Análise Completa: Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20
Análise Completa: Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20

Análise Completa: Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20

No dia 12 de fevereiro de 2021, foi apresentado o resultado da Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20 e a equipe de Equity Research da Eleven Financial Research já realizou a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Crescimento de receitas de todas unidades

De acordo com o relatório da Eleven, a Indústrias Romi registrou um trimestre de crescimento de receita com contribuição positiva de todas as unidades.

O destaques do período foi crescimento de receita em todas unidades.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações ROMI3 estavam sendo negociadas a R$ 18,50. O valor de mercado era de R$ 1,3 bilhão. O volume médio negociado era de R$ 18,5 milhões.

Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20

Unidade B+W é destaque em 2020

A Indústrias Romi teve um trimestre de crescimento de receita com contribuição positiva de todas as unidades, segundo o BTG Pactual.

O principal destaque positivo foi o desempenho da B+W, com a continuidade da retomada da entrada de pedidos que trouxe a carteira para patamar próximo ao do final de 2019.

Na comparação de base anual, a receita líquida da B+W totalizou R$ 107,8 milhões (+69,2%) em virtude da concentração de entregas este trimestre e efeito cambial do real desvalorizado. Por se tratar de equipamentos para projetos de alto nível de especificidade, o valor em euro é superior (+21,1%) apesar de ter o mesmo número de unidades entregues.

A recomposição da carteira de pedidos revelou uma aceleração nos últimos meses do ano, totalizando R$ 99,3 milhões (+264,6%) em novos pedidos que deverão ser entregues nos próximos 12 a 18 meses.

Contribuição positiva das outras unidades

De acordo com o BTG Pactual, as demais unidades também contribuíram para o resultado positivo.

A Máquinas Romi apresentou um desempenho consistente com o visto no restante do ano, refletindo a retomada da confiança na indústria, desvalorização cambial do real e redução da taxa básica de juros.

Com receita líquida de R$ 177,3 milhões (+37,1%) e a carteira de pedidos totalizando R$ 254,2 milhões, o resultado indica estabilidade em relação ao trimestre anterior e um patamar acima do registrado em 2019 (+172,5%).

Por sua vez, a unidade de Fundidos e Usinados segue beneficiada pelo maior volume de entregas de peças de grande porte relacionadas às entregas para projetos de geração de energia.

A receita líquida da unidade de Fundidos e Usinados atingiu R$ 75,6 milhões (+102,3%). A carteira de pedidos da unidade em R$ 130 milhões é estável em comparação ao trimestre anterior e em patamar acima do registrado no final de 2019 (+77%).

Por fim, a receita líquida consolidada foi de R$ 360,6 milhões no 4T20 (alta de +56,5% na comparação de base anual).

Estrutura de caixa é confortável

Ao final do ano, a companhia apresentava um caixa líquido de R$ 110,5 milhões, com R$ 322,6 milhões em caixa e aplicações financeiras e um total de R$ 115 milhões em vencimentos no curto prazo.

Segundo o BTG Pactual, essa estrutura não deve gerar preocupações em relação ao cumprimento das obrigações.

Perspectivas para 2021

De acordo com o BTG Pactual, a sólida carteira de pedidos em todas as unidades é um indicador positivo para o desempenho em 2021.

A recomposição vista na B+W com as novas oportunidades na Ásia mostra a capacidade de adaptação da companhia ante um cenário desafiador. As projeções indicam um maior volume de vendas este ano e a captura de oportunidades adicionais na retomada da demanda.

EBITDA ajustado impactado por processo judicial

Conforme informa o BTG Pactual, o EBITDA ajustado da Indústrias Romi foi de R$ 71,1 milhões no 4T20. O número revela alta de +128,5% em comparação ao 4T19.

O resultado trimestral se deve aos valores não recorrentes com o reconhecimento do êxito no processo judicial da Eletrobrás, que impactou o resultado operacional em R$ 1,7 milhão.

Em 2020, o EBITDA ajustado totalizou R$ 69,4 milhões, com margem EBITDA ajustado em 19,3%. Esse resultado considera a alavancagem operacional com os maiores volumes e diligência no controle de despesas com projetos para melhoria da rentabilidade.

Lucro Líquido tem alta de +353,2%

Conforme o relatório do BTG Pactual, o lucro líquido da Indústrias Romi no 4T20 foi de R$ 86,4 milhões. Esse resultado representa alta de +353,2% em relação ao 4T19.

Por sua vez, em virtude do processo judicial da Eletrobrás, o lucro líquido teve um impacto positivo de R$ 38,4 milhões no 4T20.

Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20

Resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise da Eleven considera que a Indústrias Romi (ROMI3) tem uma sólida carteira de pedidos em todas as unidades, o que é um fator positivo para o desempenho em 2021.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 22,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise da equipe de Equity Research da Eleven Financial Research sobre o resultado Indústrias Romi (ROMI3) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.