Busca de Artigos no blog

Radar: Bolsas em queda

Brasão do logo do Federal Reserve, o banco central americano
Brasão do logo do Federal Reserve, o banco central americano

No vermelho. A semana foi marcada pela queda nos principais índices de ações, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.

Os últimos dias também foram marcados por momentos de menor liquidez nos mercados, com feriados nos Estados Unidos e no Brasil retirando parte das negociações da semana.

Apesar do resultado negativo, ampliando um pouco mais nosso olhar para o mês, a semana não foi suficiente para apagar os bons números do mercado americano no mês.

Já o mercado brasileiro tem seguido na contramão dos mercados internacionais desde meados do mês, quando houve o racha na decisão do Copom. Veja no gráfico abaixo:

Gráfico de rentabilidade das bolsas nos EUA e no Brasil em maio.

Mercados na semana

  • Ibovespa: -1,71% | 122.098 pontos
  • S&P 500: -0,51% | 5.278 pontos
  • Nasdaq: -1,10% | 16.735 pontos
  • Dólar: +1,58% | R$ 5,2492
  • Bitcoin: -1,40% | US$ 67.588

O preferido do BC americano

Ao longo da semana, os investidores permaneceram na expectativa pela divulgação do núcleo do PCE, que foi divulgado apenas nesta sexta-feira.

Esse é o principal indicador de inflação que o Federal Reserve (Fed), o banco central americano, acompanha para suas decisões de juros. Ele exclui da conta itens considerados mais voláteis na economia, como alimentos e energia.

O que aconteceu?

A próxima reunião do Fed para decidir os juros acontece em duas semanas, com a decisão no dia 11 de junho, mas investidores ainda esperam que o primeiro corte de juros acontecerá somente em setembro.

O que mais movimentou o noticiário internacional:

Representação de inteligência artificial, com mão robótica segurando chip.

Antes da queda, o recorde

Os mercados americanos encerraram a semana em queda, mas vale registrar: o índice Nasdaq Composite chegou a atingir, mais uma vez, um recorde histórico de pontuação.

O índice foi influenciado positivamente pelas ações da Nvidia, que seguem em forte valorização. A companhia tem surpreendido pela sua atuação referente à evolução da IA – relembre a história aqui.

Na máxima da semana, as ações chegaram a se valorizar perto de 9%. Ela se aproxima da marca dos US$ 3 trilhões e ameaça a posição da Apple como segunda companhia mais valiosa do mercado.

Outro lado

Mas, se há vencedores nessa ascensão da inteligência artificial, também há possíveis perdedores. Nessa semana, a Salesforce se destacou no mercado americano ao despencar mais de 20%.

O culpado? Uma possível ameaça da IA sobre seus negócios. A retração do Salesforce também colocou pressão sobre outras companhias do setor de tecnologia e incentivou um movimento de realização de lucros.

Mais destaques na IA:

Representação de caminho alternativo

Desancoragem

No Brasil, uma expressão vem ganhando cada vez mais importância nos mercados: desancoragem de expectativas.

Isso acontece quando os especialistas projetam uma dinâmica dos preços fora da meta de inflação, o que normalmente acontece em momentos de choques ou diminuição de credibilidade do Banco Central.

E por que isso importa?

Na semana anterior, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, admitiu que a desancoragem das expectativas levou a uma mudança na política monetária.

Essa desconfiança aumentou após a divisão na última reunião do Copom, em 08 de maio. Mas Campos Neto defendeu que essa situação tende a retroceder à medida que a autoridade monetária conseguir reforçar que a decisão foi técnica.

A ver os próximos passos. A próxima decisão do Copom acontece em 19 de junho.

Ok, e o que mais aconteceu na semana?

Você também deve ler:

Lanterna.

Luz no fim do túnel

A Light enfim conseguiu avançar em seu plano de recuperação judicial ao conseguir a aprovação dos credores.

Leitura rápida:

  • Entre os principais pontos, a companhia fará um aumento de capital de até R$ 3,2 bilhões e irá converter R$ 2,2 bilhões em dívidas em novas ações – os principais acionistas se comprometeram a aportar R$ 1 bilhão.
  • Vale lembrar: a dívida total da companhia supera os R$ 11 bilhões.
  • Credores com até R$ 30 mil a receber terão direito ao pagamento integral. Esses recursos devem ser pagos 90 dias após a homologação do plano na Justiça.
  • A previsão é que a homologação aconteça até julho.

O que mais aconteceu no noticiário corporativo:

Pac-man, representando o come-cotas.

Não se assuste

Se você tem fundos de investimentos, um lembrete importante: nesta sexta-feira acontece o “come-cotas”.

Ou seja, ao conferir no seu extrato os investimentos em fundos, você pode notar uma diferença de valores em relação aos últimos dias.

O que significa o come-cotas?

  • Essa é uma antecipação do imposto de renda que é cobrada sobre diversas categorias de fundos, como os multimercados e os de renda fixa. A cobrança acontece sempre nos meses de maio e novembro.
  • Na prática, o recolhimento é feito via retirada de cotas do mercado. Daí o nome “come-cotas”.

Vale lembrar: o último dia de maio também marca o fim do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda.

A exceção são os contribuintes do Rio Grande do Sul, que tiveram o prazo estendido para 31 de agosto.

Como a semana se refletiu nos seus investimentos?

Nós temos um time premiado por 5 anos consecutivos e pronto para avaliar os impactos e caminhos para a sua carteira de investimentos.

Aproveite e agende agora uma reunião com um de nossos assessores.

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.