LAME3
LAME3

Análise Completa: Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20

No dia 04 de março de 2021, foi apresentado o resultado da Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Pandemia impacta resultados no fim de ano

De acordo com o relatório do BTG Pactual, o desempenho da Lojas Americanas (LAME3) foi um pouco abaixo do esperado no período, como consequência das restrições impostas diante da pandemia.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, o desempenho foi prejudicado pelas medidas de restrições sanitárias. Entretanto, as vendas online seguem gerando resultados para a companhia.

Os destaques do período foram impacto da pandemia e vendas digitais.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações LAME3 estavam sendo negociadas a R$ 24,60. A capitalização de mercado era de R$ 45,07 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 284,73 milhões.

Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20

Impacto da pandemia sobre o SSS

Conforme o relatório do BTG Pactual, a Lojas Americanas reportou resultados um pouco abaixo do esperado no 4T20, devido aos efeitos da pandemia.

Em dezembro, cerca de 11% de suas lojas ficaram fechadas devido às restrições impostas pelos governos. Como resultado, o SSS (vendas nas mesmas lojas) da controladora caiu -5,2% na comparação de base anual.

A companhia mencionou que o SSS das lojas de rua cresceu (+5,8%), enquanto o SSS das lojas de shopping centers teve queda (-20,9%). Nota-se que as lojas de shoppings correspondem a cerca de 30% da base de lojas.

Por essa razão, houve uma desaceleração da recuperação gradual de receita observada nos meses anteriores. Apesar disso, o resultado é gradualmente melhor do que o 3T20 (-25,2%) e o 2T20 (-68,4%) na comparação de base anual.

Entretanto, no que se refere ao Universo Americanas (base consolidada), o GMV (volume bruto de mercadorias) foi de R$ 13,5 bilhões (+18%). Enquanto isso, o GMV O2O (Online-to-Offline) cresceu para R$ 1,2 bilhão no trimestre (+84%), representando 9% do GMV total.

Assim, a receita líquida atingiu R$ 4,7 bilhões, queda de -4% na comparação de base anual.

Estratégia O2O impulsiona vendas digitais

A grande responsável por suportar o sucesso das vendas digitais foi a estratégia O2O, segundo a Eleven. A estratégia gerou GMV de R$ 3,7 bilhões, o dobro em relação ao ano anterior.

Os destaques são: i) o ticket médio 16x maior da prateleira infinita; ii) a disponibilidade para 100% do parque de lojas para click and collect now, onde o cliente retira o pedido na loja em até uma hora; e iii) o ship from store, que realiza entregas de grande porte em até três horas.

Margens afetadas pelo mix

De acordo com o BTG Pactual, as margens da Lojas Americanas foram afetadas pelo mix no 4T20.

Na comparação de base anual, a margem bruta da controladora ficou em 36,8% (queda de 110 bps), afetada pela maior demanda por itens essenciais (que têm menor margem) e pela maior penetração das vendas digitais na composição da receita, segundo a Eleven.

Entre os não essenciais, estão itens como perfumaria, higiene pessoal e cosméticos (HPC), e também alimentos e bebidas. Nota-se que, com a maior participação das vendas online e a aceleração da estratégia O2O, a companhia apresentou na visão consolidada um aumento (+32,1%) nas despesas gerais e administrativas.

Enquanto isso, o relatório do BTG Pactual ressalta que esse aumento de despesas está associado principalmente a algumas contingências trabalhistas no trimestre, o que não se espera persistir no futuro, segundo a equipe.

Apesar desses eventos, o resultado foi parcialmente compensado por um melhor controle de custos e renegociações de despesas de aluguel, o que levou à uma margem EBITDA de 24,2% (-20 bps).

Resultado financeiro impulsionado por follow-on

O resultado financeiro foi positivamente impactado pela redução do CDI e otimização da estrutura de capital da companhia, conforme o relatório da Eleven.

Após a realização do follow-on da companhia e da emissão de bonds da B2W no exterior, o Universo Americanas se encontra com caixa líquido de R$ 6,3 bilhões em dezembro de 2020.

No que se refere ao ciclo de caixa, a companhia reportou um resultado positivo, caindo 2 (dois) dias na comparação anual, para 8 (oito) dias. Enquanto isso, conseguiu gerar R$ 202 milhões de caixa no período.

Por fim, o resultado líquido reportado no período é reflexo da redução do resultado financeiro no período (-47%), em virtude de sua posição de caixa líquido após o follow-on em julho e uma taxa Selic mais baixa.

Perspectivas para 2021

Embora a Lojas Americanas tenha reportado resultados fracos no 4T20, a expectativa é que a companhia reporte uma recuperação gradual nos próximos meses, segundo o BTG Pactual.

A companhia reportou recentemente a parceria com a BR Distribuidora e o início dos estudos para uma fusão com a B2W, criando uma plataforma verdadeiramente multicanal. Além disso, o valuation da sua divisão B&M é atrativo (22x P/L 2021 contra 31x mediana do setor de varejo).

Por sua vez, a equipe da Eleven acredita que a Lojas Americanas está bem posicionada para passar por um momento mais crítico de fechamento das lojas.

Além disso, a companhia está capitalizada e com estrutura de capital otimizada para dar sequência aos movimentos recentes anunciados, como a intenção de incorporação da B2W e uma parceria com a BR Distribuidora para operação de lojas de conveniência nos postos de gasolina da rede.

A potencial combinação de negócios com a B2W deve acelerar o potencial de aceleração das iniciativas O2O, além de ganhos de eficiência operacional.

Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20

Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20

EBITDA cai na comparação de base anual

Conforme informa o BTG Pactual, o EBITDA da Lojas Americanas ficou em R$ 994 milhões. O número revela queda de -6% na comparação de base anual.

Lucro Líquido impulsionado por resultado financeiro

Conforme o relatório do BTG Pactual, o lucro líquido da Lojas Americanas no 4T20 foi de R$ 400 milhões. Esse resultado representa alta de +1% na comparação de base anual. O resultado positivo foi impulsionado por despesas financeiras mais baixas no período.

Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20

Resultado Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que, apesar de ter reportado resultados fracos devido à pandemia, a Lojas Americanas (LAME3) deve ter um melhor momentum à frente com a parceria com a BR Distribuidora e o início dos estudos para uma fusão com a B2W.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 38,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a Lojas Americanas (LAME3) está bem posicionada para passar o momento mais crítico de fechamento das lojas e segue otimista com suas iniciativas em relação ao modelo de negócio da companhia.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 37,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado da Lojas Americanas (LAME3) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.