O termo startup ganhou força no ambiente de negócios nos últimos anos devido ao impacto dessas empresas em diversos setores. E quem deseja aproveitar o potencial de empreendimentos desse tipo pode pensar em investir em startup.

Uma das formas de fazer isso é pela bolsa de valores — considerando a compra de ações de negócios dessa categoria. Antes de tomar essa decisão, entretanto, é importante conhecer os aspectos que devem orientá-lo.

Neste artigo, você verá como é possível investir em startups pela bolsa de valores e quais os cuidados necessários. Confira!

O que é uma startup?

Uma startup é uma empresa em um estágio inicial, com capacidade escalável e potencial de gerar resultados elevados com o passar do tempo. É comum que as companhias classificadas dessa forma apresentem soluções disruptivas e que transformam todo o mercado.

As empresas também já costumam ter um público em expansão e resultados financeiros com potencial de crescimento. No entanto, por estarem em estágios relativamente iniciais, precisam de investimentos para que possam evoluir a presença no mercado.

Em muitos casos, essa evolução faz com que elas passem de startups a empresas com uma estrutura mais tradicional. Entre as principais desse setor estão companhias ligadas ao setor de tecnologia — mas sem se restringir a ele.

Como tem sido a entrada dessas empresas na bolsa?

Embora startups tenham, historicamente, uma estrutura diferente dos negócios tradicionais, elas também passaram a fazer parte da bolsa de valores. Grandes negócios que começaram dessa forma, como Netflix, Facebook e Uber, já estão nas bolsas de valores — nesse caso, internacionais.

Também existem startups brasileiras que ainda são vistas dessa forma e que já estrearam na B3, a bolsa do Brasil. assim, conhecê-las pode ser uma forma de identificar oportunidades e de entender o que elas representam.

A seguir, você conhecerá empresas que são vistas como startups e que negociam ações na B3. Porém, tenha atenção: essas não são recomendações de investimento. Saber se vale a pena investir em alguma delas requer uma análise de cada investidor.

Méliuz

A Méliuz é uma startup focada na oferta de cashback para os usuários. Com a obtenção de descontos e cupons exclusivos junto aos parceiros, a empresa devolve parte dos recursos gastos para os compradores que utilizam o serviço gratuito.

A oferta pública inicial (IPO) da Méliuz (CASH3) aconteceu em novembro de 2020. À época, a empresa conseguiu levantar mais de R$ 661 milhões.

INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA

Enjoei

O Enjoei é uma startup que funciona como um brechó online. Os usuários podem cadastrar seus produtos de diversos tipos e vendê-los para qualquer interessado.

O envio fica por conta do vendedor e há a cobrança de uma taxa para a oferta do serviço. O IPO da empresa — cujo ticker é ENJU3 — aconteceu em novembro de 2020 e levantou R$ 1,13 bilhão.

Mosaico

A Mosaico é uma startup responsável por grandes comparadores de preço, como Zoom e Buscapé. Com parcerias com lojas diversas, ela obtém recursos a partir das vendas geradas nos sites e por outros meios.

As ações da Mosaico, com o ticker MOSI3, ficaram disponíveis na B3 em fevereiro de 2021 e arrecadaram R$ 1,2 bilhão.

Banco Inter

O Banco Inter é uma instituição financeira que pode ser classificada como fintech ou banco digital. Ele também é um tipo de startup que está disponível na bolsa de valores, devido ao seu modelo de negócio.

As ações do banco, com o ticker BIDI4, passaram a ser negociadas em abril de 2018. À época, a instituição captou mais de R$ 772 milhões.

Wine

A Wine é uma empresa que funciona como um clube de assinatura de vinhos. Com vendas baseadas no e-commerce, passou a ser uma das startups brasileiras de destaque.

Em 2020, ela fez o pedido para abrir seu capital. Porém, a estreia, que aconteceria em novembro, foi cancelada. Até setembro de 2021, a empresa ainda não tinha dado uma data definitiva para a abertura, mas os planos de entrar na bolsa permanecem.

Vale a pena investir em startup na bolsa de valores?

Além de conhecer as oportunidades que estão disponíveis, é importante considerar que o investimento em startups pela bolsa pode ser vantajoso. Para começar, a compra de ações dessas empresas na bolsa de valores permite participar dos resultados.

Assim, se o negócio realizar o potencial de crescimento, os acionistas podem ter ganhos com a valorização das ações. Como startups são empresas em desenvolvimento e que podem crescer de maneira significativa, o investimento pode gerar resultados atraentes.

Além disso, o investimento em uma startup via bolsa tende a ser mais simples que a alocação direta, como ao atuar como investidor-anjo. Há menos burocracia e mais liquidez para a negociação.

A compra de ações também é uma opção de investimento mais acessível que a aquisição de cotas de fundos de investimento em participação (FIP), por exemplo. Contudo, é preciso considerar os riscos de mercado da bolsa e a volatilidade maior vivida por empresas pequenas.

Como investir em startups pela compra de ações?

Além de entender que investir em uma startup na bolsa é uma oportunidade para aproveitar os resultados da empresa, é preciso saber como realizar a alocação. Tudo começa com a abertura de uma conta em uma instituição financeira, como um banco de investimentos.

Depois, é necessário avaliar seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. Em geral, o investimento financeiro em uma startup pode ser mais arriscado que escolher uma empresa consolidada, por exemplo. Então, sua tolerância ao risco tem que ser compatível.

Além disso, você deve avaliar os fundamentos para saber se vale investir na startup via bolsa de valores. Utilize os indicadores fundamentalistas para conhecer a situação de lucro, de caixa e de dívidas do negócio e, assim, entender seu potencial de resultados.

Por meio dessa avaliação, também é possível comparar empresas do mesmo setor e compreender se a startup é uma boa alternativa para investir. Não deixe também de diversificar seus investimentos. Desse modo, é possível diluir riscos e fazer escolhas condizentes com os seus objetivos.

Como você viu, investir em startup com ações na bolsa de valores pode ser um caminho para aproveitar o potencial de valorização desse tipo de negócio. Com uma avaliação completa, você pode definir se a oportunidade faz sentido para a sua carteira e para a sua estratégia.

Quer ajuda para conhecer as diversas oportunidades do mercado? Entre em contato conosco da Renova Invest e aproveite o serviço de assessoria de investimentos!