Azul (AZUL4) 1T21
Azul (AZUL4) 1T21

Análise Completa: Resultado Azul (AZUL4) 1T21

No dia 06 de maio de 2021, foi apresentado o resultado Azul (AZUL4) 1T21 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Azul traz resultado melhor do que o esperado no trimestre

De acordo com o relatório do BTG Pactual, a Azul (AZUL4) apresentou resultados melhores do que o esperado pela equipe no trimestre.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, os resultados vieram em linha com as estimativas da equipe, mas a demanda já está mostrando sinais de recuperação no curto prazo.

O destaque do período foi a recuperação de volumes e tarifas.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações AZUL4 estavam sendo negociadas a R$38,10. A capitalização de mercado era de R$ 13,01 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 374,96 milhões.

Resultado Azul (AZUL4) 1T21

Recuperação de volumes e tarifas

Na teleconferência de resultados da Azul, o management da companhia afirmou que está vendo uma recuperação de volumes e tarifas desde o final de março e começo de abril.

Cabe destacar que esse período parece ter sido o pior em termos de demanda por passagens, devido às restrições mais severas impostas pela segunda onda da pandemia de Covid-19.

Dessa forma, conforme informa o relatório da Eleven, a recuperação verificada no período é bastante positiva.

Enquanto isso, segundo o BTG Pactual, o PRASK da companhia diminuiu -22% na comparação anual. Cabe destacar que a sigla PRASK representa a receita de passageiros por assentos-quilômetros oferecidos.

No que se refere ao rendimento, houve queda de -17% na comparação anual, enquanto a RASK (receita operacional) diminuiu -15%. Por sua vez, a taxa de ocupação atingiu 77% contra 81% no mesmo período do ano passado.

Apesar dessa desaceleração, o desempenho da Azul ficou estável no 1T21 em relação ao trimestre anterior. Essa estabilidade reforça a recuperação da demanda no início do 1T21, especialmente considerando que o último trimestre do ano é sazonalmente mais forte.

Redução de caixa e aumento da dívida líquida

Conforme informa o BTG Pactual, a Azul apresentou redução da posição de caixa e aumento da dívida líquida no 1T21.

A companhia encerrou o trimestre com R$ 3,3 bilhões em caixa contra R$ 4,2 bilhões no 4T20. O caixa representou 69% da receita dos últimos 12 meses, o que é considerado estável.

No que se refere à dívida líquida, aumentou para R$ 15,0 bilhões ante R$ 12,7 bilhões no 4T20. Esse aumento está associado à desvalorização do Real no período. Apesar disso, não há amortizações significativas de dívidas nos próximos 12 meses.

Enquanto isso, a equipe da Eleven destaca que o primeiro trimestre do ano é caracterizado pela queima de caixa. Em 2021, a liquidez imediata da Azul teve queda de -20%, enquanto a liquidez total teve queda de -7%.

A equipe acredita que todas as medidas tomadas para preservar o caixa no período mais crítico da pandemia foram adequadas para posicionar a Azul rumo à retomada do mercado. Agora, os principais desafios residem na recuperação da yield e desalavancagem do balanço.

Perspectivas para 2021 e 2022

Além dos resultados referentes ao 1T21, a Azul também divulgou seu guidance para 2021 e 2022, projetando seus negócios de carga, liquidez e EBITDA.

De acordo com o BTG Pactual, entre os principais destaques do guidance, estão o EBITDA de 2022. O EBITDA deve superar os níveis pré-pandemia, atingindo pelo menos R$ 4,0 bilhões em 2022.

Cabe destacar que o EBITDA totalizou R$ 3,6 bilhões em 2019. Entretanto, apesar desse número ser em torno 10% maior que o resultado pré-pandemia, a equipe da Eleven pontua que ficou abaixo de suas estimativas.

Por outro lado, a equipe do BTG Pactual destaca que o EBITDA mais forte do que o esperado reflete a confiança da Azul. A companhia enseja melhoria do desempenho operacional, juntamente com iniciativas de corte de custos e um ambiente competitivo mais racional.

Receita consolidada supera estimativa

De acordo com a Eleven, a receita líquida da Azul superou as estimativas da equipe no 1T21.

A receita líquida da Azul totalizou R$ 1,82 bilhão no trimestre. Esse resultado representa alta de +2,4% e queda de -34,9%, respectivamente, nas comparações de base trimestral e anual.

O resultado superou a estimativa em +3,6% no período, em virtude de um yield em linha com o trimestre anterior. A equipe pontua que esperava uma piora no cenário de pandemia no 1T21, que poderia trazer mais pressão sobre as tarifas.

Resultado Azul (AZUL4) 1T21

EBITDA pressionado por itens não recorrentes

Conforme informa o BTG Pactual, o EBITDA da Azul ficou em R$ 97,8 milhões contra R$ 654,2 milhões no 1T20, o que representa queda de -85% no período.

O EBITDA foi pressionado por itens não recorrentes na ordem de R$ 32 milhões no período. Entre eles, estão despesas com devoluções de aeronaves e despesas não recorrentes de reestruturação, que estão relacionadas à pandemia.

Excluindo esses itens, o EBITDA ajustado da Azul totalizou R$ 129,7 milhões no 1T20.

Prejuízo Líquido pressionado por perdas cambiais

Conforme o relatório do BTG Pactual, o prejuízo líquido da Azul foi de R$ 2,65 bilhões contra prejuízo de R$ 6,13 bilhão no 1T20.

Cabe destacar que o resultado líquido foi pressionado por perdas cambiais na ordem de R$ 1,6 bilhão no trimestre. Excluindo os resultados de derivativos não realizados e perdas cambiais, o prejuízo teria sido de apenas R$ 1,1 bilhão.

Resultado Azul (AZUL4) 1T21

Resultado Azul (AZUL4) 1T21

Resultado Azul (AZUL4) 1T21: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que a Azul (AZUL4) apresentou rápida capacidade de recuperação no trimestre, com capacidade doméstica ultrapassando os níveis pré-pandemia.

Apesar do cenário desafiador para o 2T21, combinando um trimestre sazonalmente mais fraco e os impactos da pandemia, a equipe destaca que a alta exposição doméstica da companhia deve ser considerada. Por fim, o avanço da vacinação continua sendo o principal catalisador de curto prazo para a ação.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$47,00 .

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a Azul (AZUL4) apresentou um resultado em linha com sua estimativa no último trimestre e tem revelado recuperação no curto prazo. Por outro lado, o guidance para 2021 e 2022 divulgado pela companhia ficou abaixo de suas estimativas.

Assim, estabelece recomendação neutra, com preço-alvo em R$ 44,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado Azul (AZUL4) 1T21. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.