Margem operacional
Margem operacional

Margem operacional: o que é e como ela funciona?

Obter um panorama preciso sobre a realidade financeira de uma organização é fundamental, seja para a própria empresa ou para investidores. Sendo assim, usar os indicadores financeiros certos, como a margem operacional, pode ser de grande ajuda.

Essa atitude direciona a tomada de decisão por parte dos gestores. Além disso, no caso de investidores interessados, ampara a tomada de decisão para montagem da carteira de investimentos.

Neste conteúdo, você verá quais são as particularidades do conceito. Continue a leitura para saber tudo sobre a margem operacional!

O que é a margem operacional?

Existem diversas formas de calcular o lucro de um negócio. A forma mais simples de fazer isso é subtrair o faturamento de um determinado período dos custos de execução do trabalho. Desse modo, você encontrará o chamado lucro bruto.

Ao dividir o lucro bruto pela receita total do negócio, você obterá a margem de lucro bruto. Já ao subtrair o lucro bruto do que é pago em impostos, despesas fixas e variáveis, e depois, dividir esse valor pela receita total, descobrirá a margem de lucro líquida.

Contudo, dessa forma não há como saber qual porcentagem de seu caixa foi gerado por meio de sua atividade principal. Nesse caso, o conceito necessário é exatamente o de margem operacional.

Ele se refere à relação entre as receitas operacionais com o lucro. O cálculo pode mostrar qual é a parcela de caixa que foi gerado pela atividade principal da empresa. Logo, é uma das principais formas de medir a eficiência dos processos de uma organização em um determinado período.

Para que ela serve?

É comum que as empresas realizem o DRE todos os anos. O Demonstrativo de Resultados do Exercício é um documento que apresenta, resumidamente, os lucros ou prejuízos gerados pelas atividades de um negócio em certo período.

Para construí-lo e utilizá-lo como uma fonte de dados sólidos, é preciso ser cuidadoso. O time de contabilidade deve ter todos os registros necessários em mãos. Precisa também contar com precisão e usar de indicadores financeiros variados.

Nesse sentido, a principal serventia da margem operacional é atuar como indicador das receitas e lucros do negócio. Ela é fundamental por demostrar de forma clara os resultados operacionais da empresa.

A análise do resultado operacional é importante para empresas de todos os nichos. Além disso, também se mostra interessante aos investidores. Afinal, permite que eles avaliem a capacidade de um negócio de gerar bons resultados.

Como calcular a margem operacional?

Agora, você sabe o que é quais elementos estão envolvidos nesse indicador financeiro. Mas como calcular a margem operacional? A fórmula é o quociente entre dois outros indicadores:

Margem Operacional = Lucro Operacional / Receita Líquida

Para entender melhor o cálculo e o resultado, é necessário conhecer os conceitos de lucro operacional e de receita líquida. O que seria o lucro operacional? Ele é a receita líquida da empresa, deduzida de todos seus custos de produção (exceto juros e impostos).

E o conceito de receita líquida? A receita total que a empresa obtém com sua atividade é chamada de receita bruta. Ao deduzir impostos, devoluções de vendas e descontos comerciais, obtém-se a receita líquida.

Na prática, a margem operacional relaciona os conceitos de lucro operacional e de receita líquida para medir a eficiência de uma empresa. É possível perceber qual o valor das vendas que, de fato, é convertido em lucro operacional para a companhia.

Depois de entender os significados dos conceitos envolvidos na fórmula, você está apto a calcular e interpretar a margem operacional. Seja para aprimorar um negócio ou na intenção de investir nas Ações de uma empresa.

Qual o valor ideal da margem operacional?

Como você viu, o cálculo da margem operacional mostra o percentual de vendas que faz parte do lucro operacional. Ao analisar o indicador, muitos podem se perguntar se existe um padrão ou valor ideal a ser alcançado.

Na realidade, não existe um ideal de margem operacional. Afinal, os dados podem ser bem diferentes de acordo com a empresa ou setor. Cada área opera em torno de uma expectativa diferente, então suas operações também são diversas.

Diante disso, como saber se a margem operacional encontrada está ou não positiva? O melhor é avaliar cada caso a partir da sua referência. Logo, o gestor ou investidor deve conhecer a margem média do setor em que a atividade da empresa está incluída.

Assim, poderá realizar comparações mais realistas. É interessante buscar por margens altas, já que indicam que a empresa está com boas parcelas de lucro. Além disso, a análise do indicador pode mostrar se o negócio se valorizou com o tempo.

Quais os cuidados necessários ao analisar a margem?

Conforme visto, a margem operacional é muito importante na hora de observar a realidade produtiva de uma organização. Justamente em função de sua relevância, é preciso tomar alguns cuidados.

É relevante considerar que a margem operacional, assim como outros indicativos financeiros, conta com limitações. Uma delas, como citamos, é a incapacidade de comparar margens de empresas pertencentes a segmentos diferentes.

A segunda é o comportamento da margem, que nem sempre será alinhado à expectativa. Ainda que a ideia de qualquer negócio seja a de se tornar mais eficiente com o tempo, algumas inconsistências podem surgir, gerando a queda do indicador de um período para outro.

Para evitar que elas comprometam a tomada de decisão, é interessante que os indicadores de vários períodos sejam analisados. Desse modo, o investidor ou administrador da empresa não se deixará levar por um comportamento atípico do indicador.

Além disso, fique atento para não observar um indicador de maneira isolada. A interpretação mais ampla da margem operacional se torna possível quando se analisa em conjunto com outros elementos — como a própria receita líquida, as vendas, o contexto macroeconômico etc.

Por que vale a pena avaliar a margem operacional?

Você acabou de conferir que conhecer a margem operacional é útil tanto para o empreendedor quanto para o investidor. Por meio dela, ambos podem usar esse fundamento para identificar as condições de uma empresa.

No contexto do investidor, vale a pena realizar uma análise fundamentalista para avaliar a qualidade de uma companhia antes de comprar suas Ações. Em especial, se o seu objetivo ao investir está voltado para o longo prazo.

Afinal, é preciso saber se o negócio está sendo lucrativo, certo? Então utilize as informações que viu neste post sobre margem operacional para basear a sua tomada de decisões na bolsa. Lembre-se de considerar diversos indicadores antes de decidir!

Se você se interessa por indicadores financeiros capazes de orientar sua tomada de decisão, não deixe de conhecer o Ebitda das empresas!

Compartilhe:

Deixe uma resposta


whatsapp icon chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.