No ambiente financeiro e econômico, é comum encontrar termos que não são conhecidos pelo grande público. Entretanto, para quem investe, é importante estar bem informado sobre a economia do país —entendendo sobre política monetária restritiva e expansionista, por exemplo.

Afinal, o cenário econômico impacta diretamente as taxas de juros e outros índices do mercado. Consequentemente, os investimentos também são afetados, exigindo conhecimento para entender os movimentos da economia.

Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e entenda sobre cada uma das políticas monetárias — restritiva e expansionista — e como elas funcionam!

Vamos lá?

O que é e para que serve a política monetária?

Antes de entender qual é a diferença entre política monetária restritiva e expansionista, é importante que você saiba o que é a política monetária. Ela consiste em um conjunto de medidas adotadas por um Governo para gerir a sua economia.

Para tanto, a política monetária exerce controle sobre o volume de dinheiro em circulação pelo país, atuando sobre os índices de inflação e taxa de juros. Dessa forma, o seu objetivo é manter a inflação controlada.

Isso é feito com base em um regime de metas de inflação que consiste em utilizar instrumentos para cumpri-las. Portanto, a política monetária é uma ferramenta importante para manter a estabilidade da economia e, até mesmo, amenizar cenários de crise.

Como consequência, a política monetária impacta o consumo, o emprego, a produção industrial e outras atividades econômicas. Ela também reflete a alta e a baixa do PIB (Produto Interno Bruto) e afeta a vida dos cidadãos de diversas maneiras.

Como funciona e qual objetivo da política monetária restritiva?

Agora que você já sabe o que é e para que serve a política monetária, vale aprender mais sobre os seus tipos. Primeiro, vale se aprofundar sobre a política monetária restritiva. Ela é usada quando o país está em crescimento e com a inflação subindo demasiadamente.

Ela tem como premissa reduzir a inflação interna, controlando a disponibilidade de dinheiro em circulação na economia. Para conseguir esse feito, o Governo aumenta a taxa de juros e os valores dos produtos e serviços ficam mais altos no mercado.

Com isso, o consumo é desestimulado e o PIB sofre um impacto negativo. Como resultado, há uma queda da produção interna do país, resultando na redução e estabilização da inflação.

Como funciona e qual objetivo da política monetária expansionista?

Depois de entender a política monetária restritiva, você deve conhecer a política monetária expansionista. Ela é adotada quando o país enfrenta recessão econômica ou atravessa uma crise.


Nesses casos, é necessário estimular o consumo de bens e serviços e facilitar o acesso ao crédito a fim de gerar dinheiro para a economia. Para essa finalidade, as medidas adotadas visam baixar as taxas de juros, o que pode resultar no aumento da inflação.

Isso é preciso porque, com o índice inflacionário muito baixo, há uma tendência de os consumidores esperarem para comprar buscando sempre um valor menor. Logo, há uma redução na demanda — o que afeta as atividades econômicas do país.

Como é a política monetária no Brasil?

Ao compreender o que são e os objetivos da política monetária restritiva e expansionista, é interessante aprender como a medida é adotada no Brasil. No país, o responsável pela política monetária é o Bacen (Banco Central) — uma autarquia federal.

Nesse contexto, o CMN (Conselho Monetário Nacional) é o responsável pelas normativas relacionadas às ações do Bacen. Já a entidade que define as taxas de juros praticadas pelo Estado é o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central).

Ou seja, é o comitê que estabelece a Selic — taxa de juros básica que é a referência para o controle da inflação e demais indicadores econômicos. É por meio das medidas adotadas por esses órgãos do Bacen que a inflação e outros índices podem ser controlados.

E, para adotar uma das políticas monetárias, seja expansiva ou restritiva, é preciso utilizar os instrumentos da economia monetária. A seguir, confira quais são os principais!

Depósito compulsório

O depósito compulsório é uma taxa recolhida de todas as instituições bancárias pelo Bacen. Assim, a autarquia aumenta as taxas de bancos e outras organizações, impactando o custo dos serviços dessas companhias.

Logo, quando o valor do depósito compulsório aumenta, há uma política monetária restritiva. Já o contrário está relacionado à política monetária expansionista.

Open market

Open market significa mercado aberto e se refere ao meio em que os títulos públicos do Governo são vendidos para os bancos. Ao realizar a venda dos ativos, é possível movimentar a economia.

Geralmente, essa ferramenta é adotada para gerar estímulos econômicos a curto prazo. Isso porque os títulos são vendidos e comprados em alta velocidade, garantindo maior liquidez. Com a venda de títulos, a oferta da moeda é reduzida, refletindo uma política monetária restritiva.

Em contrapartida, com a compra de títulos, o Bacen insere moedas na economia, gerando fluxo econômico referente à expansão econômica.

Redesconto

O redesconto é uma ferramenta que ocorre a partir de um empréstimo oferecido pelo Bacen a bancos e outras instituições financeiras. Desse modo, ele consegue estimular ou desestimular a economia do país ao cobrar taxas menores ou maiores, respectivamente.

O empréstimo do Banco Central aos bancos tem o objetivo de gerar mais crédito e empréstimo aos clientes. Com isso, há maior facilidade e estímulo ao consumo de bens e serviços, auxiliando no crescimento da economia. Portanto, o redesconto faz parte da política monetária expansionista.

Qual é a importância de entender esses conceitos?

Como você viu, a política monetária, por meio de seus instrumentos, impacta diretamente a economia. Porém, a sua importância não se limita a esse fator. Ela também afeta o poder de consumo da população e o mercado de investimentos.

Dessa maneira, conhecer os conceitos permite que você acompanhe a movimentação da economia, entendendo as razões pelas quais há o aumento ou a redução da inflação.

Para os investidores, o conhecimento se faz ainda mais necessário, pois os movimentos da taxa Selic afetam os investimentos de renda fixa. Logo, qualquer alteração nesse índice pode comprometer a rentabilidade das aplicações ou ampliar as possibilidades de ganhos.

Do mesmo modo, é preciso acompanhar a inflação para avaliar o retorno real dos aportes e embasar as decisões. Assim, entender os conceitos pode ajudar a embasar as suas escolhas na hora de montar ou rebalancear o seu portfólio.

Ao longo deste post, você conferiu a diferença entre política monetária restritiva e expansionista. Agora, considere incluir a análise desses fatores no momento de avaliar as suas decisões de investimento, sempre considerando o seu perfil e objetivos.

Quer ficar por dentro do mercado financeiro? Então nos siga nas redes sociais! Estamos no Facebook, LinkedIn, YouTube e Instagram!