Por que e como investir na China? Descubra!
Por que e como investir na China? Descubra!

Por que e como investir na China? Descubra!

Investidores que se interessam por ter ativos no exterior precisam saber como investir na China. Afinal, há anos esse país asiático apresenta bons resultados econômicos, sendo considerado a segunda maior economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

O crescimento chinês é perceptível em diversos setores. Inclusive, muitos acreditam que o país possa se tornar a maior economia do mundo em um futuro próximo – em meados de 2030. Parece interessante, não é mesmo?

Se você tem interesse em descobrir por que e como investir nesse país asiático, acompanhe a leitura e saiba como fazer seus investimentos na China sem precisar sair do Brasil ou abrir contas no exterior!

Por que pode valer a pena investir na China?

Antes de descobrir como investir na China, é importante compreender o que torna esse país atraente para quem investe no mercado financeiro. Para isso, você verá algumas informações que o banco BTG Pactual reuniu acerca do tema.

Confira abaixo informações que confirmam que a economia chinesa pode ser atraente!

Tecnologia e varejo

Basta procurar algumas notícias na internet para saber que o ramo da tecnologia é um ponto forte nesse país. O setor vem crescendo, recebe bons investimentos e é aprimorada constantemente. Ainda, a China conta com diversas grandes companhias desse segmento.

Conforme análise da equipe do BTG, os resultados obtidos tanto no varejo quanto na tecnologia é dinâmico e heterogêneo. Segundo os analistas, há grandes oportunidades de crescimento e consolidação em diversos setores relacionados, trazendo a possibilidades de bons lucros.

O relatório do banco destaca o varejo eletrônico, e cita como grandes potências, companhias como Alibaba, Meituan Dianping e a Tencent.  Inclusive, a China é a líder global nesse setor, o qual ainda tem muito potencial de expansão com o avanço da internet.

Ou seja, os hábitos de consumo ficaram mais digitais, mas se fortaleceram principalmente com a pandemia provocada pelo Coronavírus. Contudo, a expectativa é que esse novo comportamento de compras online continuará forte mesmo após a Covid-19.

Potência consumidora

Ainda segundo o documento do BTG Pactual, o crescimento da economia chinesa culminou em um processo de urbanização do país. Assim, muitos que viviam nas zonas rurais passaram a viver em áreas urbanizadas e a trabalhar em empregos de alta produtividade nas cidades, realocando a mão-de-obra.

Isso resultou no crescimento do poder de compra das famílias, aumentando o consumo, aquecendo o mercado chinês e consequentemente, influenciando no PIB do país.

Patentes

A China demonstrou ser um país inovador, principalmente na área tecnológica. Isso é perceptível pelo aumento exponencial no número de pedidos das patentes de origem chinesa. A nação é a segunda colocada em solicitações de patentes no mundo.

Influência no PIB mundial

A China é o país que mais influenciou no crescimento econômico global desde 2006. Tanto que, de 2006 a 2018, respondeu mais que a soma das contribuições da economia norte-americana, do Reino Unido, Japão e Zona do Euro juntos.

Além disso, demonstrou ser uma nação que conseguiu enfrentar a crise de 2008 com muita resiliência. E tudo indica que conseguirá o mesmo êxito na pandemia do Coronavírus.

Como investir na China?

A China hoje é muito atraente para os mais diversos investimentos. Uma maneira de investir em empresas chinesas é realizando negócios diretamente com elas no exterior, por exemplo.

Porém, não é preciso sair do Brasil para investir na nação asiática – embora haja opções também em outros mercados.

Quer saber como alocar capital no país? Então confira a seguir duas maneiras que os investidores podem aproveitar para fazer investimentos na China de maneira simples e ter possibilidades de lucrar com os resultados que o país apresenta!

BDRs

Um Brazilian Depositary Receipt (BDR) é um certificado emitido no Brasil e negociado na B3, mas que está vinculado a Ações de empresas estrangeiras. Ou a títulos e ETFs do exterior.

Logo, os BDRs permitem que o investidor tenha acesso às movimentações e resultados dos ativos dessas companhias. Não são ações, mas sim certificados lastreados em papéis de empresas internacionais.

Ou seja, mesmo que o investidor não compre Ações das grandes companhias chinesas, ele consegue se expor a elas, bem como lucrar quando apresentam bons resultados.

Vale mencionar também uma outra alternativa – que, no entanto, está além do mercado nacional. O investidor pode investir nas American Depositary Receipts (ADR), que funcionam de maneira semelhante aos BDRs.

Para isso, é preciso abrir conta nos Estados Unidos e investir nas ADRs que são lastreadas em ações chinesas. Essa modalidade, contudo, pode exigir do investidor mais conhecimento e disponibilidade para lidar com burocracias.

ETF

Os Exchange Trade Funds (ETF) são fundos de índice que têm como objetivo replicar ou espelhar um índice do mercado acionário. E obter rentabilidade igual ou próxima a de um índice – normalmente, ligado às Ações.

Há vários ETFs conhecidos, como o BOVA11, que utiliza o Ibovespa como referência. Aos que desejam investir na China, alguns fundos de índice que se espelham em ações de empresas chinesas são:

  • IShares MSCI China Small Cap – ECNS;
  • IShares China Large Cap – FXI
  • Global x Nasdaq China Technology – QQQC.

Agora você sabe como investir na China por intermédio do mercado financeiro brasileiro – e também do mercado internacional. Essa pode ser uma oportunidade de conseguir bons resultados e de ter grandes empresas chinesas na sua carteira.

Portanto, se você se interessou pela possibilidade de lucrar com ações da China, deseja investir em um país de economia forte e tem dúvidas sobre como funcionam essas modalidades, converse conosco e tire todas as suas dúvidas sobre o tema!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.