de transferências e a outras características envolvidas.

Outro ponto importante é que sua construção em camadas a torna mais flexível. Em vez de ser necessário adaptar toda a estrutura, é possível mexer apenas nos pontos específicos de interesse, por exemplo.

Embora a estrutura ainda não esteja totalmente pronta, outras vantagens incluem a oportunidade de ter contratos inteligentes e mesmo de alcançar a interoperabilidade. Caso isso se concretize, será viável operar entre blockchains de forma eficiente e sem precisar de longas etapas.

Quais são os diferenciais em relação a outros ativos?

Além de todas as vantagens, o Cardano conta com alguns diferenciais sobre outras moedas e plataformas.

Um dos pontos principais é a adoção de uma metodologia científica. Enquanto outras moedas foram desenvolvidas de maneira menos complexa, o Cardano utiliza pesquisas completas para atender às necessidades específicas.

Além disso, há um trabalho consistente para o desenvolvimento de aplicativos descentralizados. Com ele, a plataforma pode se tornar mais prática, funcional e eficiente. No entanto, ainda carece de confirmação, conforme ocorrer a conclusão da segunda etapa.

Não menos importante, o Cardano prevê chegar mesmo em países desbancarizados. Essa é uma preocupação que não faz parte do roadmap de boa parte das criptomoedas. Logo, torna-se um diferencial importante.

Quais são os riscos associados ao Cardano?

O projeto Cardano é bem-estruturado e tem perspectivas que podem ser consideradas positivas. No entanto, o mercado de criptoativos muda rapidamente e ele pode perder seu apelo.

Caso seja substituído antes que a nova camada seja finalizada, pode ocorrer uma desvalorização.

Também é crucial considerar que a rede pode não atingir todas as expectativas, em relação aos serviços e ao desempenho. Com isso, a valorização posterior tende a ficar prejudicada, o que aumenta os riscos. Então, apesar das vantagens e de alguns sinais positivos sobre o Cardano, é preciso ter cuidado.

Em relação às criptomoedas, lembre-se de que a regulamentação ainda não existe no Brasil. Apenas os fundos de investimento em criptomoedas são regulados. Ainda assim, é preciso avaliar seu perfil do investidor para tomar uma boa decisão.

Agora que você já sabe o que é Cardano tem conhecimento sobre uma das plataformas promissoras do mercado. Ainda assim, é preciso ter atenção e acompanhar como o desenvolvimento de recursos acontecerá ao longo do tempo.

Para ter mais informações atualizadas e expandir seus conhecimentos, acompanhe nossas postagens no Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube!

Quer saber mais sobre as moedas digitais que estão fazendo sucesso no mundo dos investimentos?

Baixe nosso e-book elaborado por especialistas Renova Invest