Open banking é um termo relativamente novo no Brasil. Por isso, é possível que você não saiba exatamente do que se trata esse conceito que promete revolucionar o mercado financeiro.

Esse sistema surge em um momento em que novas tecnologias estão revolucionando as relações financeiras na sociedade em todo mundo. E aprimorando a maneira como lidamos com o dinheiro.

Quer saber mais sobre o open banking? Então continue a leitura para descobrir o que é e como funciona essa alternativa e quais os impactos dessa novidade no seu dia a dia!

O que é open banking?

Open banking significa “banco aberto”, em tradução livre. Contudo, na prática, a tradução mais adequada seria “sistema financeiro aberto”.

Trata-se de um termo que se refere à adoção da tecnologia de maneira ampla e padronizada para incentivar e aumentar a oferta e a qualidade dos serviços e produtos financeiros disponíveis.

O open banking sugere que os dados bancários devem pertencer aos consumidores. Dessa forma, se eles autorizarem, essas informações podem ser disponibilizadas a terceiros para facilitar o acesso a produtos e serviços de forma mais simples e fácil.

O open banking é seguro?

Com o open banking, todos os serviços que instituições financeiras oferecem seriam integrados de maneira a evitar processos demorados e burocráticos. É importante entender, no entanto, que o open banking não tornaria os dados dos clientes desprotegidos.

Mesmo em um cenário de implementação desse sistema, os bancos ainda deverão seguir com a responsabilidade de proteger e manter os dados de seus clientes sob sigilo.

O compartilhamento se limitaria, na prática, a informações especificas relacionados as APIs (interface de programação de aplicativos) entre as instituições e indivíduos. Assim, seria possível desenvolver soluções em tecnologia para o consumidor, que permitisse muito mais agilidade nas transações bancárias.

O que são os APIs do open banking?

Falamos sobre os APIs – que estão justamente no centro de qualquer discussão envolvendo o open banking. Mas você sabe o que eles são?

Application programming interface (API) é uma interface que se comunica com outros softwares. Eles são parte de diversos programas – utilizados por inúmeras empresas – e podem ser abertas ao público para que seja possível criar produtos e soluções a partir delas.


O Google é uma companhia que tem APIs abertas, por exemplo. Qualquer indivíduo pode montar um mapa por meio do sistema do Google Maps. Da mesma forma, diversos softwares permitem realizar cadastro neles por meio de contas de redes sociais.

Como funciona o open banking?

Você pode perceber que o intuito principal do sistema – a partir do APIs – é permitir a terceiros que desenvolvam aplicativos em torno dos bancos. O objetivo seria facilitar o acesso a serviços e transações de maneira muito mais simples e eficiente.

O funcionamento do open banking, no entanto, depende da abertura dos APIs pelas instituições financeiras a seus parceiros. Esse movimento permitiria, por exemplo, que um aplicativo de controle de despesas se conectasse aos sistemas do banco sem dificuldades.

Assim, o app poderia capturar os gastos que o usuário realizou – seja nas suas contas ou cartão de crédito – de forma automática, sem que seja necessário cadastrá-los no aplicativo. Percebe como seria mais dinâmica essa alternativa para o consumidor?

O mesmo poderia acontecer em relação à carteira de investimentos do usuário. Ao se conectar com o banco de investimentos, por exemplo, o app poderia ter acesso aos investimentos e aos rendimentos do investidor – facilitando, inclusive, o controle dos investimentos.

Quais as diferenças entre o open banking e o banco digital?

Embora sejam diferentes, muitas pessoas ainda confundem o open banking com o banco digital. Como você já deve ter percebido, no entanto, eles são bastante distintos.

Tenha em mente que o primeiro é um conceito que defende que os dados dos clientes sejam compartilhados entre diversas instituições. Com a disponibilização deles, poderão ser abertas APIs para então, criar novas soluções para o público e facilitar o acesso a ferramentas financeiras.

O banco digital, por outro lado, é uma instituição ou fintech que atua no ambiente online. Ou seja, oferta serviços e produtos no meio digital – podendo ou não ter sede ou agências físicas.

Um banco digital não precisa, necessariamente, adotar o open banking e abrir suas interfaces para outras instituições ou pessoas. Da mesma forma, uma instituição financeira tradicional pode adotar esse conceito para melhorar a experiência do usuário no ambiente online.

Quais os benefícios do open banking?

Você entendeu até aqui o que é e como funciona o open banking. Agora, é o momento de conhecer os benefícios desse sistema.

Confira os principais a seguir:

  • o cliente passa a ter o poder de compartilhar suas informações financeiras quando desejar;
  • torna-se mais simples o compartilhamento de informações de modo seguro e automático;
  • o mercado se torna mais competitivo;
  • permite uma modernização do setor bancário e incentivo a criações inovadoras;
  • promove cooperação entre companhias;
  • permite a criação de produtos e serviços mais customizados por meio de dados dos clientes;
  • aumenta a transparência na gestão de informações dos consumidores;
  • possibilita a organização de todos os produtos e serviços do cliente em um único aplicativo;
  • simplifica o gerenciamento de receitas, despesas, investimentos e dívidas, melhorando o controle financeiro da população;
  • gera maior igualdade na concorrência entre companhias.

Quais os desafios desse sistema?

Apesar das vantagens, existem alguns desafios da implementação do open banking que precisam ser conhecidos. Confira!

Regulamentação

Para que funcione adequadamente, é importante que se estabeleça quais dados podem ser divulgados, bem como as regras para esse compartilhamento. Será necessário, portanto, uma regulamentação para manter a segurança dos usuários.

Padronização

No Brasil, cada instituição cria suas próprias APIs da forma que desejar. Na prática, essa liberdade pode prejudicar a diversificação de oferta de soluções via open banking.

Além disso, é comum que as instituições que atuam no país optem por compartilhar suas APIs apenas para parceiros – o que pode travar os processos de implementação do open banking.

Segurança

Bancos e fintechs deverão ter a capacidade de oferecer a segurança necessária para seus clientes em um ambiente com open banking. Este é, portanto, um dos desafios desse sistema.

O open banking é um sistema que vem impactando usuários em todo o mundo. No Brasil, no entanto, o compartilhamento de dados e maior acessibilidade a alternativas de plataformas e aplicativos financeiros podem ser desafios importantes a serem superados.

Seja qual for o caso, vale a pena se manter atento a essa novidade, não é mesmo? Afinal, quando implementada, ela deve trazer inovação e inúmeros benefícios aos consumidores.

E você? Acredita que o open banking trará melhorias para a sociedade? Conte-nos nos comentários!