Renova Invest Facebook

Ação ordinária na bolsa de valores: o que é?

Ação ordinária na bolsa de valores
Ação ordinária na bolsa de valores

Muitas pessoas buscam investir em ações devido ao seu potencial de retorno e a possibilidade de receber renda passiva. O que nem todos sabem é que cada tipo de ação pode atender a uma finalidade distinta. Você sabe o que é uma ação ordinária e o que ela oferece ao investidor?

Quem está começando a investir em renda variável pode encontrar boas alternativas no mercado acionário. No entanto, às vezes uma mesma empresa possui diferentes tipos de ação e, nesse cenário, o investidor pode ficar confuso sobre qual delas escolher.

Se você não quer ter esse tipo de dúvida, continue acompanhando esse material. Nele, você aprenderá o conceito e características das ações ordinárias.

Vamos lá?

O que é uma ação?

Para aprender o que é uma ação ordinária, primeiro é necessário saber o conceito de ação no mercado financeiro.

A ação é uma alternativa de investimento da classe de renda variável que pode ser comprada ou vendida na bolsa de valores. Ela representa a menor fração negociável do capital social de uma empresa de capital aberto. Assim, ao adquirir uma ação você se tornará acionista da companhia.

Contudo, é importante frisar que o investidor de ações geralmente não tem os mesmos direitos dos sócios majoritários ou administradores da empresa. Isso porque, de modo geral, ele possui uma participação menor na companhia.

Entre os benefícios de investir em ações está a possibilidade de participar dos resultados da organização. Segundo a Lei das Sociedades Anônimas (SAs), toda empresa de capital aberto deverá distribuir parte de seus lucros aos acionistas em forma de dividendos, quando houver — embora percentual e frequência variem.

Nesse sentido, muitos investidores buscam as ações visando receber esse provento. Contudo, o tipo de ação investida pode determinar, por exemplo, se você terá preferência no recebimento de dividendos ou o direito de participar mais ativamente da gestão da companhia, como será visto adiante.

O que é uma ação ordinária?

Uma ação ordinária (ON) garante ao acionista o direito de votar nas decisões importantes da companhia. Ou seja, é o tipo de ativo que dá ao titular poderes de participar na administração da empresa.

Portanto, quando a companhia agendar uma deliberação sobre assuntos de interesse dos acionistas, o detentor de uma ação ON poderá votar. Porém, vale destacar que o peso do voto será proporcional ao número de papéis que ele possui.

Isso significa que o voto de um acionista minoritário pode não ter muita influência no resultado da votação. Então esse tipo de ação costuma ser mais procurado por investidores institucionais e instituições financeiras que possuem o interesse em integrar a administração do negócio.

Quais as principais características de uma ação ordinária?

Uma das características mais atraentes de uma ação ON para o acionista, especialmente o minoritário, é a proteção proporcionada pelo tag along. Ele traz um mecanismo de proteção ao titular da ação em caso de venda ou mudança de controle da companhia.

Nesse caso, o novo controlador deverá pagar aos possuidores de ações ON, pelo menos, 80% do valor pago pelas ações de seus controladores. Isso permite que os investidores que não queiram mais seguir como acionistas na nova gestão vendam seus papéis por um preço próximo ao que os seus controladores receberam.

Na bolsa de valores brasileira, a B3, podem ser encontradas ações de companhias que chegam a oferecer até 100% de tag along. Com esse mecanismo, é comum que as ações ON tenham uma valorização maior que os demais tipos quando surgem notícias sobre a possível venda da empresa.

O titular de uma ação ordinária também é contemplado com o recebimento de dividendos. Porém, ele não terá preferência no recebimento e somente receberá após o pagamento dos credores e dos detentores de ações preferenciais.

Outra característica a ser observada é que as ações ordinárias podem ser facilmente identificadas por possuírem o número 3 ao final do código de ativo. São exemplos de ações ON a PETR3, VALE3, ABEV3, B3SA3, EMBR3, VIIA3, FLRY3, BRFS3, POSI3, entre outras.

Vale dizer, ainda, que algumas companhias só podem emitir ações ordinárias. É o caso das empresas listadas no mais alto segmento de governança corporativa da bolsa — o Novo Mercado. A dinâmica também é válida para o segmento de empresas que entram na bolsa de forma gradativa, chamado Bovespa Mais.

Quais as diferenças entre ação ordinária e ação preferencial?

Depois de conferir o conceito e as características das ações ordinárias, vale conferir as suas diferenças para as ações preferenciais (PN).

Como você viu, ações ON garantem direito a voto nas assembleias da companhia. Esse mesmo tipo de garantia não é concedido a quem tem ações preferenciais. Então, na hipótese de você querer exercer uma participação mais ativa no negócio, será necessário comprar ações ON.

Por outro lado, as ações preferenciais garantem a preferência no recebimento dos dividendos. Logo, o seu titular receberá esse provento primeiro que os detentores de ações ordinárias. Assim, a alternativa pode ser mais atrativa para quem tem uma estratégia focada no recebimento de renda passiva.

Outra diferença marcante entre ações ON e ações PN se relaciona à liquidez. Em termos financeiros, liquidez representa a rapidez em converter um investimento em dinheiro disponível. Quando se fala em ações, ela está relacionada à quantidade de interessados em negociá-las.

Diante disso, ações preferenciais normalmente têm um volume maior de negociação, se comparada às ações ordinárias.

Vale a pena investir em ações ordinárias?

Após absorver todo esse conhecimento, é possível que você esteja se perguntando se vale a pena investir em ações ordinárias.

Contudo, a resposta dependerá de uma avaliação individual feita por você. Afinal, cada pessoa possui um perfil de investidor e objetivos específicos. Por exemplo, o investimento em ações possui riscos que nem todos estão dispostos a assumir.

Isso porque os preços dos papéis se movimentam de acordo com a oferta e demanda. Com isso, é possível ter ganhos com a valorização de uma ação ou perdas, no caso de a ação desvalorizar. Então o investidor precisará ter um apetite maior aos riscos para investir em ações.

Já em relação aos objetivos, o investimento nesses ativos tende a se alinhar ao longo prazo. O motivo é que o prazo maior de alocação reduz o efeito da volatilidade sobre o ativo, ajudando a equilibrar os riscos.

Sabendo agora o que é uma ação ordinária, você poderá investir nesse tipo de ativo se tiver a pretensão de participar da administração da companhia, por exemplo. Contudo, não se esqueça de que a quantidade de papéis pode ser determinante para conseguir atingir esse objetivo.

Precisa de ajuda ou quer entender mais sobre o mercado acionário? Entre em contato com a equipe da Renova Invest!

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.