Come-cotas o que é e como funciona esse imposto

Come-cotas: o que é e como funciona esse imposto?

Um dos seus objetivos ao montar uma carteira de investimentos é otimizar a rentabilidade respeitando a sua tolerância ao risco, certo? Afinal, o lucro decorrente das suas boas escolhas tem um papel importante no aumento do seu patrimônio.

No entanto, o come-cotas pode causar surpresas a quem investe em determinados fundos. Há pessoas que, ao consultar os rendimentos, percebem que a quantidade de cotas que elas tinham diminuiu. Isso já aconteceu com você?

Vamos tirar as suas dúvidas neste artigo. Para entender o que é come-cotas, como funciona esse imposto e como ele afeta seus investimentos, continue a leitura!

O que é o come-cotas?

Come-cotas é um meio que a Receita Federal criou para tributar alguns Fundos de Investimentos. Como sabemos, é preciso pagar imposto sobre o lucro na maioria dos investimentos. Nesse caso, a cobrança ocorre de forma antecipada, a partir da redução de cotas que a pessoa tem no fundo.

Para entender melhor a diferença, pense na incidência de Imposto de Renda em outros investimentos. Por exemplo, se você investe em CDB (Certificado de Depósito Bancário), já percebeu quando é feita a cobrança de IR?

Ela ocorre com dedução na fonte no momento do resgate, de modo que você recebe o valor líquido. No entanto, em alguns Fundos de Investimento, o pagamento é antecipado, exatamente por meio do come-cotas.

Nos fundos sujeitos ao come-cotas, a cobrança de IR ocorre no último dia útil de maio e no último dia útil de novembro. Ela é feita com base na tabela regressiva de Imposto de Renda.

Como funciona a tabela regressiva de IR?

Já ouviu falar da tabela regressiva de Imposto de Renda? Basicamente, ela leva em conta que, quanto mais tempo seu dinheiro fica investido, menor é o imposto a pagar. Com base nisso, as alíquotas são as seguintes:

  • até 180 dias – 22,5%;
  • de 181 a 360 dias – 20%;
  • de 361 a 720 dias – 17,5%;
  • mais de 721 dias – 15%.

Olhando para essa tabela, suponha que você mantenha seu dinheiro investido em um CDB por quatro meses. Ao fazer o resgate, de quanto será o imposto? Será de 22,5% sobre o lucro. E se o período for de dois anos e meio? O IR será de 15%.

Agora, vejamos como a tabela regressiva se aplica ao come-cotas.

Qual é a alíquota do come-cotas?

O come-cotas é aplicado em alguns fundos diferentes. Existem aqueles de curto prazo, nos quais o dinheiro do cotista fica investido por até um ano. Acontece que, dentro desse período, existem duas alíquotas possíveis: a de 22,5% e a de 20%.

Qual delas a Receita Federal usará para cobrar o imposto de você? A resposta é simples: ela usará a menor. Desse modo, para fundos de curto prazo, a alíquota de IR é de 20%.

Por outro lado, há os fundos de longo prazo. De acordo com a tabela regressiva, investimentos que duram mais de um ou dois anos podem sofrer um IR de 17,5% ou 15% respectivamente. Para eles, de forma semelhante, será considerada a menor taxa: 15%.

Isso significa que, em maio e novembro, uma alíquota de 15% ou 20% é aplicada no lucro gerado pelos Fundos de Investimentos que envolvem o come-cotas. Em casos de resgate com alíquota maior, o desconto de IR será complementar ao que já foi antecipado.

Como o come-cotas é calculado?

Mas, afinal, como se dá o cálculo do imposto? Suponhamos que você tenha comprado cotas de determinado fundo. Então, chega o último dia útil de maio, e as cotas se valorizaram. Se o fundo é de longo prazo, o IR será de 15% sobre o lucro, certo?

No caso, o imposto não será debitado da sua conta corrente, nem da sua conta de investimentos. Ele será cobrado diretamente no fundo. Mas veja que interessante: a cobrança não pode afetar o valor da cota. Afinal, ela tem o mesmo preço para todos os cotistas.

Qual é a solução? Serão descontadas algumas cotas do fundo, mantendo o valor de cada uma intacto. Por isso, o imposto é chamado de come-cotas. No seu extrato, o IR aparecerá como resgate de cotas.

A própria gestão do fundo se encarrega de recolher as cotas e encaminhar o valor delas para a Receita Federal. Primeiro, apura-se o valor do imposto. Depois, verifica-se a quantidade de cotas correspondente. Por fim, elas são debitadas do fundo.

O come-cotas incide sobre quais Fundos de Investimento?

Agora você já entende o funcionamento do come-cotas. Mas é hora de falarmos sobre os fundos que estão sujeitos a essa cobrança. São estes:

Como você pode perceber, nem todos os fundos estão sujeitos ao come-cotas. Por exemplo, no Fundo de Ações a tributação é fixa de 15% e ocorre na hora do resgate. Também é diferente em Fundos de Previdência e de Debêntures Incentivadas ou Fundos Imobiliários.

Quais são as vantagens e as desvantagens do come-cotas?

A antecipação do Imposto de Renda pode ser vista tanto como vantagem quanto como desvantagem do come-cotas. Com o recolhimento sendo feito aos poucos, você sentirá um impacto menor na hora do resgate.

No entanto, a antecipação também significa que menos dinheiro seu está rendendo no longo prazo. Assim, pode trazer efeitos na rentabilidade acumulada. Afinal, se o dinheiro que é cobrado continuasse investido, ele também geraria rendimentos.

Além disso, com o come-cotas, o cotista gradualmente perde participação no fundo. Em alguns casos, pode ser interessante manter a quantidade de cotas, sendo necessário comprar outras para repor as que foram debitadas.

Por que é importante entender o funcionamento do come-cotas?

Percebe como é importante entender o funcionamento do come-cotas? Isso ajuda a evitar surpresas nos seus investimentos. Além disso, é um fator a se levar em conta antes de investir.

Entretanto, o fato de um fundo estar sujeito ao come-cotas não quer dizer que ele seja uma alternativa ruim. Você pode encontrar um fundo com esse imposto e concluir, avaliando um conjunto de fatores, que ele vale a pena na sua carteira.

O come-cotas é apenas um dos critérios que podem ajudar você a escolher um bom fundo para investir. Por isso, é essencial se informar sobre investimentos para tomar boas decisões. Inclusive, uma assessoria de investimentos pode ser o que você precisa para entender mais!

Gostou das informações que reunimos neste artigo? Aproveite para descobrir como funciona uma assessoria de investimentos e por que vale a pena contar com ela!

(Visited 19 times, 1 visits today)

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta


Mais Lidos

Postagens Relacionadas

Categorias

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.