Na hora de selecionar as ações para investir, é preciso realizar análises que ajudem a encontrar os melhores ativos para a sua carteira. Uma estratégia adotada por alguns investidores é buscar as growth stocks — empresas com alto potencial de crescimento.

Mas, para fazer o aporte nesses ativos, assim como qualquer investimento, é importante entender mais sobre como eles funcionam. Com isso, você aumenta as suas chances de direcionar o dinheiro de forma eficaz e condizente com a estratégia escolhida.

Neste artigo, você conhecerá mais sobre as growth stocks, como encontrá-las e quais fatores observar antes de adicioná-las à carteira. Acompanhe!

O que são growth stocks?

O termo growth stocks em português significa “ações em crescimento”. Assim, trata-se de ações de empresas que apresentam lucros acima da média, com fins de investimento na própria operação. Ou seja, o negócio está em fase de investir no próprio desenvolvimento.

Por isso, é comum que o pagamento de proventos desses ativos fique abaixo da média. Para serem classificadas como growth stocks, as companhias precisam apresentar um alto CAGR (Compound Annual Growth Rate), que representa a taxa de crescimento anual composta.

Esse é um indicador que avalia a taxa de retorno em determinado período, demonstrando o percentual que seria observado em um investimento, se a rentabilidade fosse constante. Logo, não é um número real, mas uma aproximação.

Também é frequente que as chamadas growth stocks apresentem um crescimento de 50%, 100% ou até mais em seu DRE (Demonstrativo de Resultado do Exercício).

Ademais, as ações com potencial de crescimento costumam ser negociadas com múltiplos de preços mais altos. Em especial, o P/L (preço sobre lucro), P/VPA (preço sobre valor patrimonial da ação) e P/FCF (preço sobre fluxo de caixa livre).

Considerando essa dinâmica, elas podem ser negociadas a custos significativamente superiores ao seu lucro atual e ao valor patrimonial (VPA). Desse modo, a decisão de fazer o aporte deve ser cuidadosa, pois o desempenho anterior não garante o mesmo comportamento no futuro.

Como encontrar growth stocks?

Após compreender o conceito de growth stocks, é possível que você queira saber quais são as opções disponíveis no mercado financeiro, certo? O primeiro passo para isso é buscar por empresas com alto crescimento.

Um dos caminhos possíveis é selecionar aquelas que têm maior CAGR. Desse modo, você encontra alternativas no mercado nacional e internacional. Confira exemplos a seguir!

Growth stocks brasileiras

As growth stocks nacionais são negociadas na bolsa de valores brasileira, a B3. Muitas delas fazem parte do cotidiano das pessoas, por se referirem a marcas bastante famosas, como:

INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA

  • Banco Inter (BIDI11) — o Banco Inter fez o seu IPO (oferta pública inicial) em 2018 e já demonstrou um crescimento significativo, com renovações nos serviços;
  • Petz (PETZ3) — a Petz faz parte do segmento de pet shop. Sua estreia na bolsa aconteceu em 2020 e a marca demonstra uma importante ampliação do seu mercado, com presença física e digital;
  • Locaweb (LWSA3) — a Locaweb é uma empresa brasileira de tecnologia, que abriu seu capital na B3 em 2020. Suas ações já apresentaram uma valorização de 400%.

Growth stocks internacionais

No mercado internacional, é frequente que as ações com potencial de crescimento atuem no setor de tecnologia. Para fazer o aporte do Brasil, é possível contar a exposição indireta por meio dos fundos de investimentos ou BDRs (brazilian depositary receipts).

Confira alguns exemplos de growth stocks internacionais:

  • Amazon (AMZO34) — a Amazon é um e-commerce que também oferece produtos de fabricação própria, especialmente para o setor de tecnologia. Suas ações são negociadas na NASDAQ, uma importante bolsa de valores com sede em Nova Iorque, EUA;
  • Microsoft (MSFT3) — também no setor da tecnologia, a Microsoft oferece softwares para computadores e outros produtos eletrônicos. Assim como a Amazon, suas ações são negociadas na NASDAQ;
  • Alphabet (GOGL34) — apesar de menos conhecida, a Alphabet está presente na rotina de muitas pessoas pelo mundo. Isso porque a empresa é a dona do Google, maior buscador do planeta. Ela também possui capital aberto na NASDAQ.

Depois de conhecer esses exemplos, tenha em mente que essas são apenas algumas das empresas que podem ser consideradas growth stocks. Não se trata de uma indicação de investimentos. Cabe a você avaliar essas e outras alternativas de acordo com os seus critérios ao investir.

O que é preciso antes de investir em growth stocks?

Com o potencial de crescimento elevado, as growth stocks podem atrair a atenção de certos investidores. Mas é importante ter cautela e analisar outros fatores antes de incluir os ativos na carteira.

Como vimos, um dos pontos de atenção é que o comportamento pode não se manter no futuro. Assim, a valorização enorme de uma empresa pode não continuar. Sendo alternativas da renda variável, elas oferecem riscos importantes que devem ser considerados pelo investidor.

Veja alguns fatores que precisam ser analisados antes de realizar o aporte!

Perfil de investidor e objetivos

Independentemente do investimento, os primeiros critérios para analisar as boas alternativas para o seu portfólio são o seu perfil de investidor e os objetivos pessoais. Assim, fazer o teste de perfil e observar quais são as expectativas para o aporte são cuidados imprescindíveis.

Fundamentos das vias de crescimento

Para verificar se as empresas growth stocks realmente tem a capacidade de manter o crescimento no longo prazo, é preciso analisar os fundamentos das vias de crescimento. Isso inclui:

  • cenário do setor de atuação;
  • elevação do PIB (produto interno bruto);
  • ganho de participação no mercado.

Esses são aspectos que impactam as possibilidades de manter os resultados e ajudam a perceber se a companhia pode ser uma boa alternativa para investir.

Valuation da empresa

As empresas cujos ativos são considerados growth stocks também devem passar por um valuation. Essa análise tem como objetivo conhecer o valor intrínseco da companhia e auxilia a projetar o potencial de valorização — logo, de retorno do investimento.

Como os papéis de empresas com bom histórico de crescimento tendem a ser mais caros, é importante fazer esse estudo para saber se vale a pena se expor a isso. A informação ajudará a perceber a situação da companhia com mais clareza.

Existem muitas metodologias e cálculos para se chegar ao valor intrínseco da empresa. E o caminho escolhido pode afetar os resultados, pois há aspectos subjetivos envolvidos no processo. Por isso, busque mais conhecimento sobre o tema.

Agora que você já sabe o que são growth stocks e como avaliar o alinhamento com a sua estratégia, pode pensar se vale a pena investir nessas alternativas. Em caso de dúvidas, uma dica é contar com a assessoria de investimentos para obter suporte.

Precisa de ajuda para compreender as alternativas de investimentos? Conte com a Renova Invest. Fale com um de nossos assessores e solicite os esclarecimentos que precisar!