Grupamento de ações: o que é inplit e como funciona?

O grupamento de ações – ou inplit – é um mecanismo comum na bolsa de valores. E seu funcionamento é simples de entender. Apesar disso, muitos investidores podem não conhecer a prática – ou não entender como ela funciona em detalhes.

Se você investe na bolsa de valores, no entanto, precisa estar atento a eventuais mudanças na sua carteira relacionada ao grupamento. Por exemplo, em situações nas quais o preço de suas ações aumentou e a quantidade de papéis no portfólio diminuiu.

Quer entender melhor o processo e descobrir como funciona o grupamento de ações? Então continue a leitura e saiba mais sobre o inplit!

O que é grupamento de ações (inplit)?

O grupamento de ações ocorre quando uma determinada companhia listada na bolsa de valores decide juntar alguns de seus ativos em um só.

Ou seja, quando ocorre o inplit, a empresa condensa seu valor de mercado em um menor número de ações. Como consequência desse processo, há também o aumento do valor patrimonial de cada ativo.

Como funciona o grupamento de ações?

O funcionamento é simples. Em determinados momentos, uma companhia pode entender que o preço das suas ações está baixo e assim, resolver agrupá-las para aumentar o preço unitário da ação.

O principal objetivo é torná-las mais atrativas. Afinal, o mercado e os investidores podem olhar para a companhia que realizou o inplit de forma diferente.

Isso porque, na prática, muitos priorizam ativos com valores maiores do que aqueles negociados a preços muito baixos. Por exemplo, imagine que cada ação da empresa X está sendo negociada a R$2,00. Na comparação com outros grandes negócios, o preço pode ser considerado baixo.

Assim, a companhia opta por agrupar alguns ativos. Decide transformar 10 ações em um único papel, com um novo preço de mercado de R$ 20,00. Percebe como a decisão pode mexer com a percepção de valor da empresa no mercado?

Nessa situação hipotética, portanto, os investidores que adquiriram um lote padrão de 100 ações por R$200,00, vão permanecer com esses R$200,00. Contudo, como houve o inplit, eles não terão mais 100 ações a R$2,00, mas sim 10 papéis a R$20,00 cada. Ou seja, há uma diminuição na quantidade de ativos e um consequente aumento de preço dos ativos que possui na carteira.

Importante ressaltar que o grupamento de ações não pode ser feito simplesmente porque as organizações desejam. A decisão deve ser aprovada em assembleia junto aos acionistas.

Antes de fazer o inplit, deve-se levar a sugestão aos sócios para que haja votação. Depois de todo o processo necessário para aprovação, a empresa pode efetuar o grupamento sem gerar prejuízos aos investidores.

Por que o grupamento acontece?

Um grupamento de ações pode ocorrer por diversos motivos. O primeiro deles é para tentar diminuir a volatilidade dos ativos. Ainda, a companhia consegue aumentar a liquidez dos papéis negociados.

Lembre-se de que, no caso das ações com preços mais baixos, qualquer centavo de oscilação pode representar um grande percentual de volatilidade. Por exemplo, se uma ação de R$1,00 sofrer uma desvalorização de R$0,10, ela terá desvalorizado 10%.

O outro motivo para o inplit ocorrer pode estar relacionado a um planejamento estratégico da empresa. Com isso, as cotações dos ativos podem ter ligação com a percepção de valor que os investidores têm da empresa.

Quais os impactos do inplit para o investidor?

Agora você já sabe o que é e como funciona um grupamento de ações. Mas, quais os impactos da prática para o investidor?

Na prática, o grupamento serve apenas para as empresas juntarem seus ativos – e reduzir a quantidade de suas ações no mercado. Sendo assim, o inplit não implica em grandes mudanças para os investidores.

Por outro lado, os investidores podem ter a vantagem de ter ações menos voláteis na carteira – o que pode ser positivo. Isso porque, como você já sabe, qualquer alteração no valor de uma ação com baixos preços pode ser bastante relevante.

É essencial ter em mente que, mesmo que o grupamento aumente o valor de uma ação, existe a possibilidade desse novo preço de face do ativo não se sustentar. Essa chance aumenta principalmente quando os fundamentos econômicos e financeiros da empresa não são saudáveis.

Note, contudo, que o inplit não impacta nos fundamentos da companhia. Logo, se a empresa não é solida, há grande probabilidade de a ação continuar se desvalorizando no mercado.

Exemplos de inplit no mercado financeiro

O inplit ocorre com certa frequência na bolsa de valores. E casos reais podem ajudar o investidor a entender melhor esse mecanismo.

Um deles ocorreu com a Ambev, em 2007. Nessa época, a corporação agrupou suas ações de 100 para uma.  Um segundo caso ocorreu em 2016, com a empresa de energia Eneva.

Na época, a companhia estava em recuperação judicial e realizou o inplit, juntando suas ações na razão de 100 para uma. A Enerva conseguiu recuperar o valor de seus papéis e reduziu consideravelmente sua dívida em menos de dois anos.

Agora ficou mais fácil de entender o que é inplit e como funciona o processo de grupamento de ações. Na prática, a decisão não modifica a condição da empresa e não traz nenhum ônus aos investidores, mas vale a pena entender o mecanismo.

Assim, você conseguirá avaliar sua carteira de maneira adequada quando um processo como este ocorrer. E entender as movimentações do seu portfólio de ações ao longo do tempo.

Gostou de conhecer mais sobre o grupamento de ações? Continue aprendendo com os conteúdos do blog para analisar ações com mais eficiência! Veja agora o que é análise fundamentalista e entenda como utilizá-la!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.