No dia 19 de fevereiro, foi apresentado o resultado EDP Energias do Brasil  (ENBR3) para o 4T20 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

EDP Energias do Brasil apresenta um 4T20 forte

De acordo com o relatório do BTG Pactual, o desempenho da EDP Energias do Brasil  (ENBR3) foi positivo, apresentando resultados consolidados fortes e acima das projeções.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, o desempenho da EDP também é visto como positivo. As análises apontam que os resultados são fortes e a companhia apresenta um cenário de retomada e crescimento.

Os destaques do período foram reajuste na tarifa EDP SP e controle eficiente de custos.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações ENBR3 estavam sendo negociadas a R$ 18,60. A capitalização de mercado era de R$ 11,1 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 54,9 milhões.

Resultado EDP Energias do Brasil (ENBR3) para o 4T20

Reajuste tarifário anual alavanca resultados

Segundo o relatório do BTG Pactual, o reajuste tarifário anual na EDP São Paulo é um destaque positivo do trimestre, pois foi um dos motivos responsáveis pela alta da receita da companhia.

De acordo com o relatório divulgado pela companhia, em 20 de outubro de 2020, a ANEEL homologou o reajuste para ser aplicado já em 23 de outubro de 2020. O aumento percebido pelo consumidor foi de +4,82%, e o aumento para a parcela B (custos próprios da atividade de distribuição) foi de +21%.

Ainda segundo o relatório da companhia, a receita líquida do trimestre foi de R$ 2,4 bilhões. O número revela alta de +24,3% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Enquanto isso, a receita líquida da distribuidora de São Paulo foi de R$ 1,3 bilhão, revelando alta de +29% em comparação ao 4T19.

Controle eficiente de custos contribui para melhores resultados

O relatório da Eleven Financial Research destaca o controle de custos como um dos motivos que contribuíram para a melhora nos resultados no 4T20.

Segundo o release de resultados da EDP, as despesas com PMSO (Pessoal, Material, Serviços de Terceiros e Outras despesas) recorrentes do trimestre foram de R$ 307,3 milhões. O número representa queda de -2,8% em relação ao mesmo período de 2019.

Enquanto isso, o PMSO anual foi de R$ 1,06 bilhão. Esse número revela queda de -3,6% em relação ao ano de 2019.

O resultado evidencia o compromisso da companhia em gerenciar de maneira eficiente seus custos e despesas, mesmo em um ano de pandemia.

A empresa destaca as seguintes ações para concretização dos resultados: otimização dos gastos, redução das despesas com aluguel, redução dos gastos com viagens, crescimento dos serviços digitais, priorização dos gastos com publicidade e propaganda.

Compensação GSF é o destaque no segmento Geração

Segundo o relatório da Eleven Financial Research, os resultados de 4T20 também foram positivamente afetados por eventos não recorrentes, como a repactuação do GSF (risco hidrológico), no valor de R$ 388 milhões.

De acordo com os analistas da Eleven, a renegociação permitiu ainda a extensão do prazo de concessão de algumas usinas de geração em, pelo menos, mais um ano.

Alteração na Diretoria e Conselho de Administração

No dia 19 de fevereiro de 2021, a EDP Brasil aprovou, em reunião extraordinária, mudanças na Diretoria e alterações no Conselho Administrativo.

O agora ex-presidente do grupo, Miguel Setas, deixa o cargo, após sete anos no comando, e dá lugar a João Manuel Veríssimo Marques da Cruz.

O novo CEO tem uma trajetória de mais de 15 anos no conselho da EDP Portugal e possui  vasta experiência em diversas frentes do negócio, como distribuição, comercialização e o em energias renováveis e mercado livre.

Por sua vez, Setas torna-se o presidente do Conselho Administrativo e assume novas funções na matriz EDP Portugal, que passa por grande reestruturação.

Resultado EDP Energias do Brasil (ENBR3) para o 4T20

EBITDA cresce mais de +30%

Conforme informa o release de resultados da companhia, o EBITDA ajustado da EDP Energias do Brasil  ficou em R$ 817,6 milhões. O número revela alta de +35,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

O EBITDA do ano de 2020 foi de R$ 2,5 bilhões. O resultado revela alta de +12,2% em relação a 2019.

Lucro Líquido histórico

Conforme o relatório o release de resultados da EDP Brasil, o lucro líquido ajustado da empresa no quarto trimestre foi de R$ 367,1 milhões. Esse resultado representa alta de +12,3% em relação ao mesmo período de 2019.

O lucro líquido do ano de 2020 foi R$ 1 bilhão. O resultado revela alta de +8,6% em relação a 2019, marca histórica para a companhia.

Resultado EDP Energias do Brasil (ENBR3) para o 4T20

Resultado EDP Energias do Brasil  (ENBR3) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que a EDP Energias do Brasil  (ENBR3) apresentou ótimos resultados no 4T20. Os números revelaram alta e ficaram acima de suas estimativas.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 22,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a EDP Energias do Brasil  (ENBR3) apresenta bons resultados e perspectivas de crescimento.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 26,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado EDP Energias do Brasil  (ENBR3) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.