Busca de Artigos no blog

Dólar digital: o que é e como funciona?

Dólar digital,
Dólar digital,

Você já ouviu falar em dólar digital? A nova aposta do futuro  já está dando o que falar. A proposta de lei protocolada no Congresso dos Estados Unidos autorizou o Departamento do Tesouro do país a dar início ao desenvolvimento de um programa-piloto de dólar digital nos próximos quatro anos. 

Segundo o Electronic Currency And Secure Hardware Act (ECASH Act), o novo ativo tem como objetivo ser uma representação legal da moeda fiduciária, para ser aceita em qualquer lugar. E por mais que a adoção de ativos digitais esteja sendo implementada lentamente, esse tipo de iniciativa chega com tudo para mudar o sistema financeiro global. 

Isso porque os criptoativos eliminam a necessidade de uma conta bancária para que sejam realizadas as transações. Esse ponto é muito positivo para o Sistema de Reserva Federal dos EUA, visto como uma inclusão financeira. Pois de acordo com a instituição, 22% da população norte-americana não têm acesso a bancos.

Mas isso também pode reduzir a disponibilidade de recursos das entidades para emprestar, com elevação de juros dos financiamentos. Ou seja, claro que isso teria algum impacto na vida dos investidores.

Como funciona? 

O dólar digital segue em processo de criação e estudo. Por exemplo, a forma do registro das transações ainda não foi definido. Por mais que as moedas digitais utilizam o processo de blockchain para isso, o ECASH Act quer uma outra alternativa sem a validação de um “livro-caixa comum”.

Além disso, a tendência é que não seja um processo 100% descentralizado, como o bitcoin. O que significa um controle maior sobre as operações, com o objetivo de inibir crimes e fugir das fraudes. 

Riscos e benefícios do dólar digital 

Em maio deste ano, a vice-presidente do Sistema de Reserva Federal (Fed), Lael Brainard, comentou os benefícios e riscos da existência do dólar digital emitido pelo banco central norte-americano.

“Em algumas circunstâncias futuras, uma CBDC poderia coexistir e ser complementar a stablecoins e ao dinheiro bancário comercial ao fornecer uma obrigação segura ao banco central no ecossistema financeiro digital, assim como o dinheiro em espécie atualmente coexiste com o dinheiro bancário comercial”, disse ela ao ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados

Ela acrescentou que também precisaria ser “protegida pela privacidade, intermediada, amplamente transferível e verificada por identidade”. Só que isso ainda pode demorar até se tornar realidade, por ser uma tecnologia muito nova e não integrada ao atual sistema bancário. 

Renda fixa
Seta Tripla

Descubra agora a
NOVA RENDA FIXA
que pode turbinar seus ganhos. 


 

Perda de privacidade? 

A maioria dos estadunidenses não gostou da possibilidade de ter um dólar digital por ter receio de perder a privacidade. Segundo o Cato Institute, que organiza pesquisas de políticas públicas, após analisar mais de 2 mil respostas, chegou à conclusão de que dois terços dos entrevistados parecem se opor à ideia.

Já o think tank libertário, que se opõe a uma moeda digital do banco central, defende que é uma tentativa do governo de controlar o dinheiro da população. A entidade demonstrou também que mais de 66% dos entrevistados apontam a perda de privacidade e danos ao sistema financeiro do país como preocupações. 

Para os defensores do ativo digital, o argumento favorável é porque a moeda poderia dar segurança nacional na competição contra outras empresas estrangeiras. Sem contar que diminuiria os danos ambientais na produção de papel-moeda, além de ser um sinal antecipado das crises no mercado. 

Não perca tempo e aperfeiçoe seus conhecimentos, se inscreva no nosso canal do YouTube para explorar as melhores oportunidades de investimentos no mercado. 

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.